Rev. Sobecc, SÃo paulo. Out./Dez. 2021; 26(4): 197-198 cuidar de si para cuidar do outro



Baixar 94.71 Kb.
Pdf preview
Página1/2
Encontro26.07.2022
Tamanho94.71 Kb.
#24362
  1   2
773-Texto do Artigo-4507-4140-10-20220408


| EDITORIAL |
|
197 |
REV. SOBECC, SÃO PAULO. OUT./DEZ. 2021; 26(4): 197-198
CUIDAR DE SI PARA CUIDAR DO OUTRO
EM TEMPOS DE PANDEMIA

palavra cuidar tem como significado o ato de tratar, assis-
tir, tomar conta, assumir a responsabilidade, dar atenção 
a algo ou a alguém
1
. Representa, para a Enfermagem, 
o conteúdo que dá sentido ao exercício da profissão, sendo 
considerada uma das premissas que nos acompanham desde 
a formação acadêmica até o desenvolvimento de habilidades 
e competências ao longo da carreira, aparecendo ora como 
algo subjetivo, ora como algo objetivo.
Historicamente, a Enfermagem foi contemplada por 
vários desafios, passando do período da Enfermagem Antiga, 
baseada pela prática, para a Moderna, baseada na ciência
2

Com a chegada da severe acute respiratory syndrome coronavi-
rus
2 (SARS-CoV-2), novos desafios surgem dia após dia, nos 
conduzindo a reflexões e pensamentos.
Em janeiro de 2020, a Organização Mundial da Saúde 
(OMS) declarou um surto de coronavirus disease 2019 (COVID-
19), alertando para o alto risco de transmissão para os paí-
ses. Em março do mesmo ano, caracteriza esse surto como 
uma pandemia, gerando estresse na maioria da população, 
bem como nos profissionais da saúde
3
. Vários foram os fato-
res que contribuíram para deixar a população em um cená-
rio cheio de incertezas, diante da pandemia e das questões 
político-sociais
4
. Situações relacionadas às condições desfa-
voráveis ao trabalho, como dimensionamento de pessoal 
inadequado para a elevada complexidade dos cuidados de 
pacientes infectados, remuneração inadequada, escassez ou 
baixa qualidade dos equipamentos de proteção individual e 
outras situações do dia a dia de trabalho dos profissionais de 
Enfermagem, foram intensificadas com o início e o decorrer 
da pandemia. Fatores como esses contribuem para elevar o 
nível de esgotamento mental e físico, proporcionando alte-
rações orgânicas nos profissionais da saúde
5
.
Recomendações foram elaboradas, reunidas e publicadas 
para direcionar e apoiar a população, bem como os profis-
sionais da saúde que atuam na linha de frente cuidando de 
pacientes com COVID-19
3
.
https://doi.org/10.5327/Z1414-4425202100040001
Estratégias gerenciais e coletivas, como escuta terapêu-
tica, acolhimento psicológico, redes de apoio com uso de 
ferramentas digitais, ganharam protagonismo no manejo 
do sofrimento psíquico
6
.
A prática do autocuidado, a meditação, o autoconheci-
mento e o enfrentamento às possibilidades de adoecimento 
foram constituídos e continuam sendo oferecidos e aplica-
dos para minimizar as consequências ocasionadas por este 
período. Portanto, são suportes que devem estar à disposição 
dos profissionais da saúde.
Trazer à consciência a necessidade do cuidado de si já era 
considerado um assunto de proporção importante para as 
pessoas, mas, no momento atual, tornou-se fundamental para 
a sobrevivência. Apesar dos desafios vividos e vencidos até 
agora, permanecemos em um cenário de incertezas quanto 
ao fim do período pandêmico, devido ao aparecimento de 
novas variantes.
As práticas para o cuidado de si tornaram-se essenciais 
para o enfrentamento de situações às quais constantemente 
estamos expostos e servem de medidas protetivas para evi-
tar adoecimento psíquico e físico
7
.
Para além das práticas sugeridas e oferecidas em apoio 
aos profissionais de saúde, cabe ressaltar que cuidar de si 
é um ato inerente a cada um, requer clareza de ideias e de 
ações para que, de fato, haja mudanças na melhoria da qua-
lidade de vida. Para que isso aconteça, são necessárias atitu-
des organizadas, como:
• 
Planejar o cuidado de si todos os dias, assim conse-
guirá introduzir hábitos mais saudáveis na sua rotina;
• 
Administrar seu tempo para conseguir realizar o que, 
de fato, irá melhorar seu bem-estar;
• 
Elaborar o próprio cardápio com comidas mais sau-
dáveis e que goste de comer;
• 
Ser mais seletivo com as informações recebidas;
• 
Reservar um tempo de qualidade para fazer o que 
gosta ou para não fazer nada;


|
198 |
REV. SOBECC, SÃO PAULO. OUT./DEZ. 2021; 26(4): 197-198
XX TODOS OS AUTORES (ABREVIADOS) XX
• 
Praticar exercícios físicos e caminhadas, que contri-
buem para manter a saúde física e mental;
• 
Prezar pela qualidade do sono, pois horas de sono bem-
-dormidas acalmam a mente e renovam as energias;
• 
Ser gentil e prudente no ambiente de trabalho; isso 
criará apoio mútuo entre você e seus pares;
• 
Perceber situações geradoras de conflitos, assim 
poderá conduzir com assertivamente a tomada 
de decisão;
• 
Manter-se atualizado em relação aos processos de tra-
balho, para ter segurança na execução das atividades;
• 
Identificar sinais de doença física e/ou psíquica e 
procurar ajuda.
“‘Ter cuidados consigo’: esse princípio do cuidado de si 
é o princípio que fundamenta a sua necessidade, comanda o 
seu desenvolvimento e organiza a sua prática”
8
.
Para cuidar do outro é necessário assumir a responsabi-
lidade de cuidar de si e, para que isso aconteça, precisamos 
passar por um processo de transformação pessoal, consti-
tuído por um conjunto de atitudes e práticas do sujeito para 
si mesmo, em busca de uma forma de vida mais harmônica 
e saudável. O fazer consciente gera resultados conscientes, 
saudáveis e melhores para a qualidade de vida de quem cuida 
e de quem é cuidado.

Baixar 94.71 Kb.

Compartilhe com seus amigos:
  1   2




©historiapt.info 2022
enviar mensagem

    Página principal