Territorio e Sociedade3 pnld18 pr pontualOK. pdf


  NOVOS HORIZONTES TEÓRICOS



Baixar 59.14 Mb.
Pdf preview
Página369/520
Encontro29.09.2021
Tamanho59.14 Mb.
1   ...   365   366   367   368   369   370   371   372   ...   520
5
  NOVOS HORIZONTES TEÓRICOS
A noção de que a Geografia Crítica, assim como a 
Tradicional, não considerava a subjetividade da relação 
humana e da sociedade com a natureza foi aos poucos 
ganhando atenção no meio acadêmico nacional. Ao 
mesmo tempo, no final da década de 1980, a crise 
do socialismo real colocou em xeque os postulados 
dos geógrafos críticos. A realidade em transformação 
expunha seus limites teórico-metodológicos. A queda 
do Muro de Berlim, a desagregação da União Soviética 
com a consequente crise do marxismo e “a falência 
dos paradigmas da modernidade na explicação da 
nova realidade em mudança, inclusive o da teoria 
social crítica, revolucionam o pensamento e a pro-
dução geográfica em todos os sentidos e direções”
6

A ênfase dada na Geografia a um entendimento 
historicista da sociedade implicou um obstáculo em 
adequar tempo e espaço (História e Geografia). O 
próprio Yves Lacoste apontava para a dificuldade de 
apoiar a Geografia em Marx. De acordo com Josefina 
Gómez de Mendoza (1942-), professora da Universi-
dade Autônoma de Madrid, o enfoque marxista “não 
faz mais que extrapolar, para as estruturas espaciais, 
interpretações que remetem a estruturas econômicas e 
sociais, a reflexões da história e da economia política”
7
.
Ainda segundo essa mesma autora, a concepção 
dos geógrafos marxistas revela a ausência de uma 
elaboração conceitual e analítica mais aprofundada 
dos aspectos ecológicos e energéticos
8
. Convém 
esclarecer, contudo, que essa lacuna vem sendo 
gradativamente preenchida pelos geógrafos críticos.
A produção acadêmica na área de Geografia, nas 
últimas décadas, tem como característica fundamental 
a preocupação com as dimensões subjetivas da relação 
humana com a natureza. Nesse sentido, consideram-
-se as culturas das sociedades e, consequentemente
as distintas percepções do espaço geográfico e as for-
6 OLIVEIRA, Marcio Piñon. Geografia e epistemologia: meandros e 
possibilidades metodológicas. Revista de Geografia, v. 14, p. 153-164, São 
Paulo: Unesp, 1997. p. 155.
7 Los radicalismos geográficos. In: MENDOZA, Josefina Gómez et al. (Org.).  
El pensamiento geográfico: estudio interpretativo y antología de textos; de Humboldt 
a las tendencias radicales. Madri: Alianza, 1982. p. 152-153. [Tradução nossa.] 
8 Idem, p. 153.
mas de sua construção, implicando os conhecimentos 
de outras áreas, particularmente os de Antropologia, 
Sociologia, Biologia e Ciências Políticas.


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   365   366   367   368   369   370   371   372   ...   520


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal