Weslania evangelista de jesus



Baixar 3.86 Mb.
Página15/86
Encontro20.06.2021
Tamanho3.86 Mb.
1   ...   11   12   13   14   15   16   17   18   ...   86

Intersubjetividade

É preciso dialogar sobre nossas experiências para chegarmos a uma subjetividade. Cada pessoa tem sua visão, sua verdade, não podemos desqualificar a opinião do outro, mas sempre cooperar e compartilhar, é nas relações que constituímos nossa subjetividade, ou seja, não cabe a objetividade quando se trata de relações. Vasconcellos (2013, p. 151) destaca que:

Ao reconhecer sua própria participação na constituição da “realidade” com que está trabalhando, e ao validar as possíveis realidades instaladas por distinções diferentes, o observador se inclui verdadeiramente no sistema que distinguiu, com o qual passa a se perceber em acoplamento estrutural, e estará atuando nesse espaço de intersubjetividade que constituiu com o sistema com que trabalha.

Por meio dos pressupostos da complexidade e instabilidade compreende-se a não existência de realidades objetivas, que a realidade é algo instável e é constituída nas relações à medida que interagimos. Entretanto, não existe verdade absoluta, para compreender os fenômenos observados deve-se ampliar o foco em relação ao que se observa, o que requer um pensamento integrador, superando o paradigma tradicionalista.

O pensador sistêmico que distingue tais pressupostos chega à constituição intersubjetiva, dimensão considerada por Vasconcellos como a não criação de expectativas de previsibilidade e controlabilidade, mas de uma visão em que o mundo está em processo de tornar-se, uma construção coletiva, num espaço consensual de intersubjetividade.

Assim, quando se compartilham experiências subjetivas, tem-se a possibilidade de reconhecer que não há objetividade, que existem realidades que se constroem em conversações, em espaços consensuais de intersubjetividade. O mundo passa a ser pensado e descrito em termos de sistemas interconectados. O foco passa a estar nas relações entre o sistema e aquele que o observa, descreve e trabalha com ele, de reconhecer a si mesmo dentro do coletivo.

Em relação à intersubjetividade, durante todo o desenvolvimento da pesquisa, pode-se perceber as constituições das narrativas de memórias de vida compondo realidades diversificadas que vão se interconectando como uma ideia de inter-relações formadas pelos estudantes, ampliando o conhecimento em diversos contextos.

Explorar as narrativas de memórias de vida das crianças, contextualizando práticas de letramento às diversas leituras em sala de aula, é uma possibilidade de promover ações interdisciplinares, de desenvolver conceitos voltados à cooperação, buscando superar um ensino fragmentado; de trabalhar, até mesmo, de maneira transdisciplinar, pressupondo, pelo viés da complexidade, instabilidade e intersubjetividade, apresentado por Vasconcellos (2013), um compromisso existencial com a partilha.

As práticas sustentadas em um pensamento sistêmico permitem uma transdisciplinaridade e é por isso que pode ser apresentado como novo paradigma da ciência, o que supõe a superação da relação de poder centralizado nos discursos especializados, apenas do professor, por exemplo, e fragmentados, respectivos à cada disciplina em particular. Realizar um ensino transdisciplinar é promover, no contexto dos anos iniciais do ensino fundamental, uma formação global ao sujeito, como citado por Capra (2014).

Alguns exercícios, que serão apresentados e discutidos a seguir, foram desenvolvidos preconizando a apreciação de leituras diversas, possibilitando, dessa maneira, aos estudantes se familiarizarem com o universo textual e poderem se sentir instigados a narrarem suas memórias de vida, considerando ainda a contextualização dos saberes ensinados pela escola. Através dos discursos foram se definindo realidades que se instalaram em cada participante da pesquisa, acabando por refletir nas interações cotidianas em diversos contextos e com diversas pessoas.

Amizade
Amizade se cultiva

Na internet e no real,

No concreto do dia-a-dia

Nos sonhos do virtual.

Realidade e fantasia,

Na aldeia sideral...


Seja amigo e amiga.

Paz... Solidariedade

Não há dinheiro que compre

A verdadeira amizade.

Cultive amor e carinho

Semeia a fraternidade...


No bom relacionamento

Inexiste a falsidade.

Bons amigos se confiam

Desconfie da inverdade.

A mentira é ilusão

Busque a sinceridade...


Amizade é coração

É cordial o sentimento.

O livro é bom amigo,

Dinamiza o pensamento.

Amizade é coisa séria

Que não se perde ao vento...


Dê a mão a um amigo,

A uma amiga ilumine.

Ame todos carinhosamente,

A hipocrisia elimine.

Ame com toda ternura

A amizade que se destine...


Bons amigos da poesia,

Navegante do real

Cosmonautas do eterno,

Do espaço virtual.

Amizade é alquimia,

Do universo cordial.

(Estudante A. G., 10 anos)





Compartilhe com seus amigos:
1   ...   11   12   13   14   15   16   17   18   ...   86


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal