Universidades Redação nota 1000: Sistema Prisional Brasileiro



Baixar 234.6 Kb.
Pdf preview
Encontro22.09.2022
Tamanho234.6 Kb.
#25466
2018 04 Vest Ebook RNK Sistema Prisional Brasileiro-form


/universidades
Redação nota 
1000: 
Sistema 
Prisional Brasileiro
Este conteúdo pertence ao Descomplica. Está vedada a cópia ou a reprodução não 
autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.


/vestibulares
Tema: 
O sistema prisional brasileiro e os seus efeitos 
no século XXI 
Modelo de redação
Na obra “Memórias do Cárcere”, o autor Graciliano Ramos – preso durante 
o regime do Estado Novo – relata os maus tratos, as péssimas condições de 
higiene e a falta de humanidade vivenciadas na rotina carcerária. Hoje, ainda 
que não vivamos mais em um período opressor, o sistema prisional brasileiro 
continua sendo visto como um símbolo de tortura. Desse modo, rever a 
situação social a qual o penitenciário está submetido é indispensável para avaliar 
seus efeitos na contemporaneidade. 
Primeiramente, a má infraestrutura na maioria das cadeias faz com que os 
presos firmem uma luta diária pela sobrevivência. Mesmo que estes vivam 
em um regime fechado, a superlotação e deterioração das celas e, até, a falta 
de água potável provam a falta de subsídio à integridade humana, visto que 
os indivíduos são postos à margem do descaso. Ademais, tal condição supre 
a visão Determinista do século XIX, que afirma que o homem é fruto de seu 
meio. Porém, se esse olhar não for combatido, ao final da pena, o indivíduo terá 
dificuldades para se reintegrar na sociedade e tende a viver do trabalho informal 
ou, em muitos casos, voltar ao crime. 
Outro problema vigente é a negligência às condições higiênicas do público 
feminino. A jornalista Nana Queiroz, autora do livro “Presos que menstruam”, 
retratou a realidade de detentas que sofreram com o tratamento idêntico 


/vestibulares
entre os gêneros, sendo excluídos os cuidados íntimos da mulher, vide a 
falta de absorventes, em algumas prisões, e ausência de acompanhamento 
ginecológico. Esses aspectos revelam a falta de políticas públicas que prezem 
pela saúde feminina e esconde, ainda, o tratamento destinado às gestantes, que 
não possuem um zelo diferenciado na gravidez e tampouco o auxílio médico na 
maioria dos sistemas carcerários.
Portanto, a maneira que os indivíduos são tratados no cárcere fere os direitos 
humanos e, por isso, mudanças fazem-se urgentes. O governo deve investir 
na extensão de cadeias para evitar a lotação e, como solução paliativa, usar 
caminhões pipa para suprir a carência de água potável. Além disso, atividades 
pedagógicas ou esportivas, intermediadas por ONGs, darão aos detentos 
a oportunidade de reinserção social. O acesso à saúde pública é um direito 
universal, logo, são imprescindíveis equipes médicas e a fiscalização desses 
cuidados, principalmente em relação à saúde da mulher. Assim, garantiríamos 
que as condições dos detentos não fossem enfrentadas de forma desumana.


Se você chegou até o final desse eBook, é 
um ótimo candidato para ajudar a gente.
uma olhada 
aqui
 e veja 
como, juntos, podemos 
melhorar sua forma de 
aprender. É tranquilinho, 
chega mais!


Se você chegou até o final desse eBook, é 
um ótimo candidato para ajudar a gente.
Dá uma olhada 
aqui
 e veja 
como, juntos, podemos 
melhorar sua forma de 
aprender. É tranquilinho, 
chega mais!

Baixar 234.6 Kb.

Compartilhe com seus amigos:




©historiapt.info 2022
enviar mensagem

    Página principal