Tecnologia educacional



Baixar 1.64 Mb.
Encontro11.06.2020
Tamanho1.64 Mb.
#9014

TECNOLOGIA EDUCACIONAL


Escola: Municipal do Campo Emílio Francisco Silva

Professores (as): TEREZINHA DALASTRA LOPES,

ELDES DE FATIMA SMOLAK

LOURDES INES DO NASCIMENTO

Ano: 3º ANO

Disciplinas: HISTÓRIA

Tema:

CULTURA AFRO-BRASILEIRA

Objetivos: CONCIENTIZAR TODOS OS ENVOLVIDOS QUANTO AO RESPEITO AS DIFERENÇAS ATRAVES DE AÇÕES DE VALORES. RESPEITAR A CULTURA E AS MANIFESTAÇÕES DOS NEGROS INCENTIVAR O BOM RELACIONAMENTO ENTRE TODOS.

Conteúdos:

  • Cultura Afro-Brasileira e diversidade.

Desenvolvimento metodológico:

  • Para iniciar o tema propor aos alunos que listem duas características físicas e duas características de seu caráter/personalidade. Recolher todas as listagens e, de forma lúdica, ler uma a uma para a classe instigando os alunos a descobrirem quem é o dono de cada característica;
  • Pesquisa em jornais e revistas das palavras: Trabalho, escravo, Brasil, Portugal e África ou outras do mesmo contexto.
  • Construção de acrósticos

  • Passar o texto poesia ser afrodescendente, trabalho em grupo com ilustração das estrofes.
  • Falar sobre quem foi o Zumbi - Observação do mapa mundi para localização do Brasil, África, Portugal. - Decomposição da palavra PALMARES para formação de novas palavras ou outras.


O menino multicolorido


Eu sou um menino multicolorido.

É, eu sou de todas as cores por dentro.

Sou misturado. Meu sangue é feito do sangue de muitas raças.

Minha mãe disse que quem tem avós de raças diferentes é mis . . . mis . . . Esqueci! É um nome complicado. Prefiro pensar que sou multicolorido. Tenho sangue de francês, de negro, de espanhol e de índio. Por fora eu sou branquinho, de cabelo claro. Por dentro, sou europeu, preto, mulato, mestiço. Acho que é por esse motivo que eu gosto tanto dos índios do Brasil.

Gosto deles porque eu sou um pedaço índio e porque eles estão deixando de ser índio por inteiro. É que as pessoas brancas aqui do Brasil, já faz tempo, que estão enganando e destruindo eles, os donos da terra. Eu vi na televisão os índios xavantes em Brasília. Eles estavam querendo que o presidente ajudasse todos eles a não desaparecerem.

Fiquei muito aborrecido. Vai chegar o dia em que não vai ter mais índio no Brasil.

Nesse dia, o Brasil vai ficar bem pequenino e não vai mais ser tão bonito, porque quem faz a nação são as pessoas da terra.

Nesse dia, eu vou ficar triste para sempre. Sei que vou ficar branquinho de raiva.



 

Represente o texto com recortes e colagem

SER AFRODESCENDENTE

Recursos didáticos:

  • Papel sulfite, revistas ,pincel, tesoura, cola, retalhos coloridos, lápis de cor, tinta guache, barbante, dicionário ,mapa-múndi e jornal.

AVALIAÇÃO:

_ Através do mural, verificar a criatividade e se o aluno compreendeu o conteúdo da aula.

_ Observar o desenvolvimento da criatividade e produção da escrita dos alunos.

_ Por meio dos registros, debates e opiniões a cada atividade em grupo.

Referências:


Disponível em: http://faueduinfantil1.blogspot.com.br/2011/10/ninguem-nasce-odiando-outra-pessoa-pela.html

Sourient,Lilian/interagindo com história _São Paulo: Editora do Brasil, 2004.

Baixar 1.64 Mb.

Compartilhe com seus amigos:




©historiapt.info 2022
enviar mensagem

    Página principal