Se liga na língua: literatura, produção de texto, linguagem


Malagueta, Perus e Bacanaço



Baixar 11.7 Mb.
Página81/665
Encontro29.07.2021
Tamanho11.7 Mb.
#16612
1   ...   77   78   79   80   81   82   83   84   ...   665
Se liga na l ngua literatura, produ o de texto, linguagem
Malagueta, Perus e Bacanaço (1963), de João Antônio
Por que ler: Nas narrativas presentes nessa obra, João Antônio apresenta um retrato fiel e comovente da malandragem paulistana dos anos 1960.

Raízes do samba (1999), de Cartola
Por que ouvir: A musicalidade-símbolo dos malandros, o samba, encontra um fino lirismo romântico nas canções de Cartola reunidas nessa coletânea.

O cheiro do ralo (2002), de Lourenço Mutarelli
Por que ler: Em seu romance de estreia, Mutarelli faz um retrato da alma humana, de maneira cínica, mas bem-humorada.

Rio (2011) e Rio 2 (2014), de Carlos Saldanha
Por que assistir: As diversas aventuras da arara-azul Blue se passam em uma floresta no Rio de Janeiro e depois na Amazônia, revelando uma visão romântica do diretor.
Página 59

FIGURA EM PÁGINA DUPLA COM A PÁGINA ANTERIOR.


Página 60

UNIDADE 3 REALISMO-NATURALISMO: CRÍTICA E COMBATE

Até que ponto a arte pode reproduzir a realidade? Aliás, seria essa a sua função?

A obra reproduzida na página ao lado foi criada pela estadunidense Alyssa Monks, nascida em 1977. Em seus trabalhos, a pintora retrata, em geral, mulheres por trás de vidros — de tão realistas, essas pinturas a óleo parecem fotografias, cada pincelada buscando reproduzir fielmente vidro, água, vapor, olhos, textura da pele.

De forma semelhante, mas com propósitos críticos e transformadores, o movimento realista-naturalista, desenvolvido em fins do século XIX, procurou captar a realidade à sua volta o mais fielmente possível.

Nesta unidade e na próxima, você conhecerá uma escola literária que não somente se ocupou de observar e reproduzir a realidade, como também de analisá-la e de experimentá-la para, eventualmente, transformar o mundo.


Página 61

ACERVO DA ARTISTA

MONKS, Alyssa. Absorb. 2015. Óleo sobre linho, 142,24 × 142,24 cm.
Página 62

CAPÍTULO 3 - REALISMO-NATURALISMO: LITERATURA EM DIÁLOGO COM A CIÊNCIA



Milhares de sites são criados e desativados diariamente. Por essa razão, é possível que os endereços indicados neste capítulo não estejam mais disponíveis.

PERCURSO DO CAPÍTULO



- Realismo: arte, ciência e filosofia
- Marxismo, positivismo, determinismo e darwinismo
- Principais características do Realismo
- Naturalismo: tendência do Realismo
- Émile Zola
- O Realismo em Portugal: Eça de Queirós


RONALDO GUTIERREZ/CIA. A MÁQUINA

Cena de A máquina Tchékhov, de Matéi Visniec, em montagem do grupo Cia. A Máquina (São Paulo, 2005). No espetáculo, o dramaturgo russo Anton Tchékhov (1860-1904), um dos maiores representantes do teatro realista, é o personagem principal, que, doente, recebe a visita de seus protagonistas mais famosos.
Página 63

Pra começar: conversa com a tradição

De que tipo de literatura você mais gosta? Daquela que o faz viajar para outros mundos? Ou sua predileção é por uma literatura crítica, que o convide a perceber e, quem sabe, transformar a realidade?

Neste conto da paulistana Beatriz Bracher, o real invade a ficção e perturba o leitor, como você verá a seguir.




Baixar 11.7 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   77   78   79   80   81   82   83   84   ...   665




©historiapt.info 2022
enviar mensagem

    Página principal