Síndrome de Guilliain-Barré ➢ Conceito



Baixar 354.96 Kb.
Pdf preview
Página1/3
Encontro02.08.2022
Tamanho354.96 Kb.
#24423
  1   2   3
1634357591616a51578d620



Síndrome de Guillain-Barré 
RESUMOS 



Síndrome de Guilliain-Barré
Conceito: 
o A síndrome de Guillain-Barré é um distúrbio inflamatório progressivo do sistema 
nervoso periférico, e caracteriza-se por paralisia flácida acompanhada por 
parestesia e dor — dor muscular e dor em queimação intensa e incessante.
o A incidência anual da síndrome de Guillain-Barré é de 1 a 2 casos por 100.000, 
sendo mais frequente nos homens entre 16 e 25 anos de idade e entre 45 e 60 
anos (Palmieri, 2005).
o A síndrome de Guillain-Barré é um ataque autoimune à mielina dos nervos 
periféricos.
o O resultado consiste em rápida desmielinização segmentar aguda dos nervos 
periféricos e de alguns nervos cranianos. 
o Produzindo fraqueza ascendente com discinesia (incapacidade de executar 
movimentos voluntários), hiporreflexia e parestesias (dormência).
o As manifestações clínicas iniciais são desencadeadas por um evento precipitante 
(mais frequentemente uma infecção viral) (Palmieri, 2005). 
o Os agentes infecciosos mais comuns que estão associados ao desenvolvimento da 
síndrome de GuillainBarré consistem em Campylobacter jejuni, citomegalovírus, 
vírus Epstein-Barr, Mycoplasma pneumoniae, H. influenzae e HIV. 
o Os resultados de estudos sobre as taxas de recuperação diferem, porém a maioria 
indica que 60 a 75% dos pacientes recuperam-se por completo.
o Em 20 a 25% dos pacientes, ocorrem déficits residuais de grau variável.
o Os déficits residuais têm mais tendência a ocorrer em pacientes com rápida 
progressão da doença, naqueles que necessitam de ventilação mecânica e 
naqueles com 60 anos de idade ou mais.
o Ocorre morte em 5% dos casos, em consequência de insuficiência respiratória, 
disfunção autônoma, sepse ou embolia pulmonar (Mazzoni, et al., 2006). 
Manifestações Clínicas 
o O evento precipitante ocorre habitualmente 2 semanas antes do início dos 
sintomas. 
o A duração dos sintomas é variável. 
o A recuperação funcional completa pode levar até 2 anos.
o Quaisquer sintomas residuais são permanentes e refletem a lesão axônica em 
decorrência da desmielinização.
o O paciente apresenta inicialmente fraqueza simétrica, diminuição dos reflexos e 
progressão ascendente da fraqueza motora.
o A apresentação é variável e pode incluir taquicardia, bradicardia, hipertensão ou 
hipotensão ortostática.
o Os sintomas de disfunção autônoma ocorrem e regridem rapidamente.
o A síndrome de Guillain-Barré não afeta a função cognitiva nem o nível de 
consciência. 
o Tipicamente, a síndrome de Guillain-Barré começa com fraqueza muscular e 
diminuição dos reflexos dos membros inferiores.
o A hiporreflexia e a fraqueza podem progredir para a tetraplegia.



o A desmielinização dos nervos que inervam o diafragma e os músculos intercostais 
resulta em insuficiência respiratória neuromuscular.
o Os sintomas sensoriais consistem em parestesias das mãos e dos pés e dor 
relacionada com a desmielinização das fibras sensoriais. 
o A desmielinização de nervos cranianos pode resultar em uma variedade de 
manifestações clínicas.
o A desmielinização do nervo óptico pode levar à cegueira.
o A fraqueza muscular bulbar relacionada com a desmielinização dos nervos 
glossofaríngeo e vago resulta em incapacidade de deglutir ou de eliminar as 
secreções.
o A desmielinização do nervo vago provoca disfunção autônoma, que se manifesta 
por instabilidade do sistema cardiovascular.
Diagnóstico 
o O diagnóstico é sugerido por uma história de doença viral nas semanas anteriores. 
o Os exames laboratoriais séricos não são úteis para o diagnóstico. 
➢ 

Baixar 354.96 Kb.

Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3




©historiapt.info 2023
enviar mensagem

    Página principal