Protocolos de Suporte Avançado de Vida



Baixar 4.3 Mb.
Pdf preview
Página646/657
Encontro06.05.2021
Tamanho4.3 Mb.
1   ...   642   643   644   645   646   647   648   649   ...   657
Protocolo Samu 192

Protocolos de Aeromédico

SUPORTE AVANÇADO DE VIDA

Este protocolo foi pautado nas mais recentes evidências científi cas disponíveis. 

Adaptações  são  permitidas  de  acordo  com  as  particularidades  dos  serviços.                 

 

Elaboração: Janeiro/2016



2/3

AERO 5 – Aspectos do manejo clínico 

AERO 5 – Aspectos do manejo clínico 

AERO 


5

• 

Tubo orotraqueal, máscaras e cilindros de oxigênio;



• 

Curativos e imobilizações;

• 

Iniciar registro de parâmetros;



• 

Fixação do paciente na prancha e esta na aeronave;

• 

O melhor posicionamento para a cabeceira da maca do paciente em relação à aeronave (posição e 



inclinação).

• 

Durante a decolagem:



• 

Não executar procedimentos e evitar verbalizações, inclusive com o paciente;

• 

Manter observação dos parâmetros do paciente. É esperado que o paciente apresente taquicardia e 



hipotensão.

• 

Durante o voo:



• 

Monitorar parâmetros do paciente e registrá-los a cada 15 minutos;

• 

Fazer uma reavaliação clínica e realizar as intervenções que se fi zerem necessárias;



• 

Atentar para os sinais e sintomas de hipóxia e outras alterações fi siológicas, decorrentes do voo, no 

paciente e equipe;

• 

No caso de paciente em ventilação mecânica, deve-se reavaliar os parâmetros do respirador após a 



aeronave atingir o nível de cruzeiro.

• 

Durante a descida e pouso: 



• 

Não executar procedimentos e evitar verbalizações, inclusive com o paciente;

• 

Atentar para sinais e sintomas de disbarismos;



• 

Fazer uma reavaliação clínica do paciente;

• 

Realizar toda a checagem conforme item 2.2.4.



Observações 

• 

Considerar os 3 “S” (protocolos PE1, PE2 e PE3).



• 

Para a contensão de secreções, sugere-se a utilização de manta aluminizada, saco plástico,

• 

curativos compressivos, oclusivos, etc.



• 

Atentar para a fi xação dos aparelhos que não estejam previamente fi xados na unidade móvel aérea.

• 

Recomenda-se que a cabeceira da maca do paciente esteja posicionada voltada para a cabine. Situações 



excepcionais deverão ser avaliadas e defi nidas pelo médico antes do transporte.

• 

Quando da não utilização de bombas de infusão, observar que o gotejamento irá ter variação signifi cativa 



na subida e na descida da aeronave. 

• 

Na avaliação da previsão de consumo de oxigênio, deverá ser observada a seguinte fórmula:



• 

Tempo de oxigênio (min) = N x Cap x 1000 x (P/150)

   

 

 



       Fluxo (L/min)

Onde:


N= quantidade de cilindros;

Cap= capacidade do cilindro em m

3

;

P= pressão medida no cilindro (kgf/m



2

).

Observações 



• 

Considerar os 3 “S” (protocolos PE1, PE2 e PE3).

• 

Para a contensão de secreções, sugere-se a utilização de manta aluminizada, saco plástico,



• 

curativos compressivos, oclusivos, etc.

• 

Atentar para a fi xação dos aparelhos que não estejam previamente fi xados na unidade móvel aérea.



curativos compressivos, oclusivos, etc.

curativos compressivos, oclusivos, etc.

• 

Recomenda-se que a cabeceira da maca do paciente esteja posicionada voltada para a cabine. Situações 



excepcionais deverão ser avaliadas e defi nidas pelo médico antes do transporte.

Recomenda-se que a cabeceira da maca do paciente esteja posicionada voltada para a cabine. Situações 

Recomenda-se que a cabeceira da maca do paciente esteja posicionada voltada para a cabine. Situações 

• 

Quando da não utilização de bombas de infusão, observar que o gotejamento irá ter variação signifi cativa 



excepcionais deverão ser avaliadas e defi nidas pelo médico antes do transporte.

excepcionais deverão ser avaliadas e defi nidas pelo médico antes do transporte.

na subida e na descida da aeronave. 

• 

Na avaliação da previsão de consumo de oxigênio, deverá ser observada a seguinte fórmula:



• 

Tempo de oxigênio (min) = N x Cap x 1000 x (P/150)

N x Cap x 1000 x (P/150)

   


 

 

       Fluxo (L/min)



Onde:

N= quantidade de cilindros;

Cap= capacidade do cilindro em m

3

;



P= pressão medida no cilindro (kgf/m

Cap= capacidade do cilindro em m

Cap= capacidade do cilindro em m

2

).



SAMU_avancado_Aero.indd   12

08/06/2016   07:57:01



1   ...   642   643   644   645   646   647   648   649   ...   657


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal