Se liga na língua: literatura, produção de texto, linguagem



Baixar 11.7 Mb.
Página421/665
Encontro29.07.2021
Tamanho11.7 Mb.
1   ...   417   418   419   420   421   422   423   424   ...   665
Cidades “famosas”

O país conta ainda com homônimas de cidades famosas no mundo. É possível, por exemplo, conhecer Barcelona (RN), Buenos Aires (PE) e Nova Iorque (MA) sem ter que viajar para fora do Brasil. Também não é necessário tirar passaporte para visitar “países” como Equador (RN), Colômbia (SP), Costa Rica (MS), Macedônia (SP) e Tailândia (PA).

Patrícia diz que, nesses casos, a nomeação obedece a “diferentes critérios”. “Já vi uma reportagem com o prefeito de Nova Iorque dizendo que esperava que o nome impactasse no crescimento da cidade, como se houvesse uma relação mágica. Então pode existir uma vontade de vir a ser. Em outros casos, pode ser uma homenagem. No caso de Osasco (SP), o fundador, Antonio Agu, era da cidade de Osasco, na Itália, e quis fazer uma deferência à terra natal.”

[...]


ARTE: MARCEL LISBOA/FOTOS: UNSPLASH – CREATIVE COMMONS LICENSE – CC BY 4.0


Página 286

Expressão coletiva



Banco de nomes

Há três anos, o IBGE criou o Banco de Nomes Geográficos do Brasil. Além das cidades, há vilas, povoados e outros nomes geográficos do país com a história e um mapa cartográfico de cada um. Em processo de construção, ele já conta com 55 mil registros.

“O estudo dos processos de denominação e das origens e motivações dos nomes geográficos, bem como a valorização, preservação e divulgação do conhecimento sobre o conjunto de nomes geográficos de um país, é uma grande contribuição para a soberania deste e para o conhecimento de sua cultura e história, contribuindo para uma maior autoestima de seus cidadãos”, afirma a pesquisadora Vania Nagem, do Centro de Referência em Nomes Geográficos do órgão.

Segundo ela, “é possível identificar padrões de produção econômica e até o tipo de vegetação existente em determinada época em determinado local”. “Como ilustração, dá para citar a grande variedade de nomes relativos ao tropeirismo ao longo das rotas dos tropeiros no Sul do Brasil, em São Paulo e em Minas Gerais.”

Patrícia, da USP, concorda que a importância do nome vai além. “É muito mais que um dado identificador, que é sua função primeira. Eu luto para firmar no Brasil o conceito de considerar o nome do lugar como uma herança cultural imaterial. Nele existe não apenas o modo como o povo enxergava aquele local há séculos, mas marcas de morfologia, de oralidade. É um patrimônio, como o folclore, a música”, diz.

REIS, Thiago. Publicado em: 28 abr. 2014. Disponível em: . Acesso em: 26 out. 2015. (Fragmento).



ARTE: MARCEL LISBOA/FOTOS: PIXABAY – CREATIVE COMMONS LICENSE – CC BY 4.0


Página 287

Em grupos, procurem responder às seguintes perguntas.





Compartilhe com seus amigos:
1   ...   417   418   419   420   421   422   423   424   ...   665


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal