Redalyc. O teste de 1rm para prediçÃo da carga no treino de hipertrofia e sua relaçÃo com número máximo de repetiçÕes executadas



Baixar 74.66 Kb.
Pdf preview
Página12/14
Encontro03.06.2021
Tamanho74.66 Kb.
1   ...   6   7   8   9   10   11   12   13   14
Brazilian Jo

urnal of Bio

m

otricity

, v. 5, n. 3, p. 168-174, 2011 (ISSN 1981-6324) 

173 

 

considera importante o controle deste tempo, pois foi ajustado no metrônomo a 60 bpm e 



contabilizado apenas a fase excêntrica dos movimentos, uma vez que nas fases 

concêntricas era solicitado ao avaliado realizar as contrações na maior velocidade 

possível. O uso de um cronômetro também foi utilizado para garantir esse controle do 

tempo programado de 3 segundos para as fases excêntricas dos movimentos.

 

Outro fator considerado importante no que se refere à confiabilidade dos instrumentos de 



pesquisa é a familiarização (WILLARDSON et al., 2006; MAZINI FILHO et al., 2010). 

Pereira & Gomes (2005), em uma pesquisa de campo sobre a importância e a influência 

da familiarização nos testes de 1RM, recomenda que se possível a amostra participe de 

dois testes de 1RM, utilizando o resultado obtido no último como parâmetro de força 

máxima daquele indivíduo. Dentre os estudos pesquisados apenas no presente estudo foi 

descrito a familiarização ao teste de 1RM como fazendo parte da metodologia. Feito 

segundo a recomendação acima, em que foram executados dois testes de 1RM, sendo o 

segundo a referência de força máxima do indivíduo. Provavelmente este cuidado tomado 

no presente estudo confere maior confiabilidade e fidedignidade aos resultados obtidos. 

No teste NMR normalmente decorre uma discrepância grande no número de repetições 

máximo e mínimo da amostra coletada. Foi o que ocorreu também no presente estudo, 

em que o mínimo cinco e o máximo onze de repetições demonstram o citado acima. 

Tamanha discrepância também foi observada no estudo de Simão et al. (2004) em que o 

número mínimo de repetições foram de seis e o máximo treze. Em ambos os estudos a 

discrepância do NMR superou 100 %. Concordando com o estudo de Chagas et al. 

(2005), estes dados demonstram que a predição de carga baseada no teste de 1RM pode 

decorrer em baixos níveis de individualização do treinamento. 

Além dos citados acima, inúmeros fatores têm interferência direta nos testes de 1RM. 

Como ativação de unidades motoras, freqüência de pulso motor, coordenação inter e 

intramuscular, estabilização postural, redução da atividade antagonista, amplitude do 

movimento, tipo e fibra muscular predominante, especificidade do treinamento e da 

prática desportiva e experiência no exercício específico (BRZYCKI, 1993; SIMÃO et al., 

2004; CHAGAS et al., 2005).    

Sendo assim podemos concluir que o teste de 1RM apresenta baixos níveis de 

individualização do treinamento, pois o mesmo percentual de 1 RM representou diferentes 

valores quando submetido ao teste de NMR. E ainda que a indicação de 80% do 1RM 

contido na literatura pesquisada não condiz com a zona de trabalho hipertrófico para a 

amostra apresentada, estando normalmente este percentual de intensidade 

correlacionando-se em uma faixa intermediária entra força pura e força dinâmica.  




Compartilhe com seus amigos:
1   ...   6   7   8   9   10   11   12   13   14


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal