Territorio e Sociedade3 pnld18 pr pontualOK. pdf


Página293/519
Encontro29.09.2021
Tamanho
1   ...   289   290   291   292   293   294   295   296   ...   519
Língua Portuguesa
A população de um país migrante
Chico Buarque de Hollanda (1944-), músico, dramaturgo e escritor carioca, é um dos artistas mais 
famosos da música popular brasileira e foi um dos mais ativos na crítica política e na luta pela democra-
tização no país na década de 1970. Leia a seguir a letra de uma de suas canções.
Paratodos
“O meu pai era paulista
Meu avô, pernambucano
O meu bisavô, mineiro
Meu tataravô, baiano
Meu maestro soberano
Foi Antonio Brasileiro
Foi Antonio Brasileiro
Quem soprou esta toada
Que cobri de redondilhas
Pra seguir minha jornada
E com a vista enevoada
Ver o inferno e maravilhas
Nessas tortuosas trilhas
A viola me redime
Creia, ilustre cavalheiro
Contra fel, moléstia, crime
Use Dorival Caymmi
Vá de Jackson do Pandeiro
Vi cidades, vi dinheiro
Bandoleiros, vi hospícios
Moças feito passarinho
Avoando de edifícios
Fume Ari, cheire Vinicius
Beba Nelson Cavaquinho
Para um coração mesquinho
Contra a solidão agreste
Luiz Gonzaga é tiro certo
Pixinguinha é inconteste
Tome Noel, Cartola, Orestes
Caetano e João Gilberto
Viva Erasmo, Ben, Roberto
Gil e Hermeto, palmas para
Todos os instrumentistas
Salve Edu, Bituca, Nara
Gal, Bethânia, Rita, Clara
Evoé, jovens à vista
O meu pai era paulista
Meu avô, pernambucano
O meu bisavô, mineiro
Meu tataravô, baiano
Vou na estrada há muitos anos
Sou um artista brasileiro”
BUARQUE, Chico. “Paratodos”, do álbum Paratodos. BMG Ariola, 1993.


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   289   290   291   292   293   294   295   296   ...   519


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal