Universidade católica de moçambique centro de Ensino à Distância Manual do Curso de Licenciatura em Ensino da Língua Portuguesa Literaturas Africanas em Língua Portuguesa I código: P0208 Módulo único 22 Unidades



Baixar 11.83 Mb.
Pdf preview
Página22/81
Encontro09.07.2022
Tamanho11.83 Mb.
#24191
1   ...   18   19   20   21   22   23   24   25   ...   81
Literatura Africana Em Língua Portuguesa I
 
Centro de Ensino à Distância 25 
incluídos igualmente numa parte IV com o título Poemas 
dispersos. Incluem-se ainda, na parte V, cinco poemas em 
crioulo.
Deu a sua colaboração literária a revistas e jornais da época, 
como Presença, Claridade (quer nos três primeiros números, quer 
nos seis restantes da 2ª fase), Cadernos de Poesia, Diabo, 
Atlântico, Mundo Português, Aventura, Movimento, Mensagem 
(CEI), Notícias de Cabo Verde. Mais regularmente, a sua 
colaboração foi para o Boletim de Cabo Verde, durante vários 
anos, não só com poemas, como também com as crónicas de São 
Vicente e artigos vários. 
Sobre A Poesia de Jorge Barbosa 
Na sua obra poética, existe um núcleo fundador de uma estética 
poética, derivado do relacionamento do sujeito com o espaço – a 
ilha. Dessa relação resulta aquilo que podemos denominar a 
insularidade, isto é, o sentimento de solidão, de nostalgia que o 
ilhéu experimenta face ao isolamento e aos limites da fronteira 
líquida que o separam do resto do mundo, criando-lhe um estado 
de ansiedade que o leva a sonhar com outros horizontes para lá 
do mar. Insularidade que é, antes de mais nada, cabo-verdiana e 
que, desse modo, se particulariza. O factor geográfico do 
Arquipélago constituído por dez ilhas relativamente pequenas, 
juntamente com os condicionalismos climáticos, marca a 
sentimentalidade e a maneira de estar do homem. 
Se, por um lado, a pequenez do espaço em confronto com o mar 
agiganta os sonhos e o desejo da partida, por outro, as secas, 
destruindo o ganha-pão do homem, levam-no a realizar a 
aventura da emigração, isto é, a aventura da sobrevivência. A 
insularidade em Jorge Barbosa contém estas duas vertentes
expressas na dicotomia «querer partir e ter de ficar» e «ter de 
partir e querer ficar», estabelecendo o enlace do regionalismo 
com o universalismo, duas qualidades, afinal, inerentes ao 
conceito de insulação ou insularidade. Estas estruturas tendem a 
articular-se na poesia de Jorge Barbosa, plasmadas num profundo 
conhecimento da terra e do homem, constituindo a sua aventura 
interior, impressa não na língua crioula, mas na língua 
portuguesa, cujo discurso é impregnado dos ingredientes do 
homem mestiçado. A crioulidade é assim o factor primordial da 
sua identidade. 
A sua produção literária abrange um espaço de 41 anos, de 1928 
a 1969 (sendo a poesia dispersa e inédita paralela aos livros 
publicados, preenchendo os hiatos das suas publicações e 
prolongando-se quase até à hora da morte). 

Baixar 11.83 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   18   19   20   21   22   23   24   25   ...   81




©historiapt.info 2022
enviar mensagem

    Página principal