Questão reserva 21


Questão 7 Considere o texto 5 para contextualizar as proposições abaixo e assinale a(s) CORRETA(S)



Baixar 1.04 Mb.
Página9/17
Encontro17.03.2020
Tamanho1.04 Mb.
1   ...   5   6   7   8   9   10   11   12   ...   17
Questão 7

Considere o texto 5 para contextualizar as proposições abaixo e assinale a(s) CORRETA(S).



01.

O texto inicia com o verbo vir no modo imperativo – “Vem para o Brasil” – o que se mostra inadequado, porque esse modo verbal é usado para dar ordens, e Amina não deve obediência ao tio.

02.

A partir do trecho “na América para ver tudo isso tinha de fechar os olhos” (linhas 4 e 5) observa-se uma súbita mudança da perspectiva de Naim para a de Amina, perceptível, entre outras coisas, pelas formas verbais, que passam da segunda para a primeira pessoa do singular.

04.

Na perspectiva das personagens, Brasil, América e Líbano apresentam semelhanças e diferenças paisagísticas: os dois primeiros lugares apresentam características geográficas em comum, contrastando com o terceiro.

08.

Por uma escolha estilística da autora, a palavra “Beirute” aparece três vezes seguidas (linha 6). As duas últimas ocorrências poderiam ser substituídas pelo pronome oblíquo a – quando a perdi, esqueci-a – porque em ambos os casos “Beirute” funciona como objeto direto.

16.

Para representar o fluxo de consciência da protagonista, a autora omite sinais de pontuação. Se tivesse sido usada pontuação convencional, o trecho “como no Líbano, na América para ver tudo isso tinha de fechar os olhos” (linhas 4 e 5) poderia ser uma frase delimitada por pontos, sem alteração do sentido do texto.



01

02

03



04

05

06



07

08

09



10

11



TEXTO 6

Ainda me lembro da voz de Emilie, a matriarca. Na minha infância, eu a escutava cantar e rezar, não em árabe, sua língua materna, mas em francês, sua língua adotada. Às vezes, essa voz era abafada por outra, mais incisiva: a do meu avô, que evocava episódios de um Líbano cada vez mais distante. [...]

Ela, Emilie, tinha uns amigos que meu avô considerava esnobes e altivos. [...] Mas o velho não se importava quando Emilie citava com frequência dois amigos esquisitos e esquivos. Um deles era Armand Verne: “um homem muito imaginoso, com trejeitos de dândi e que já morou em Lisboa, Luanda e Macau antes de chegar a Manaus”. [...]

Felix Delatour, o outro amigo de Emilie, era um bretão circunspecto, quase albino, que sofria de uma enfermidade rara: o gigantismo. [...] Os amigos esnobes de Emilie não me interessavam, mas Felix Delatour e Armand Verne aguçaram minha curiosidade.


HATOUM, Milton. A natureza ri da cultura. In: A cidade ilhada: contos. São Paulo: Companhia das Letras, 2009. p. 95-102.





Compartilhe com seus amigos:
1   ...   5   6   7   8   9   10   11   12   ...   17


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal