Uma leitura de senhor das moscas e suas várias perspectivas resumo



Baixar 115.55 Kb.
Página4/6
Encontro21.08.2021
Tamanho115.55 Kb.
1   2   3   4   5   6
Conhecendo a obra Senhor das Moscas de William Golding

A obra Senhor das Moscas narra a história de um grupo de crianças que estão fugindo de uma possível guerra mundial, na qual a cidade deles foi devastada por bombardeios. O avião no qual os menores se encontram cai em uma ilha deserta paradisíaca, onde os únicos sobreviventes são um grupo de meninos de 06 a 12 anos. Apesar de livres das regras sociais que determinam o cotidiano desses meninos, de início eles ainda carregam os valores da civilização.


Eles então elegem um líder democraticamente e conseguem enfrentar pacificamente as diferenças que vão surgindo; ao longo da narrativa a história vai tomando um outro rumo saindo da democracia e regredindo para selvageria num estado primitivo.
O livro nos apresenta alguns personagens e podemos dizer que cada um deles representa um modelo social. O contexto democrático vai aos poucos se desconstruindo e começa a dar início a uma brutalidade, na qual o ser humano começa a regredir de um estado civilizado para um estado selvagem.
Ralph é eleito democraticamente pelos garotos, ele representa a democracia e procura sempre manter a ordem através de regras fundamentadas, não só para manter a sobrevivência, mas também para procurar meios para que ocorra de alguma forma o resgate deles.
Jack, por outro lado, tem um jeito tirano, ele tem outras prioridades como caçar e se manter vivo, para ele a carne é mais importante do que a fogueira no momento em que estão vivendo.
Porquinho é como a personificação da razão, ele é descrito como um garoto gordo, asmático e que usa óculos. Ele sofre de uma certa forma um preconceito referente ao seu jeito. Diferente de Ralph, ele não é querido pelos outros meninos por causa das suas limitações, é alvo constante de piadas e risos do grupo, mas por outro lado é inteligente e possui a maioria das ideias para sobreviverem na ilha, inclusive a ideia de fazer uma fogueira e de mantê-la acesa para chamar a atenção dos navios para que os resgatem.
O medo começa a tomar conta das crianças e com isso eles passam a perderem-se, começam a ter alucinações e a principal delas é a de que existe um monstro na ilha. Ralph insiste em dizer que o monstro não existe, mas Jack, que iniciou um combate contra Ralph por causa da liderança e por se sentir humilhado, quando foi feito a votação, promete aos demais que ele irá matar o monstro.
As crianças fazem da cabeça de um porco uma oferenda para a “besta”, assim chamada pelas crianças.
Simon é um garoto calmo e bem tranquilo, em uma de suas conversas com o “senhor das moscas” (nome dado por ele à cabeça de porco), este avisa que ele corre perigo, e até prevê sua morte. Simon descobre que a “besta” é o corpo do paraquedista (que havia caído na ilha durante uma batalha noturna de aviões de guerra) e sai correndo para contar para os demais, porém, chegando lá, as crianças estão numa espécie de ritual, coordenada por Jack, alucinadas e com medo, as crianças partem para cima de Simon e o espancam até a morte, como selvagens:
O bicho tentou avançar, rompeu o círculo e caiu do lado íngreme da pedra, na areia à beira da água. Imediatamente, todos o seguiram correndo, saltando da pedra, pulando no bicho, gritando, golpeando, mordendo, rasgando. Não havia palavras, nem movimentos além do ataque dos dentes e das garras. (…) Lentamente, cercado por uma franja de inquisitivas criaturas brilhantes, ele próprio uma forma prateada sob as imutáveis constelações, o corpo morto de Simon moveu-se rumo ao alto-mar (GOLDING, 2014, p. 167-169).
Com toda essa selvageria, Porquinho e Ralph, que também haviam participado do ocorrido, ficam completamente perturbados. Jack e seus integrantes definem que a concha não é o verdadeiro símbolo da ilha e sim os óculos de Porquinho, sendo o mesmo usado pelos garotos para manter a fogueira acesa.
Eles invadiram o acampamento de Ralph e Porquinho e em meio a chutes e trocas de socos roubaram os óculos de porquinho, com isso a fogueira se apaga e os garotos ficam sem ter como manter a fogueira acesa.
Ralph, Porquinho, Sam e Eric vão ao encontro de Jack e sua tribo para pegarem de volta os óculos; Ralph exige que Jack e seus apoiadores devolvam os óculos para Porquinho, ali Ralph tem total certeza de que ele já não tem mais apoiadores e que já não se encaixa mais como o chefe dos demais. Ralph e Jack se envolvem em uma luta corporal, Roger um dos seguidores de Jack, começa a lançar pedras e solta com uma alavanca uma enorme pedra que ao cair esmaga Porquinho:

