Se liga na língua: literatura, produção de texto, linguagem


a) Atividades complementares



Baixar 11.7 Mb.
Página562/665
Encontro29.07.2021
Tamanho11.7 Mb.
#16612
1   ...   558   559   560   561   562   563   564   565   ...   665
Se liga na l ngua literatura, produ o de texto, linguagem
a) Atividades complementares

I. Atividade interdisciplinar – Arte e História

O capítulo 1 de Literatura é aberto com a reprodução de A jangada do Medusa (1818), de Théodore Géricault. Com o auxílio do professor de Arte, peça aos alunos que observem atentamente a pintura a óleo. Convide-os a falar coletivamente sobre o que estão vendo: na tela romântica, o naufrágio real do navio francês Medusa é retratado de maneira dramática; nele, a força da natureza aparece grandiosa diante da fragilidade humana, representada pela jangada improvisada e por figuras desesperadas que acenam inutilmente para um minúsculo navio no horizonte. Se possível, com o auxílio do professor de História, peça aos alunos que façam, em casa, uma pesquisa sobre o episódio real que inspirou Géricault a pintar o quadro. Segundo o site Como Tudo Funciona, “O naufrágio do navio francês Medusa é um dos exemplos mais frios de ‘cada um por si’ e foi um constrangimento enorme para o governo francês. Em 1816, o Senegal estava transferindo o controle de um de seus portos para os franceses, que enviaram o navio de passageiros Medusa como parte da frota a ser usada para supervisionar tal mudança. Quando o Medusa saiu da costa oeste da África, foi rumo ao inferno. Não havia barcos salva-vidas suficientes, e o capitão decidiu abandonar o navio. Os dignitários e oficiais de alto escalão que estavam a bordo pegaram os barcos salva-vidas, deixando todos os outros para trás, sem se importar se iriam morrer de fome ou se afogar. Uma pequena parte da tripulação ficou no navio esperando por socorro. As pessoas que estavam nos barcos salva-vidas começaram a tentar rebocá-lo, mas logo desistiram e seguiram para a costa, deixando 150 pessoas flutuando no oceano quase sem suprimentos, o que ocasionou assassinatos, suicídios e canibalismo. Depois de 13 dias, o barco foi descoberto por um navio que estava na área, e apenas 15 pessoas ainda estavam vivas” (http://pessoas.hsw.uol.com.br/naufragio1.htm). O site da Universidade de Coimbra traz um interessante estudo sobre o quadro (http://www1.ci.uc.pt/iej/alunos/1999-2000/medusa/quadro.htm). Com o auxílio do professor de Arte, fale sobre Jean-Louis André Théodore Géricault e seu quadro: o artista nasceu em 1791 e é considerado um dos maiores pintores franceses do século XIX. Em 1818, apresentou ao público sua tela mais importante, A jangada do Medusa. O pintor foi influenciado pelas esculturas de Michelangelo e pelos efeitos dramáticos de claro-escuro (o professor de Arte pode explorar essas influências retomando o Renascimento e o Barroco). Para realizar sua obra, Géricault recorreu a fontes como os relatos de dois sobreviventes do naufrágio (Savigny, um médico, e Corréard, um cartógrafo) e à leitura de um livro sobre a tragédia, que ambos escreveram. Géricault também chegou a construir uma maquete da jangada para melhor representá-la. Chame a atenção dos alunos para alguns detalhes: o mar aparece muito pouco na tela; Jean Charles, o homem negro que acena no ponto mais alto do quadro, tem músculos e aparenta boa alimentação; a barba e o cabelo dos mortos estão aparados, e não desgrenhados, elementos que sugerem a forte idealização romântica.

Depois da observação coletiva e da pesquisa, peça aos alunos que organizem as informações em um texto escrito e o entreguem para correção.

No site do Museu do Louvre, é possível ver detalhes impressionantes da obra de Géricault (http://www.louvre.fr/oeuvre-notices/le-radeau-de-la-meduse).


Baixar 11.7 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   558   559   560   561   562   563   564   565   ...   665




©historiapt.info 2022
enviar mensagem

    Página principal