Raul seixas e a performance de resistência em ‘’krig-há, bandolo!’’



Baixar 36.01 Kb.
Página7/10
Encontro30.06.2021
Tamanho36.01 Kb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ALMEIDA, E. Raul Seixas na terra da ditadura: Uma sociedade alternativa contra a sociedade obrigatória. Universidade Estadual de Maringá, p. 1-9, 2012. BITTENCOURT, T. O Raul que me contaram. São Paulo: Martin Claret, 2017.

NAPOLITANO, M. 1964: História do regime militar. São Paulo: Contexto, 2017.

NAPOLITANO, M. História & Música – história cultural da música popular. Belo Horizonte: Autêntica, 2016.

NETO, J.R. A criação de Krig-há, Bandolo!: aspectos simbólicos e mercadológicos no disco de estreia de Raul Seixas. XXVIII Simpósio Nacional de História, Florianópolis, p.1-10, 2015.

RIDENTI, M. Cultura e política nos anos 1970: o fim do ciclo das vanguardas no Brasil. Brazilian Studies Association (BRASA).

RIDENTI, M. Intelectuais e artistas brasileiros nos anos 1960/70: ‘’entre a pena e o fuzil’’. Buenos Aires: Universidade Nacional de Quilmes, 2006.

SANTOS, V. C. Sociedade Novo Aeon: Raul Seixas, contracultura e pós-modernismo. XXXII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, Curitiba, p.1-15, 2009.

SOUZA, L.M.T. Eu devia estar contente: a trajetória de Raul Santos Seixas. (Dissertação) Mestrado em Ciências Sociais. Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais, Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho – UNESP, Marília, 2011.




Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal