Territorio e Sociedade3 pnld18 pr pontualOK. pdf


Página254/519
Encontro29.09.2021
Tamanho
1   ...   250   251   252   253   254   255   256   257   ...   519
NORUEGA
11. 246
SUÉCIA
105.889
DINAMARCA
17. 913
REINO UNIDO
8.792
PAÍSES
BAIXOS
29.813
BÉLGICA
14.850
ALEMANHA
218.186
FRANÇA
10.281
ESPANHA
8.365
ÁUSTRIA
34.154
HUNGRIA
72.004
BULGÁRIA 
17.089
GRÉCIA
5.129
SÉRVIA
313.035
TURQUIA
2.715.789
LÍBANO
1.067.785
JORDÂNIA
639.704
IRAQUE
245.543
EGITO
118.512
LÍBIA
28.027
SÍRIA
186
unidade 3  |  espaço, sociedade e economia 
TS_V3_U3_CAP08_179_199.indd   186
5/23/16   7:06 PM


A situação na União Europeia é reveladora dessa 
postura dos países desenvolvidos em relação aos 
refugiados: entre 2010 e 2013, período em que se 
agravaram os conflitos na Síria e em outros países, 
de acordo com a ACnUR, cerca de 25% dos soli-
citantes de asilo em países do bloco tiveram êxito, 
enquanto a média global foi de 30%.
nesse contexto, houve vários casos de represen-
tantes de países da Europa, e mesmo da Austrália, 
além de políticos nacionalistas de extrema direita 
de países da União Europeia, que qualificaram os 
refugiados como migrantes, que teriam saído de 
seus países de origem por motivos econômicos. 
Evidencia-se, dessa forma, um uso político desses 
termos, os quais, como você viu anteriormente, 
são conceitualmente diferentes. Ao referir-se aos 
refugiados como migrantes, esses representantes 
de governos querem justamente se isentar de imple-
mentar políticas de asilo a essas pessoas.
Entre janeiro e dezembro de 2015, mais de 1 milhão de refugiados e imigrantes 
chegaram à Europa em embarcações pelo Mar Mediterrâneo. A maior parte deles 
era formada por pessoas vindas da Síria, do Afeganistão, da Eritreia, da nigéria, do 
Iraque e do Paquistão (cerca de 80%). Eram, portanto, refugiados, uma vez que 
esses países se encontravam em situação de conflitos. A Grécia foi a principal porta 
de entrada dessas pessoas, seguida da Itália. Esses países estão às margens do Mar 
Mediterrâneo e bem próximos dos países africanos.
•  refugiados climáticos
diversas regiões do planeta, por suas características naturais, são bastante 
vulneráveis às mudanças climáticas decorrentes do aquecimento global, como 
os situados nas áreas semiáridas da África Subsaariana; os países insulares 
do Oceano Pacífico; as regiões tropicais da América e da Ásia, afetadas por 
violentas tempestades (tufões, furacões e ciclones) ou por prolongadas chuvas 
torrenciais, como no sul e no sudeste da Ásia. nessas regiões estão muitos países 
em desenvolvimento, com parcelas da população dependentes das atividades 
agropecuárias. São países também com elevados 
índices de pobreza e com sérias dificuldades 
financeiras para enfrentar as mudanças climá-
ticas. veja a figura 10.
É justamente desse grupo de países que sai boa 

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   250   251   252   253   254   255   256   257   ...   519


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal