Um legado de liberdade assim como eu não seria escravo, tampouco seria



Baixar 0.54 Mb.
Pdf preview
Página17/46
Encontro17.03.2020
Tamanho0.54 Mb.
1   ...   13   14   15   16   17   18   19   20   ...   46
Uma casa dividida

Em março de 1857, a altamente 

criticada decisão Dred Scott da 

Suprema Corte dos EUA inflamou 

ainda mais as tensões regionais. 

Scott, escravo afro-americano 

cujo dono o havia levado para o 

território livre de Wisconsin e depois 

de volta ao Missouri, abriu uma 

ação em defesa da sua liberdade, 

argumentando que o período de 

sua residência em Wisconsin o 

tornara um homem livre. A Suprema 

Corte determinou o contrário, 

e a abrangência (desnecessária, 

segundo muitos) da decisão 

aumentou os temores do Norte. 

O Congresso, conforme sustentou 

a maioria dos juízes, não tinha 

autoridade constitucional para 

proibir a escravidão nos territórios. 

A linha do paralelo 36° 30´ (ainda 

Lincoln fala para uma plateia de 

Charleston, Illinois, durante o primeiro 

debate Lincoln-Douglas



26

 

 

ABRAHAM LINCOLN: UM LEGADO DE LIBERDADE



em vigor quando o caso começou) 

era, portanto, inconstitucional, e a 

escravidão era admissível em todos os 

territórios, a despeito da Lei Kansas-

Nebraska. O presidente da Suprema 

Corte, Roger B. Taney, sustentou 

ainda que os afro-americanos não 

eram cidadãos dos EUA, estavam 

excluídos das proteções tanto da 

Declaração da Independência quanto 

da Constituição e não tinham 

“nenhum direito que o homem 

branco devesse respeitar”. Dred Scott, 

portanto, não poderia sequer abrir 

um processo em tribunal federal.

Grande parte do Norte reagiu 

com indignação. O jornal Chicago 

Tribune predisse sem rodeios que a 

decisão obrigaria os estados livres a 

aceitar a escravidão e que Chicago, 

a maior cidade de Illinois, iria virar 

um mercado de escravos contra 

a sua vontade. Lincoln temia que 

a Suprema Corte impedisse em 

seguida os estados de proibir a 

escravidão. Ele resolveu concorrer 

nas eleições de 1858 contra o senador 

Douglas, que havia endossado a 

decisão Dred Scott. Lincoln aceitou 

a indicação republicana com seu 

famoso discurso “Casa Dividida”:



Uma casa dividida contra si mesma 

não pode subsistir.

Acredito que este governo não pode 

suportar para sempre ser meio 

escravo e meio livre.

Não espero que a União seja 

dissolvida — não espero que a casa 

caia — mas realmente espero que 

não haja mais divisão.

Ela se tornará totalmente uma coisa 

ou totalmente a outra.

Ou os adversários da escravidão, vão 

… colocá-la onde a opinião pública 

enferrujará na crença de que ela 

está a caminho da extinção; ou seus 

defensores a impulsionarão até que 

ela se torne legal em todos os estados, 

antigos e novos — do Norte e do Sul.

O New York Times rapidamente 

declarou a disputa Lincoln-Douglas 

“o campo de batalha política mais 

interessante da União”.

Lincoln desafiou Douglas para uma 

série de sete debates em diferentes 

partes de Illinois. Juntos, esses debates 

entre Lincoln e Douglas surgiram 

como um momento icônico da 

democracia americana. Os cidadãos 

convergiram para as cidades grandes 

e pequenas, de Freeport a Jonesboro, 

de Galesburg a Alton. Chegavam 

a cavalo, de barco ou simplesmente 

andavam quilômetros para ver os dois 

defensores discorrerem sobre a maior 

cisão da história do país. O contraste 

entre os candidatos era nítido. 

Douglas vestia-se com aprumo e tinha 

um discurso rebuscado — o retrato da 

sofisticação. Lincoln era desajeitado, 

muito menos requintado na aparência 

e nos modos. Mas o advogado do 

interior marcou pontos importantes, 

não deixando Douglas escapar da 

contradição entre a soberania popular 

e a decisão Dred Scott, que impedia 

os colonos antiescravistas de proibir 

a escravidão em seus territórios. No 

último debate, Lincoln apresentou de 

forma memorável o debate como um 

conflito

entre um grupo que considera a 

instituição da escravidão um erro 

e outro grupo que não a considera 

um erro. (…) Essa é a questão que 

continuará neste país quando estas 

pobres bocas, do juiz Douglas e a 

minha, forem silenciadas. É a eterna 

luta entre estes dois princípios — 

o certo e o errado — no mundo 

todo. São os dois princípios que 

se confrontam desde o início dos 

tempos; e permanecerão em luta 

eternamente. Um é o direito comum 

da humanidade, e o outro o direito 

divino dos reis.

Naquela época, os senadores dos 

Estados Unidos não eram eleitos pelo 

voto direto e sim escolhidos pelas 

legislaturas estaduais. Quando os 

votos foram contados naquela eleição, 

Douglas venceu por 54 votos contra 

O presidente da Suprema Corte, Roger B. Taney (à direita), determinou que Dred 

Scott (à esquerda) não era cidadão americano, o que contribuiu para lançar o país 

na guerra civil




ABRAHAM LINCOLN

: UM LEGADO DE LIBERDADE

 

 

27



Alabama

W

ashington 



Territor

y

Virginia



Vermont

Utah 


Territor

y

Te



xas

Tennessee

South Carolina

Rhode Island

Arkansas

Califor


nia

Connecticut

Dela

ware


Florida

Geor


gia

Oregon


Territor

y

Illinois



Wisconsin

Indiana


Iowa

Kansas


Territor

y

Kentucky



Louisiana

Maine


Massachusetts

Michigan


Mississippi

Missouri


Nebraska

Territor


y

New Hampshire

New Jerse

y

New Mexico



Territor

y

New



York

Nor


th Carolina

Ohio


Indian

Pennsylvania

Maryland

Minnesota

Territor

y

Territor



y




Compartilhe com seus amigos:
1   ...   13   14   15   16   17   18   19   20   ...   46


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal