Unidade 8 dor abdominal indd



Baixar 39.08 Kb.
Pdf preview
Página7/7
Encontro20.02.2021
Tamanho39.08 Kb.
1   2   3   4   5   6   7
2.3 Quando referenciar

Pensar em referenciamento nos seguintes casos:



-   Presença dos seguintes sinais de alerta: dor que muda 

de localização, dor que desperta do sono, dor que persiste 

por mais de 6 horas ou piora, dor seguida de vômitos, perda 

de peso. Estes sinais predizem patologias orgânicas de 

maior gravidade e devem ser referenciados para urgência se 

necessitarem de complementação diagnóstica; 

-  Pacientes com quadro de 

dor abdominal aguda que 

necessitem de elucidação diagnóstica por exames 

complementares não oferecidos em domicílio ou para uma 

segunda opinião especializada;




Programa Multicêntrico de qualifi cação em Atenção Domiciliar a Distância

16

Resumo do Conteúdo

Nesta unidade, vimos que a dor abdominal pode ser 

classifi cada em aguda e crônica e que a localização e o exame físico 

completo são fundamentais para identifi car com mais coerência as 

causas da dor.

   Não se esqueça! 

•    Exames  complementares  devem  ser  orientados  após 

suspeita clínica e dependem de acesso e possibilidade de coleta 

domiciliar ou transporte do paciente. 

•    O paciente deve ser referenciado quando houver sinais 

de alerta, quadros de dor abdominal que necessitem de elucidação 

diagnóstica ou casos emergenciais que possam requerer cirurgia.

 

A  fi nalidade  deste  estudo  foi  orientá-lo 



para um atendimento de qualidade visando à 

proteção e promoção da saúde. Esperamos que 

as  abordagens  e  refl exões  aqui  realizadas  muito 

contribuam com sua prática!  



-   Casos de dor abdominal aguda emergencial que possam 

requerer cirurgia (apendicite, obstrução intestinal, gravidez 

ectópica) (GOROLL e MULLEY, 2006; TRINDADE, 2012).



17

REFERÊNCIAS 

CARTWRIGHT, S.L.; KNUDSON, M.P. Evaluation of acute 

abdominal pain in adults. 

Am Fam Physician. v.77, n.7, p.971-8, 

2008.


GOROLL, A.H.; MULLEY, A.G. 

Primary care medicine

office evaluation and management of the adult patient. 5. ed. 

Philadelphia: Lippincott Williams and Wilkins, 2006.

TRINDADE, T.G. Dor abdominal. In: GUSSO G.; LOPES, 

J.M.C. (Org.) 

Tratado de Medicina de Família e Comunidade

princípios, formação e prática. Porto Alegre: Artmed, 2012. p. 



1321-1328.


Programa Multicêntrico de qualificação em Atenção Domiciliar a Distância

18



Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal