Territorio e Sociedade3 pnld18 pr pontualOK. pdf


Página86/519
Encontro29.09.2021
Tamanho
1   ...   82   83   84   85   86   87   88   89   ...   519
Palestina: uma nação 
ocupada
Joe Sacco. Conrad, 2014.
Reportagem em quadrinhos 
sobre as causas e a 
situação palestina.
FILME
Paradise now
De Hany Abu-Assad. 
Alemanha/França/Holanda/
Israel/Palestina, 2005. 
90 min.
O filme mostra a trajetória 
de dois amigos palestinos 
que são selecionados por 
um grupo terrorista para 
praticarem um atentado 
suicida em Tel Aviv, 
capital de Israel.
GAR
Y HERSHORN/REUTERS/LA
TINSTOCK
50
Unidade 1  |  Etnia, diversidade cultural e confl itos 
TS_V3_U1_CAP02_031_059.indd   50
23/05/16   19:04


•  Limites às negociações de paz
Em 2003, contando com o apoio da ONU, da União Europeia, dos Estados Unidos e da 
Rússia (Quarteto de Madri), líderes palestinos e judeus reuniram-se na capital espanhola 
para estabelecer um novo acordo de paz proposto, chamado de Mapa do Caminho. As 
metas previstas pelo acordo não tiveram o encaminhamento esperado devido à forte 
oposição de grupos radicais (judeus e palestinos) e dos obstáculos impostos pelos Estados 
Unidos e pelo governo israelense, que alegavam que Yasser Arafat era um interlocutor 
pouco confiável e pouco empenhado em controlar as ações de grupos terroristas.
Com a morte de Arafat em 2004, a ANP passou a ser presidida por Mahmoud 
Abbas (1935-), eleito num processo livre e democrático, no início de 2005. 
As ações de Abbas foram pautadas pelas negociações com o governo de Israel e 
com os grupos radicais palestinos com o objetivo de retomar e avançar as questões 
traçadas pelo Mapa do Caminho. Essas negociações levaram à retirada dos assen-
tamentos judaicos da Faixa de Gaza e de uma pequena parte da Cisjordânia.
Apesar disso, o governo de Israel insistiu em dar continuidade à construção de um 
muro que separa Israel da parte da Cisjordânia controlada pelos palestinos. O muro 
inviabiliza a demarcação das fronteiras acertadas pelo Mapa do Caminho: confisca 
cerca de 50% das terras situadas na Cisjordânia e anexa a Israel os assentamentos 
judaicos construídos nos territórios ocupados. Além disso, Israel incorporou todo o 
vale do Rio Jordão, a única fonte de abastecimento de água da região (situado na 
zona tampão, junto à fronteira com a Jordânia e controlada por Israel). 
Existem ainda outros impasses para se atingir uma paz duradoura. Um deles 
é como ficaria a situação de Jerusalém. Israel a declara capital indivisível do país; 
já os palestinos não abrem mão de incorporá-la a um 
futuro Estado da Palestina. O extremismo de grupos 
judeus e palestinos, contrários a qualquer processo de 
negociação, constitui outro obstáculo.
Em 2006, o Hamas conquistou legitimamente o 
poder na faixa de Gaza e manteve a posição de não 
reconhecimento do Estado de Israel e a oposição a 
qualquer negociação de paz, dividindo a administração 
palestina: o Hamas passou a controlar a faixa de Gaza e o 
Fatah, de Mahmoud Abbas, apenas as terras palestinas 
da Cisjordânia. Leia o Entre aspas.
Hamas
Hamas é a abreviatura em árabe para o Movimento de Resistência 
Islâmica. Foi criado em 1987, após o início da primeira intifada, 
com a finalidade de travar a luta armada contra Israel e promover 
programas de assistência social aos palestinos. Em 2005, conquistou 
o poder democraticamente em Gaza e a controla até hoje. O grupo é 
considerado uma organização terrorista por Israel, Estados 
Unidos, União Europeia e outros países do mundo.


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   82   83   84   85   86   87   88   89   ...   519


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal