Um legado de liberdade assim como eu não seria escravo, tampouco seria


parte deste campo ao repouso final



Baixar 0.54 Mb.
Pdf preview
Página35/46
Encontro17.03.2020
Tamanho0.54 Mb.
1   ...   31   32   33   34   35   36   37   38   ...   46
parte deste campo ao repouso final 

daqueles que aqui deram a vida para 

que esta nação pudesse viver.

Depois dessa longa frase de 

introdução, Lincoln fez o público 

presente avançar rapidamente no 

tempo desde a Revolução Americana 

até a Guerra Civil. Em rápidas 

pinceladas, resumiu o significado 

da guerra. Ao contrário de Edward 

Everett, Lincoln não usou nenhuma 

de suas palavras para descrever 

com detalhes a recente batalha. 

O presidente Lincoln chega a 

Gettysburg, Pensilvânia. Seu Discurso 

de Gettysburg consagrou o cemitério 

no local onde cerca de 8 mil americanos 

pereceram em três dias de batalha




56

 

 

ABRAHAM LINCOLN: UM LEGADO DE LIBERDADE



O texto do Discurso de Gettysburg

Mortos da União no 

primeiro dia da Batalha de 

Gettysburg

O presidente Lincoln pronuncia o 

Discurso de Gettysburg




ABRAHAM LINCOLN

: UM LEGADO DE LIBERDADE

 

 

57



Em vez disso, preferiu ir além, 

ligando a inauguração ao propósito 

maior da “nação”, palavra que ele 

usaria cinco vezes em seu discurso. 

A Guerra Civil era a “prova” dos 

ideais fundadores da nação, que 

determinaria se eles poderiam 

“perdurar”.



É de todo justo e adequado que 

assim o façamos. Mas, em sentido 

mais amplo, não podemos inaugurar 

— não podemos consagrar — não 

podemos santificar — este chão. Os 

bravos homens, vivos e mortos, que 

aqui lutaram, já o consagraram, 

colocando-o em um nível muito 

acima do nosso fraco poder de 

acrescentar ou subtrair.

Essas palavras sinalizaram a 

transição feita por Lincoln entre os 

acontecimentos no campo de batalha 

e os ainda por vir. Mas antes que as 

pessoas voltassem os olhos para além 

desse campo de batalha, ele falou 

sobre o que não deviam fazer.



não podemos inaugurar 

não podemos consagrar

não podemos santificar

O presidente mudou o foco uma 

última vez nas três últimas frases do 

discurso.



O mundo muito pouco notará, 

nem lembrará por muito tempo 

o que dissermos aqui, mas não 

poderá jamais esquecer o que eles 

aqui fizeram. Somos nós, os vivos, 

que devemos nos dedicar à obra 

inacabada, que os que aqui lutaram 

já fizeram avançar até este ponto 

de maneira tão nobre. Somos nós 

que estamos aqui que devemos nos 

dedicar à grande tarefa diante de 

nós — que esses mortos a quem 


58

 

 

ABRAHAM LINCOLN: UM LEGADO DE LIBERDADE



homenageamos nos inspirem maior 

dedicação à causa pela qual eles 

deram a plena medida da sua 

devoção — que todos nós aqui 

presentes determinemos solenemente 

que esses mortos não morreram 

em vão — que esta nação, sob a 

proteção de Deus, renascerá para 

a liberdade — e que o governo do 

povo, pelo povo e para o povo não 

desaparecerá da face da terra.

Lincoln também apresentou sua 

visão de futuro e da responsabilidade 

de seus ouvintes — e, por extensão, a 

responsabilidade de cada americano 

— de tornar essa visão realidade. 

Ele deixou as palavras de lado e 

partiu para a ação. Contrastou “o que 

dissermos aqui” com “o que eles aqui 

fizeram”.

Nesse ponto, Lincoln fez sua 

única complementação ao texto 

escrito. Acrescentou as palavras 

“sob a proteção de Deus”. Foi uma 

revisão espontânea não característica 

para um orador que não confiava 

em discurso improvisado. Ele havia 

acrescentado várias palavras de 

improviso em discursos anteriores

mas sempre oferecia depois uma 

desculpa pela mudança. Dessa vez 

não procedeu assim. E incluiu “sob 

a proteção de Deus” nas três cópias 

do discurso que preparou em datas 

posteriores.

“Sob a proteção de Deus” apontava 

para o passado e para o futuro: 

ao passado, para “esta nação” que 

retirou seu fôlego de fontes políticas 

e religiosas, mas também ao futuro, 

para “renascer”. Lincoln começara a 

ver a Guerra Civil como um ritual 

de purificação. A antiga União tinha 

de morrer. O antigo homem tinha 

de morrer. A morte tornou-se uma 

transição para uma nova União e 

uma nova humanidade.

Ao se aproximar do ponto 

culminante do curto discurso 

inesperado, Lincoln pronunciou as 

palavras que mais seriam lembradas:

e que o governo 

do povo

pelo povo e 

para o povo,

 snão desaparecerá da 

face da terra.

O discurso tinha chegado ao 

fim. Lincoln não disse a palavra 

“eu” uma única vez. Foi como se 

tivesse se tornado invisível para 

que os americanos pudessem se 

concentrar totalmente nas verdades 

transcendentais.






Compartilhe com seus amigos:
1   ...   31   32   33   34   35   36   37   38   ...   46


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal