Universidade Federal de Santa Catarina Centro Tecnológico Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química



Baixar 0.8 Mb.
Pdf preview
Página17/44
Encontro20.06.2021
Tamanho0.8 Mb.
1   ...   13   14   15   16   17   18   19   20   ...   44
Preparo da amostra 

 

Foram pipetadas 20 mL da amostra em um balão volumétrico de 500 mL e 



completou-se o volume com água destilada. 

 

Procedimento 

 

Pipetou-se 10 mL da amostra diluída no borbulhador e 250 mL de água 



destilada no gerador de vapor do aparelho de destilação. Levou-se a água à ebulição com a 

torneira de vapor aberta, para eliminar o ar do aparelho e, eventualmente o gás carbônico 

da água destilada. Em seguida a torneira foi fechada para que o vapor de água borbulhasse 

na amostra, arrastando os ácidos voláteis. Recolheu-se 100 mL do destilado e titulou-se a 

acidez volátil do destilado com solução de hidróxido de sódio 0,1 N em presença de 

fenolftaleína. 




CAPÍTULO 3 – MATERIAL E MÉTODOS  27

 

Cálculo 

 

Acidez volátil é expressa em g de ácido acético/100 mL de amostra pela 



Equação (3.2): 

 

V



10

f



 x 

Eq

 x 



N

n x 


 

 

amostra)



 

de

 



mL

 

0



acético/10

 

ácido



 

de

 



(g

 

 volátil



Acidez

=

             (3.2) 



 

Onde: 


 

n = volume de solução de hidróxido de sódio gastos na titulação [mL] 

N = normalidade da solução de hidróxido de sódio 

Eq = equivalente grama de ácido acético [60] 

f = fator de diluição [diluição 20:500, f = 25] 

V = volume de amostra no preparo [mL] 

 

Cinzas 

 

Material 

 



 



cadinho de porcelana (ou platina) de 50 ml 

 



pipeta volumétrica de 25 mL 

 



bastonete de vidro 

 



banho-maria 

 



dessecador com sílica gel ou cloreto de cálcio anidro 

 



balança analítica 

 



mufla 

 



bico de Bunsen 

 

Procedimento: 

 

O cadinho foi aquecido na mufla ao redor de 600ºC durante 10 minutos, 



resfriado no dessecador e pesado. Foram pipetadas 25 mL da amostra no cadinho e 

evaporadas completamente no banho-maria fervente (cuidando para não deixar espirrar a 




CAPÍTULO 3 – MATERIAL E MÉTODOS  28

 

amostra). Queimou-se o cadinho em bico de Bunsen e em seguida colocou-se o cadinho na 



mufla a 550

0

C ± 25ºC, até que o resíduo se tornasse claro. O tempo exigido para essa 



operação pode ser reduzido da seguinte maneira: remove-se o cadinho da mufla, esfria-se, 

quebra-se o resíduo ainda escuro com um bastonete de vidro, tomando-se o cuidado de 

lavar o bastonete com algumas gotas de água destilada, leva-se o cadinho em banho-maria 

até secura e coloca-se novamente na mufla até o resíduo ficar completamente claro. Esfria-

se o cadinho no dessecador e pesa-se rapidamente. 

 




Compartilhe com seus amigos:
1   ...   13   14   15   16   17   18   19   20   ...   44


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal