Universidade federal de são joão del-rei ufsj instituída pela Lei n



Baixar 63.03 Kb.
Encontro29.06.2021
Tamanho63.03 Kb.
#13681



UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI – UFSJ

Instituída pela Lei no10.425, de 19/04/2002 – D.O.U. DE 22/04/2002

PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO – PROEN






CURSO: História




Turno: Noturno







INFORMAÇÕES BÁSICAS




Currículo

2015


Unidade curricular

Escravidão e Cultura Negra no Brasil



Departamento





Período


Carga Horária

Código do Curso de História

0110





Teórica

72


Prática

------


Total

72





Ano:

2015


Semestre:

semestre



Pré-requisito

------


Professor(a):

Silvia Brügger



EMENTA



A disciplina se propõe a abordar a temática da escravidão negra no Brasil, com ênfase em seus aspectos culturais. Analisaremos as implicações da noção de cultura negra para se pensar as manifestações culturais protagonizadas por cativos e seus descendentes no Brasil.







OBJETIVOS



A disciplina se propõe a abordar a temática da escravidão negra no Brasil, com ênfase em seus aspectos culturais. Analisaremos as implicações da noção de cultura negra para se pensar as manifestações culturais protagonizadas por cativos e seus descendentes no Brasil.



Avaliação:

- 1 Prova

- 1 Trabalho em Grupo (pode ser a produção de um documentário) com apresentação para a turma





CONTEÚDO PROGRAMÁTICO







  1. O conceito de cultura negra

  2. As Irmandades Negras e o Congado

  3. O Jongo

  4. O samba e a música negra

  5. A Capoeira

  6. O maracatu


















BIBLIOGRAFIA BÁSICA



GILROY, Paul. O Atlântico Negro: Modernidade e dupla consciência. SP: Ed. 34, 2001.

KARASCH, Mary C. (org.) A Vida dos Escravos no Rio de Janeiro (1808-1850). SP: Cia. das Letras, 2000.

LARA, Silvia H. e PACHECO, Gustavo. (org.). Memória do Jongo. As gravações históricas de Stanley J. Stein (Vassouras, 1949). RJ: Folhas Secas; Campinas:CECULT, 2007.

LIMA, Ivaldo M. de F. Maracatus-Nação: Ressignificando Velhas Histórias. Recife: Edições Bagaço, 2005.

MINTZ, Sidney W. e PRICE, Richard. O Nascimento da Cultura Afro-americana: uma perspectiva antropológica. RJ: Pallas/UCAM, 2003.

SOARES, Carlos Eugênio L. A negregada instituição: os capoeiras na Corte Imperial, 1850-1890. RJ, Access, 1999.

SOUZA, Marina de Mello e. “Reis do Congo no Brasil, séculos XVIII e XIX”. Revista de História, 152 (1º. 2005).







BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR



ABREU, Martha e SOIHET, Rachel (org.) – Ensino de História: conceitos, temáticas e metodologia. RJ: Casa da Palavra, 2003.


ABREU, Martha. O Império do Divino: Festas Religiosas e Cultura Popular no Rio de Janeiro, 1830-1900. RJ/SP: Nova Fronteira/FAPESP, 1999.
BELLUCCI, Beluce (org.) Introdução à História da África e da Cultura Afro-brasileira. RJ: UCAM,CEAA/CCBB, 2003.
BRANDÃO, Carlos Rodrigues. A Festa do Santo Preto. RJ/Goiânia, FUNARTE/Universidade Federal de Goiás, 1985.
BRÜGGER, S.M.J e OLIVEIRA, A.J.M. de. “Os Benguelas de São João del Rei: tráfico atlântico, religiosidade e identidades étnicas (séculos XVIII e XIX). Revista Tempo. Niterói: UFF, n.26.
CANCLINI, Néstor G. Culturas Híbridas. Estratégias para entrar e sair da Modernidade. SP: EDUSP, 2003.
CUNHA, Maria Clementina Pereira da (org.). Carnavais e outras frestas: ensaios de história social da cultura. Campinas: Ed. da UNICAMP, 2002.
CUNHA, Maria Clementina Pereira da. Ecos da Folia: uma história social do carnaval carioca entre 1880 e 1920. SP, Cia. das Letras, 2001.
DIAS, Luiz Sergio. Quem tem medo da capoeira? - Rio de Janeiro, 1890-1904. RJ, Secretaria Municipal das Culturas/Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro, 2001.
GOMES, Gustavo Manoel da Silva. A Cultura Afro-brasileira como discursividade: histórias e poderes de um conceito. Dissertação de Mestrado defendida junto ao Programa de Pós-Graduação em História da UFRPE, 2013.
JANCSÓ, I. e KANTOR, I. (org.) Festa – Cultura e Sociabilidade na América Portuguesa. SP, HUCITEC/EDUSP/FAPESP, 2001.
LUCAS, G. Os Sons do Rosário – Os Congados Mineiros dos Arturos e Jatobá.BH, UFMG, 2002.
MONTEIRO, Livia Nascimento. “Escravidão e Liberdade nas Festas do Rosário”. Encontro Escravidão e Liberdade no Brasil Meridional, 2013.
MOTT, Luís. “Acotundá: Raízes Setecentistas do Sincretismo Religioso Afro-Brasileiro” IN: MOTT, L. Escravidão, Homossexualidade e Demonologia. SP, Ícone, 1988.
OLIVEIRA, Anderson J.M. Devoção Negra: santos pretos e catequese no Brasil colonial. RJ: Quartet/Faperj, 2008.
REIS, J.J. ¨Identidade e Diversidade Étnicas nas Irmandades Negras no Tempo da Escravidão”. Revista Tempo, Rio de Janeiro, vol.2, no. 3, 1996.
RUBIÃO, Fernanda Pires. Os Negros do Rosário: Memórias, Identidades e Tradições no Congado de Oliveira (1950 – 2009). Dissertação de Mestrado, UFF, 2010.
SOARES, Mariza de Carvalho. Devotos da Cor. Identidade Étnica, religiosidade e escravidão no Rio de Janeiro, século XVIII. RJ: Civilização Brasileira, 2000.
SOUZA, Marina de Mello e. Reis Negros no Brasil Escravista. História da Festa de Coroação de Rei Congo. BH: Ed.UFMG, 2002.






São João Del Rei, fevereiro de 2015.

______________________________ __________________________________

Profa. Silvia Brügger Profa. Silvia Maria Jardim Brügger

Coordenadora do curso de História






PAGE 5/ NUMPAGE \*Arabic5



Baixar 63.03 Kb.

Compartilhe com seus amigos:




©historiapt.info 2022
enviar mensagem

    Página principal