Se liga na língua: literatura, produção de texto, linguagem


Classificação dos verbos quanto à flexão



Baixar 11.7 Mb.
Página430/665
Encontro29.07.2021
Tamanho11.7 Mb.
1   ...   426   427   428   429   430   431   432   433   ...   665
Classificação dos verbos quanto à flexão

A flexão da maior parte dos verbos não implica mudanças em seu radical, que permanece o mesmo em todas as formas. Observe a permanência do radical do verbo cantar, por exemplo, em canto, cantaste, cantava, cantáramos, cantareis, cantáreis, cantaríeis,cantariam, cante, cantássemos, cantarem, etc. Trata-se de um verbo regular.


Página 295

O radical do verbo poder, porém, sofre alterações. Veja como variam as formas da 1ª pessoa do singular:



Indicativo




Presente

posso




Pretérito perfeito

pude




Pretérito imperfeito

podia




Pretérito mais-que-perfeito

pudera




Futuro do presente

poderei




Futuro do pretérito

poderia







Subjuntivo




Presente

possa




Pretérito imperfeito

pudesse




Futuro

puder

Poder é um verbo irregular. Também são irregulares os que apresentam variações nas desinências, como estar ou haver, que não seguem o modelo de suas conjugações. Compare:

1ª conjugação




cantar

canto

cantou

cante




estar

estou

esteve

esteja







2ª conjugação




vender

vendo

vendeu

venda




haver

hei

houve

haja

Para saber se um verbo é regular, basta conjugá-lo no presente do indicativo e no pretérito perfeito do indicativo. Se ele seguir o modelo da conjugação a que pertence, ocorrerá o mesmo com os demais tempos.

Os verbos classificam-se, ainda, em defectivos e abundantes.

São chamados verbos defectivos os que não se conjugam em todas as formas. Não estão dicionarizadas, por exemplo, as formas (eu) demolo, de demolir, ou (eu) explodo, de explodir. No verbo precaver, ocorrem apenas as formas cuja vogal tônica não está no radical. Assim, temos (nós) precavemos, mas não (eu) precavo.

Outro exemplo é reaver, cujo sentido é “recuperar”: segue o modelo do verbo haver, mas é usado só nas formas que contêm a letra v. Desse modo, ocorre a forma (nós) reavemos, que segue (nós) havemos, mas não a forma paralela a (ele) há – não existe (ele) reá.

Quanto aos verbos abundantes, são os que dispõem de duas ou mais formas equivalentes. Esse fenômeno ocorre com mais frequência no particípio, uma das formas nominais do verbo. Em geral, os particípios terminam em -ado ou -ido (começado, prometido), formas chamadas regulares. Mas há casos de formações irregulares, como ocorre com escrito ou aberto. Compare o uso de salvo e salvado na notícia a seguir.

Verbos que apresentam irregularidades profundas no radical, como ser, ir, haver e pôr, são classificados pela NGB como anômalos. Contudo, muitos especialistas os têm citado no conjunto dos irregulares. Se considerar necessário, comente essa distinção com os alunos.

No capítulo 18 deste volume, aprofundaremos o estudo dos particípios e dos auxiliares que os antecedem. Por enquanto, basta observar aos alunos que o auxiliar ter costuma acompanhar a forma regular do particípio, e ser, a forma irregular.

Lucas salvou o melhor amigo Todd de uma morte certa

O cão do agente norte-americano está a emocionar as redes sociais por ter salvado a vida do dono.

Todd Frazier, agente do Hancock County Sheriff’s Office, no Mississipi, foi salvo graças ao seu melhor amigo Lucas, um cão. [...]

Publicada em: 27 maio 2015. Disponível em: . Acesso em: 25 nov. 2015. (Fragmento adaptado).

HANCOCK COUNTY SHERIFF’S OFFICE


Página 296

Refletindo sobre a língua



1 Leia esta notícia a respeito de uma importante descoberta arqueológica em Minas Gerais.

Fóssil de dinossauro é encontrado em obra no Triângulo Mineiro

As obras de construção de um condomínio de oito torres na região central de Uberaba, no Triângulo Mineiro, revelaram bem mais do que terra e pedras.

Fósseis de um dinossauro de grande porte, com idade estimada em 80 milhões de anos e que pode ser de uma espécie desconhecida, serão desenterrados nos próximos dias.

Costelas, vértebras, tíbia e ossos da cintura do animal já foram identificados. Segundo os pesquisadores, o estado de preservação indica que o material craniano ainda pode estar enterrado na rocha. As escavações continuam até a próxima semana.

[...]

BARCELOS, Gisele. Publicada em: 2 jul. 2015. Disponível em: . Acesso em: 25 nov. 2015. (Fragmento).



a) O tempo presente é o preferido para a formulação de títulos de notícias. Que tempo ele está substituindo nesse caso?

O pretérito perfeito do indicativo (foi encontrado).

b) Que efeito é obtido pelo uso do presente do indicativo no texto da notícia?

O presente do indicativo reforça a ideia de atualidade da notícia.

c) Os processos verbais expressos pelas locuções serão desenterrados e foram identificados são anteriores, simultâneos ou posteriores ao momento de escrita do texto?

Serão desenterrados: processo posterior;
foram identificados: processo anterior.

d) Que palavras ou expressões reforçam a noção de tempo indicada por essas locuções verbais?

A ideia de futuro de serão desenterrados é reforçada por nos próximos dias; a de passado de foram identificados é reforçada por .

e) Que sentido é expresso pelo verbo poder na locução contida em “que pode ser uma espécie desconhecida”? Justifique.

O verbo poder expressa incerteza; os cientistas têm a hipótese de que se trata de uma espécie desconhecida, mas ainda não a provaram.

f) Se, na oração “que pode ser uma espécie desconhecida”, fosse introduzido o advérbio talvez, que forma verbal substituiria a locução pode ser? Que modo verbal seria empregado e por quê?

A locução seria trocada por seja, no modo subjuntivo, que indica que o conteúdo do enunciado é incerto.

2 Leia a tirinha a seguir, cujo tema é a internet.

NEWTON FOOT



a) A forma verbal recorre está no presente do indicativo, mas o processo expresso por ela não se refere apenas ao momento da fala. Que noção de tempo é indicada pelo presente nesse contexto?

O tempo presente expressa a ideia de ação habitual, iniciada no passado e mantida no presente.

b) Que outra forma verbal poderia substituir recorre para explicitar essa mesma relação temporal?

As locuções tem recorrido, vem recorrendo ou está recorrendo.
Página 297

c) Que pessoa do discurso é indicada pela forma verbal funcionas?

A 2ª pessoa do singular (tu).

d) Considerando o contexto, explique a escolha dessa pessoa gramatical.

A flexão do verbo na 2ª pessoa do singular sugere um discurso mais formal, que se justificaria por tentar uma comunicação com algo “divino”, já que a internet é tratada como um oráculo.

e) O humor da tira está relacionado ao paralelismo criado entre o passado e o presente. Segundo a tirinha, o que os une e o que os separa?

O passado e o presente mostram, em comum, a dependência humana em relação aos oráculos. A diferença está no fato de que os oráculos atuais, as páginas da internet, dariam as respostas esperadas, algumas delas relativas às suas próprias falhas de funcionamento.

3 Leia esta HQ.

FÁBIO MOON E GABRIEL BÁ/FOLHAPRESS



a) A que pessoa do discurso se referem as formas verbais dos quadrinhos horizontais?

À 3ª pessoa do singular.

b) É possível reconhecer, no contexto dos quadrinhos, os sujeitos desses verbos? Justifique.

Os sujeitos seriam os personagens que aparecem (ou são sugeridos) nas ilustrações.

c) No contexto dessa HQ, a quem deve ser associada a figura do dinossauro no último quadrinho?

O dinossauro representaria todas essas pessoas de hábitos antiquados, que mandam cartas pelo correio, carregam talão de cheques, etc.

d) Como deve ser interpretada a fala desse animal pré-histórico?

Uma das teorias mais aceitas para a extinção dos dinossauros indica que ela ocorreu devido à queda de um meteoro. Ao afirmar que seu “meteoro” ainda não chegou, o personagem sugere que alguns comportamentos aos moldes antigos ainda sobrevivem.

e) Que morfema deveria ser acrescentado às formas verbais que aparecem nos quadrinhos horizontais para que exprimissem a 3ª pessoa do plural?

A desinência -m.

f) Explique o que mudaria na mensagem da HQ se tal alteração fosse feita.

A referência no singular particulariza o comportamento, mostrando-o como algo raro; o uso do plural levaria à percepção de que muitas pessoas ainda guardam comportamentos mais antigos, o que contraria a ideia da HQ.

Formação dos tempos simples

Você conhece o conto “Fita verde no cabelo”, de Guimarães Rosa? Ele começa assim:

Havia uma aldeia em algum lugar, nem maior nem menor, com velhos e velhas que velhavam, homens e mulheres que esperavam, e meninos e meninas que nasciam e cresciam.

Todos com juízo, suficientemente, menos uma meninazinha, a que por enquanto. Aquela, um dia, saiu de lá, com uma fita verde inventada no cabelo.

[...]

ROSA, João Guimarães. Fita verde no cabelo: nova velha estória. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1992. (Fragmento).


Página 298

1 Por que o início dessa história lembra os contos de fadas tradicionais?

Porque não define o lugar nem o tempo em que se passa a história.

2 Uma das marcas da prosa de Guimarães Rosa são as inovações de linguagem que propõe. Como você entendeu a expressão “a que por enquanto”?

Sugestão de resposta: O narrador sugere que os demais habitantes da aldeia tinham juízo, exceto a menina, que ainda não o desenvolvera, ou propõe que não se estenderá na apresentação da personagem nesse momento.

3 No primeiro parágrafo, um dos verbos é um neologismo. Qual? Que sentido ele tem no texto?

O verbo velhar é um neologismo usado para descrever a rotina habitual dos idosos.

Você deve ter percebido que a palavra inventada por Guimarães Rosa é um verbo, em virtude de sua terminação. Há nele uma vogal temática e desinências que marcam a 3ª pessoa do plural e o pretérito imperfeito do indicativo. Trata-se de um verbo regular, que segue o modelo de conjugação de outros terminados em -ar, por isso o reconhecemos com facilidade.

Veremos, na sequência, como se formam os tempos simples dos verbos regulares. Os tempos simples são aqueles constituídos por uma única palavra (imaginou, crescerei), em oposição aos tempos compostos (tenho imaginado, terei crescido). Alguns deles são chamados tempos primitivos, porque originam outros tempos. É o caso do presente do indicativo, do pretérito perfeito do indicativo e do infinitivo impessoal.

A seguir, você encontrará exemplos das três conjugações regulares e informações sobre a formação dos tempos.



Presente do indicativo

amo

amas

ama

amamos

amais

amam

vendo

vendes

vende

vendemos

vendeis

vendem

parto


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   426   427   428   429   430   431   432   433   ...   665


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal