Um Guia de Estudo para a Doutrina Cristã a partir de Declarações Anglicanas e



Baixar 1.66 Mb.
Pdf preview
Página20/24
Encontro10.08.2021
Tamanho1.66 Mb.
#16727
1   ...   16   17   18   19   20   21   22   23   24
2020-08-what-do-anglicans-believe pt
2020-08-what-do-anglicans-believe pt
Descreva uma ocasião em que discordâncias seguidas de diálogo respeitoso 

levaram a um forte senso de comunhão entre os cristãos. Como isso pode ser 

encorajado na vida da igreja?

9. Como resumir?

O Pacto Anglicano é uma declaração de 2009 que foi aceita por algumas províncias, 

mas não pela Comunhão Anglicana como um todo. Algumas províncias o rejeitaram 

por causa de propostas em sua quarta seção. As seções anteriores, no entanto, são 

amplamente reconhecidas como um bom resumo da doutrina anglicana da igreja. A 

primeira seção pega muitas das declarações citadas acima e, portanto, fornece uma 

maneira apropriada de resumir este capítulo:

5 Scott MacDougall, More than Communion: Imagining an Eschatological Ecclesiology, Londres: T&T Clark, 

2015, 6.2 ‘Cinco Marcas de uma Eclesiologia Escatológica’, disponível em https://books.google.co.uk/

books?id=HUjCBwAAQBAJ&printsec=frontcover&dq=More+than+Communion&hl=en&sa=X&ved= 

0ahUKEwjGxOzg_pLpAhVMTBUIHT7FBHwQ6AEIKDAA#v=onepage&q=More%20than%20Communion&f




Em Que Os Anglicanos Acreditam?

42

O Pacto Anglicano

Seção Um: Nossa Herança da Fé

1.1 Cada Igreja afirma:

(1.1.1) sua comunhão na Igreja una, santa, católica e apostólica, adorando o único 

Deus verdadeiro, Pai, Filho e Espírito Santo.

(1.1.2) a fé católica e apostólica revelada exclusivamente nas Escrituras Sagradas 

e estabelecida nos credos católicos, cuja fé a Igreja é chamada a proclamar 

novamente em cada geração. Os formulários históricos da Igreja da Inglaterra, 

forjados no contexto da Reforma Europeia e reconhecidos e apropriados de 

várias maneiras na Comunhão Anglicana, dão testemunho autêntico dessa fé.

(1.1.3) as Escrituras Sagradas do Antigo e do Novo Testamentos como contendo 

todas as coisas necessárias para a salvação e como sendo a regra e padrão final 

da fé.


(1.1.4) o Credo dos Apóstolos, como símbolo batismal; e o Credo Niceno, como a 

declaração suficiente da fé cristã.

(1.1.5) os dois sacramentos ordenados pelo próprio Cristo - o batismo e a Ceia 

do Senhor - ministraram com o uso infalível das palavras de instituição de Cristo 

e dos elementos por ele ordenados.

(1.1.6) o episcopado histórico, adaptado localmente nos métodos de sua 

administração às necessidades variadas das nações e dos povos chamados por 

Deus na unidade de sua Igreja.

(1.1.7) os padrões compartilhados de nossa oração e liturgia comuns que 

formam, sustentam e nutrem nossa adoração a Deus, nossa fé e vida juntos.

(1.1.8) sua participação na missão apostólica de todo o povo de Deus e que essa 

missão seja compartilhada com outras igrejas e tradições além deste Pacto.

1.2 Ao viver juntos essa herança de fé em contextos variados, cada Igreja, 

dependente do Espírito Santo, se compromete:

(1.2.1) a ensinar e agir em continuidade e consonância com as Escrituras, a fé, a 

ordem e a tradição católica e apostólica recebidas pelas Igrejas da Comunhão 

Anglicana, atentas aos conselhos comuns da Comunhão e aos nossos acordos 

ecumênicos.

(1.2.2) a defender e proclamar um padrão de raciocínio e disciplina teológica e 

moral cristã, enraizado e responsável pelo ensino das Sagradas Escrituras e pela 

tradição católica.

(1.2.3) a testemunhar, nesse raciocínio, a renovação da humanidade e toda a 

ordem criada através da morte e ressurreição de Cristo, e refletir a santidade 

que, em consequência, Deus concede e exige do seu povo.




Em Que Os Anglicanos Acreditam?

43

(1.2.4) a ouvir, ler, marcar, aprender e digerir interiormente as Escrituras em 



nossos diferentes contextos, informadas pela leitura atenta e comunitária - e 

caro testemunho - das Escrituras por todos os fiéis, pelo ensino das/os bispas/

os e sínodos e pelos resultados de um estudo rigoroso de estudiosos leigos e 

ordenados.

(1.2.5) a garantir que os textos bíblicos sejam recebidos, lidos e interpretados 

fielmente, respeitosamente, de forma abrangente e coerente, com a expectativa 

de que as Escrituras continuem iluminando e transformando a Igreja e seus 

membros, e através delas/es, indivíduos, culturas e sociedades.

(1.2.6) a incentivar e estar aberto à liderança profética e fiel no ministério e 

na missão, de modo a permitir que o povo de Deus responda em testemunho 

corajoso ao poder do evangelho no mundo.

(1.2.7) a procurar, em todas as coisas, manter a solene obrigação de nutrir 

e sustentar a comunhão eucarística, de acordo com as disciplinas canônicas 

existentes, à medida que lutamos sob Deus pela realização mais completa da 

comunhão de todos os cristãos.

(1.2.8) a buscar uma peregrinação comum com todo o Corpo de Cristo para 

discernir continuamente a plenitude da verdade na qual o Espírito nos leva, 

para que povos de todas as nações sejam libertados para receber vida nova e 

abundante no Senhor Jesus Cristo.

Q

Qual dessas afirmações é mais desafiadora para a vida da sua igreja? Como sua 

congregação poderia responder?

Também compartilhamos a missão de Deus com todas/os aquelas/es que confessam 

o nome de Cristo. A missão de Deus nos chama a trabalhar com toda a humanidade, 

trazendo seu amor transformador ao mundo. A Igreja como um todo, portanto, tem 

um papel e uma identidade especiais. A declaração de Porvoo de 1993 oferece uma 

descrição rica e sugestiva disso:



Declaração Comum de Porvoo §20

A Igreja é uma realidade divina, santa e transcendente, presente realidade 

finita; ao mesmo tempo, como instituição humana, compartilha a fragmentação 

da comunidade humana em sua ambiguidade e fragilidade. A Igreja é sempre 

chamada ao arrependimento, reforma e renovação e depende constantemente 

da misericórdia e perdão de Deus. As Escrituras oferecem o retrato de uma 

Igreja que vive à luz do Evangelho:

•  é uma Igreja enraizada e fundamentada no amor e graça do Senhor Jesus 

Cristo;



Em Que Os Anglicanos Acreditam?

44

•  é uma Igreja sempre alegre, orando continuamente e dando graças mesmo em 



meio ao sofrimento;

•  é uma Igreja peregrina, um povo de Deus com uma nova cidadania celestial, 

uma nação santa e um sacerdócio real;

•  é uma Igreja que faz confissão comum da fé apostólica na palavra e na vida, a 

fé comum a toda a Igreja em todos os lugares e em todos os momentos;

•  é uma Igreja com missão para servir a todas/os em todas as raças e nações, 

pregando o evangelho, proclamando o perdão dos pecados, batizando e 

celebrando a eucaristia;

•  é uma igreja que é servida por um ministério apostólico ordenado, enviado 

por Deus para reunir e nutrir o povo de Deus em cada lugar, unindo-o e 

vinculando-o à Igreja universal em toda a comunhão dos santos;

•  é uma Igreja que manifesta através de sua comunhão visível o poder curador e 

unificador de Deus em meio às divisões da humanidade;

•  é uma Igreja na qual os laços de comunhão são fortes o suficiente para 

permitir que seja testemunha efetiva no mundo, guarde e interprete a fé 

apostólica, tome decisões, ensine com autoridade e compartilhe seus bens 

com os necessitados;

•  é uma Igreja viva e receptiva à esperança que Deus colocou diante dela, à 

riqueza e glória da parte que Deus lhe ofereceu na herança de seu povo e à 

vastidão dos recursos do poder de Deus abertos àquelas/es que confiam nele.

Este retrato da Igreja não está completo; no entanto, confronta nossas igrejas 

com desafios à fidelidade de nossas vidas e com uma constante necessidade de 

arrependimento e renovação.

Q

Qual desses tópicos descreve melhor onde você acha que sua igreja está sendo 

chamada em missão? Que medidas práticas são necessárias para chegar lá?



Em Que Os Anglicanos Acreditam?

45

Leitura Adicional Recomendada




Baixar 1.66 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   16   17   18   19   20   21   22   23   24




©historiapt.info 2022
enviar mensagem

    Página principal