A rocha abateu-se sobre Porquinho num golpe fulgurante, em cheio, do queixo aos joelhos; a concha explodiu em mil fragmentos brancos de deixou de existir. Porquinho, sem dizer nada, sem tempo nem para um protesto, foi projetado no ar para um lado, virando sobre si mesmo. (…) Porquinho caiu doze metros e bateu com as costas na pedra quadrada e vermelha do mar. Sua cabeça partiu-se e dela saiu algo que se avermelhou. Os braços e pernas de Porquinho mexeram-se um pouco, como os de um porco ao ser morto. (…) Desta vez o silêncio era completo. Os lábios de Ralph formaram uma palavra, mas não produziram som algum (GOLDING, 2014, p. 197-198).


Nesse momento qualquer ato de ordem ou de segurança deixa de existir, Ralph consegue escapar, porém Sam e Eric são presos e torturados pela tribo de Jack. Ralph se esconde no meio da mata, mas consegue falar com Sam e Eric e os confrontam, ele quer entender o que está acontecendo; ali os garotos o avisam para ir embora e se esconder, pois os garotos da tribo de Jack vão sair pela manhã para o caçarem e matá-lo como um porco.
Jack e seus apoiadores começam uma grande caçada em busca de Ralph, as crianças ateiam fogo por toda ilha, devastando uma grande área da ilha. Ralph se desespera e corre em direção à praia, onde cai e visualiza uma pessoa uniformizada, um oficial da marinha. Ali Ralph chorava o fim da inocência, as trevas do coração humano, e a queda no abismo do amigo sincero e ajuizado chamado Porquinho (GOLDING, 2014, p. 223).
Diante do que foi encontrado na ilha, o oficial mostra uma certa indignação, pelo fato de serem crianças e pela condição nas quais elas foram encontradas. O oficial tem para ele que crianças ainda mais sendo inglesas podiam se comportarem de uma forma melhor, devido a educação que é dado a eles e devido a toda inocência de uma criança.



    1. Catálogo: media -> doity -> submissoes
      submissoes -> EmancipaçÃo política de alagoas: história, historiografia e problemas Ana Cláudia Pereira de Oliveira1
      submissoes -> Thomaz do bomfim espíndola e o pensamento geográfico em alagoas na última metade do século XIX: alguns apontamentos acerca dos conceitos e categorias norteadores da investigaçÃo pedro Henrique Nunes Silva1 Orientador
      submissoes -> Seringueiros do Médio Solimões: fragmentos e memórias de vida e trabalho Tugboats of the Middle Solimões: fragments and memories of life and work
      submissoes -> Religião e política: a influência dos puritanos na política da inglaterra do século XVII
      submissoes -> Os Sentidos de Lugar e os Lugares de Sentido da Música Popular como Patrimônio Cultural na Cidade
      submissoes -> José rodrigues vieira netto: intelectual orgânico, professor brilhante, advogado perseguido, cidadão sem direitos (1945-1973)
      submissoes -> Conexão fametro 2017: arte e conhecimento XIII semana acadêmica issn: 2357-8645


      Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal