Revista da sociedade portuguesa de medicina interna


P32 EXCRESCÊNCIAS DE LAMBL E AVC CRIPTOGÉNICO



Baixar 2.41 Mb.
Pdf preview
Página91/155
Encontro20.06.2021
Tamanho2.41 Mb.
1   ...   87   88   89   90   91   92   93   94   ...   155
P32

EXCRESCÊNCIAS DE LAMBL E AVC CRIPTOGÉNICO

Carla Rebelo, Cátia Figueiredo, Sara Silva, Joana Lemos, 

Alexandra Vaz, Miguel Ferreira, António Monteiro

Hospital de S. Teotónio, Centro Hospitalar de Tondela Viseu 

 

Introdução: Os AVC’s criptogénicos correspondem a cerca de 



25% dos AVC’s, sendo maioritariamente causados por even-

tos trombo-embólicos. Contudo existem várias entidades que 

podem ser responsáveis por estes eventos. As excrescências 

de Lambl são formações filiformes presentes nas válvulas car-

díacas que promovem a formação de microtrombos na sua 

superfície, podendo estes embolizar à distância.

Caso Clínico: Homem de 63 anos, com antecedentes de dia-

betes, hipertensão, dislipidemia, AVC isquémico no território da 

artéria cerebral posterior e estenose da artéria carótida interna 

(ACI) esquerda (50-60%). Recorreu ao Serviço de Urgência por 

cefaleias occipitais, náuseas e alterações visuais. À admissão 

estava hipertenso e apresentava discreta queda e pronação 

do membro superior direito e queda do membro inferior es-

querdo na prova de Mingazzini. Na Tomografia Computadori-

zada (TC) inicial não eram evidentes lesões isquémicas agudas. 

Admitido em internamento, realizou nova TC que demonstrou 

dois focos hipodensos lenticulo-capsular e talâmico à direita. 

Analiticamente a destacar dislipidemia mista e hemoglobina 

glicosilada de 7.8%. O ecodoppler dos vasos do pescoço evi-

denciou estenose da ACI esquerda (50-60%). Ecocardiograma 

sem alterações de relevo e holter em ritmo sinusal. Realizou 

ecocardiograma transesofágico que identificou excrescências 

de Lambl na válvula aórtica e um foramen oval patente. Assim, 

admitiu-se que estes achados poderiam explicar o quadro clíni-

co do doente. Após discussão do caso clínico com os colegas 

de Cardiologia, foi decidido iniciar hipocoagulação com varfa-

rina. À data de alta o doente encontrava-se sem défices. Foi 

feito ajuste terapêutico para otimizar o controlo dos fatores de 

risco cardiovascular e encaminhado para consulta de Medicina 

Interna.


Discussão e Conclusões: As excrescências de Lambl são ge-

ralmente assintomáticas, mas podem originar AVCs isquémi-

cos. Uma vez excluídas as principais causas, a realização de 

ecocardiograma transesofágico permite o seu diagnóstico. A 

hipocoagulação com varfarina está recomendada nos doen-

tes sintomáticos. Se, apesar desta, ocorrerem novos eventos 

isquémicos, deve ser ponderada a excisão cirúrgica. É impor-

tante pensar nas excrescências de Lambl como uma possível 

causa de AVC criptogénico, pelo que a realização de ecocar-

diograma transesofágico deve ser incluída em doentes selecio-

nados. O tratamento destes doentes é ainda alvo de grande 

discussão.






Compartilhe com seus amigos:
1   ...   87   88   89   90   91   92   93   94   ...   155


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal