Protocolos de Suporte Avançado de Vida



Baixar 4.3 Mb.
Pdf preview
Página546/657
Encontro06.05.2021
Tamanho4.3 Mb.
1   ...   542   543   544   545   546   547   548   549   ...   657
Protocolo Samu 192

Protocolos de Emergências Pediátricas

SUPORTE AVANÇADO DE VIDA

Este protocolo foi pautado nas mais recentes evidências científicas disponíveis. 

Adaptações  são  permitidas  de  acordo  com  as  particularidades  dos  serviços.                 

 

Elaboração: Abril/2016



APed 

44

Indicação



No paciente pediátrico em hipóxia:

• 

que apresenta obstrução completa da via aérea superior e não responde aos procedimentos terapêuticos 



padronizados;

• 

quando não for possível realizar ventilação adequada com dispositivo bolsa-valva-máscara e houver 



impossibilidade de obtenção de via aérea avançada por meio de dispositivo supraglótico ou por 

intubação orotraqueal; portanto, quando não é possível intubar e não é possível ventilar;

ATENÇÃO: a punção com agulha é a técnica de cricotireoidostomia indicada para bebês e crianças de até 

10 a 12 anos.

Técnicas para realização da ventilação percutânea transtraqueal (VPT)

• 

Opção 1: VPT com dispositivo bolsa-valva-máscara conectado ao cateter por intermédio de um conector 



de cânula endotraqueal nº 3.

• 

Opção 2: VPT com dispositivo bolsa-valva-máscara conectado ao cateter por intermédio de um conector 



de cânula endotraqueal nº 7,5 acoplado a uma seringa de 3 mL. 

• 

Opção 3: VPT com tubo (mangueira) conectado à fonte de oxigênio.



Material e equipamentos

• 

Equipamento de proteção individual (EPI) obrigatório;



• 

luvas estéreis;

• 

monitor cardíaco e oxímetro de pulso;



• 

coxim de 2 a 3 cm de altura;

• 

fonte de oxigênio capaz de fornecer de 25 a 35 psi (pounds per square inch);



• 

cateter sobre agulha de grande calibre (18G - 16G);

• 

seringas: de 3 e 5 mL;



• 

antisséptico;

• 

Opção 1: dispositivo bolsa-valva-máscara e um conector de cânula endotraqueal número 3 (ID = 3 mm);



• 

Opção 2: dispositivo bolsa-valva-máscara, seringa de 3 mL e um conector de cânula endotraqueal número 

7,5 (ID = 7,5 mm);

• 

Opção 3: tubo (mangueira) para conexão com a fonte de oxigênio, com orifício lateral próximo à 



extremidade que ficará conectada ao cateter sobre agulha (Jelco

®

).



Procedimento

1. 

Montar e preparar o material: o ideal é manter o material facilmente disponível para que seja 

rapidamente montado (manter um “kit crico” em local de fácil acesso):

• 

Opção 1: desacoplar o conector da cânula endotraqueal número 3 (ID = 3 mm) e mantê-lo dentro do 



invólucro; manter o dispositivo bolsa-valva-máscara em local de fácil acesso.

• 

Opção 2: retirar o êmbolo da seringa de 3 mL e acoplar a ela o conector de uma cânula endotraqueal 



número 7,5 (ID = 7,5 mm); manter o dispositivo bolsa-valva-máscara em local de fácil acesso.

1/4

APed 44 - Técnicas avançadas de manejo das vias aéreas - Cricotireoidostomia por punção e ventilação percutânea transtraqueal (VPT)

APed 44 - Técnicas avançadas de manejo das vias aéreas - Cricotireoidostomia 

por punção e ventilação percutânea transtraqueal (VPT)

Fonte:  https://www.google.com.br/search?q=Needle+cricothyroidotomy&tbm=isch&tbo=u&source=univ&sa

=X&ved=0ahUKEwih8N-8m47LAhWFGJAKHR2NALsQsAQIHA&biw=1511&bih=749. Acesso em 23/02/16.



1   ...   542   543   544   545   546   547   548   549   ...   657


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal