Texto “Origens da Economia Moderna”



Baixar 4.72 Kb.
Encontro18.03.2020
Tamanho4.72 Kb.

Texto “Origens da Economia Moderna”

DEANE, Phyllis.“Evolução das ideias econômicas”. 1980. P. 19-39.


História do pensamento econômico ocidental (I)

Quando falamos em “Economia Moderna”, trata-se da “tradição sólida de análise e explicação econômica sistemática” (1980, p. 23) (II)

História do pensamento econômico ocidental (I)

(1.1) Clássica grega

(1.2) Medieval escolástica

(1.3) Mercantilistas

(1.4) (Economia) Moderna

Segundo o autor, para os filósofos gregos e para os escolásticos o estudo da economia era periférico a seus interesses políticos ou teológicos.

Já esses dois últimos enfoques tem mais em comum com o pensamento econômico moderno e são discutidos a seguir.

Fisiocratas

Adam Smith

(1.3) Mercantilistas



Contexto histórico-geográfico: Transição feudalismo  capitalismo. Europa (séc. XVI-XVIII) principalmente no Reino Unido. Rivalidade entre os Estados-nacionais

Preocupação teórica: necessidade de elevação na receita dos governos nacionais e interdependência dos mercadores e banqueiros da época das políticas econômicas dos governos.

Para financiar exércitos e projetos de colonização.



Esboçaram a base das teorias econômicas:

Economia como Arte de gerir o Estado

Teoria da oferta e demanda rudimentar

Teorias sobre a taxa de juros

Ênfase em questões do comércio exterior

(1.3) Mercantilistas



Teoria do valor:

Todos os autores clássicos buscaram elaborar uma teoria do valor:

Qual a origem do valor?

Como o valor pode ser mensurado?

Como o valor explica os preços?

  • Preço das mercadorias = valor atual de mercado
  • Balança comercial positiva;
  • Impostos protecionistas;
  • Monopólio colonial e comercial dentro do país.

Em resumo, os mercantilistas buscaram elaborar uma teoria que justificasse o enriquecimento da burguesia comercial europeia.

(1.4) (Economia) Moderna



Contexto histórico-geográfico: França do século XVIII pré-Revolução Francesa. Desigualdades entre o norte (capitalista) e o sul (economia de subsistência).

Preocupação teórica: Reação ao mercantilismo, crescimento econômico

Teoria que justifica ações voltadas ao enriquecimento da burguesia rural da França.

(1.4.1) Fisiocratas

(1.4.2) Adam Smith



Início da visão da economia como ciência e ideia de uma ordem/harmonia entre sociedade e natureza:

Fundam a teoria do valor-trabalho (trabalho produtivo cria excedente)

O excedente é uma dádiva da natureza que só o trabalho agrícola pode prover.

Indústria (manufatura) e comércio são úteis, embora estéreis para criação de novo valor.

São a favor do livre-comércio, mas não enxergam a formação de excedente no setor industrial

(1.4.1) Fisiocratas

“Tableau Economique” de François Quesnay

Agricultura

Indústria

Proprietários de terras (nobreza)

manufaturas

Matéria-prima e alimentos

alimentos

manufaturas



Setor agrícola é o único que gera valor e não consegue reter o excedente. Logo, fica descapitalizado.

$1

$1

$2

$2 (aluguel)

$1


Compartilhe com seus amigos:


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal