Ronaldo vainfas



Baixar 0.68 Mb.
Página199/644
Encontro08.10.2019
Tamanho0.68 Mb.
1   ...   195   196   197   198   199   200   201   202   ...   644
Guerra e canibalismo

A guerra era um dos pontos mais importantes da cultura tupi. As aldeias eram circundadas por paliçadas de mais de três metros de altura. O arco e flecha era a arma principal. Muitos grupos nativos viviam em guerra, que tinha importante papel na formação das famílias e na identidade do grupo. Os homens só podiam se casar quando tivessem feito um prisioneiro de guerra; assim, os melhores guerreiros possuíam várias esposas.

O principal objetivo da guerra era fazer prisioneiros, para depois executá-los em uma cerimônia tribal. Os Tupinambá não guerreavam entre si por territórios ou riquezas. Guerreavam para fazer prisioneiros e comê-los, vingando-se dos parentes comidos pelos rivais e absorvendo, no rito antropofágico, a força do inimigo. Assim, reforçavam a identidade cultural do grupo.

O cotidiano dos grupos tupis só era interrompido com a chegada dos grandes pajés, os chamados pajés-açu, pregadores itinerantes aos quais se atribuía o poder de falar com os mortos. Esses pajés tinham o privilégio de circular entre as diferentes aldeias e invocar os ancestrais. Eles eram sempre recebidos com grandes festas, em que fumavam tabaco, chamado petim, e entravam em transe.

Glossário:

Pajés - curandeiros, na cultura tupinambá, aos quais, em certos casos, se atribuíam poderes místicos e mágicos.

Fim do glossário.

132

Atenção professor: Mostrar aos estudantes que os significados e as motivações da guerra entre os povos tupis eram fundamentalmente de tipo cultural, e não econômico ou político. O sentimento de vingança era um reforço da identidade grupal, cuja cerimônia máxima era o ritual antropofágico. Fim da observação.



Passavam então a narrar os feitos dos heróis míticos, contando como Tupã, o trovão, avisara Tamandaré do dilúvio, e de como este se refugiara com sua mulher no topo da mais alta palmeira da Terra, dando origem aos tupinambás. Falavam também da necessidade de todos buscarem o que chamavam de Terra sem Males, um paraíso onde as mulheres nunca envelheciam, as flechas caçavam sozinhas e ninguém precisava plantar os alimentos.

INVESTIGANDO O DOCUMENTO




Catálogo: editoras -> liepem18 -> OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> HISTORIA%20VAINFAS%201%20AO%203º%20ANO%20-%20EDITORA%20SARAIVA
OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> Oficina de história: volume 1
OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> Gilberto Cotrim Bacharel e licenciado em História pela Universidade de São Paulo Mestre em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Mackenzie Professor de História e advogado Mirna Fernandes
OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> Geografia Espaço e identidade Levon Boligian, Andressa Alves 3 Componente curricular Geografia
OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> Manual do professor
OBRAS%20PNLD%202018%20EM%20EPUB -> Manual do Professor História Global
HISTORIA%20VAINFAS%201%20AO%203º%20ANO%20-%20EDITORA%20SARAIVA -> Ronaldo vainfas
HISTORIA%20VAINFAS%201%20AO%203º%20ANO%20-%20EDITORA%20SARAIVA -> Ronaldo vainfas
HISTORIA%20VAINFAS%201%20AO%203º%20ANO%20-%20EDITORA%20SARAIVA -> Ronaldo vainfas


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   195   196   197   198   199   200   201   202   ...   644


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal