Protocolos de Suporte Avançado de Vida



Baixar 12.97 Mb.
Pdf preview
Página481/657
Encontro06.05.2021
Tamanho12.97 Mb.
1   ...   477   478   479   480   481   482   483   484   ...   657
Protocolo Samu 192

Protocolos de Emergências Pediátricas

SUPORTE AVANÇADO DE VIDA

Este protocolo foi pautado nas mais recentes evidências científi cas disponíveis. 

Adaptações  são  permitidas  de  acordo  com  as  particularidades  dos  serviços.                 

 

Elaboração: Janeiro/2016



1/2

APed21 – Rebaixamento do nível de consciência

APed 

21

Quando suspeitar ou critérios de inclusão



Paciente pediátrico não reativo/irresponsivo aos estímulos externos (verbais, táteis e/ou dolorosos).

Conduta


1. 

Realizar a impressão inicial, com ênfase para responsividade e padrão respiratório.



2. 

Se o paciente não responde, avaliar a expansibilidade torácica.



3. 

Se o paciente não responde e não respira ou apresenta gasping, checar pulso central.

• 

Se pulso presente, considerar a possibilidade de obstrução de via aérea ou reportar-se ao Protocolo de 



Parada Respiratória (APed6); 

• 

Se pulso ausente ou < 60bpm, reportar-se ao Protocolo de PCR e RCP (APed7).



4. 

Se o paciente não responde e respira, proceder a Avaliação Primária (A, B, C, D, E).



5. 

Realizar a avaliação primária (Protocolo APed2), com ênfase para: : 

• 

manter a permeabilidade das vias áreas, realizando aspiração se necessário;



• 

avaliar o padrão respiratório;

• 

avaliar oximetria e instalar oxigênio sob máscara não reinalante, se SatO



2

 < 94%;


• 

manter ventilação adequada; considerar suporte ventilatório se necessário;

• 

avaliar glicemia capilar precocemente e tratar hipoglicemia, se presente;



• 

avaliar tempo de enchimento capilar e coloração da pele;

• 

avaliar sinais vitais (Protocolo APed1 Parâmetros Pediátricos);



• 

instalar acesso vascular IV ou IO e repor volume, se indicado;

• 

avaliar pela Escala de Coma de Glasgow (Protocolo APed1 Parâmetros Pediátricos): se resultado ≤ 8, 



instalar via aérea avançada, preferencialmente intubação orotraqueal;

• 

avaliar pupilas. 



6. 

Realizar a avaliação secundária (Protocolo APed3), com ênfase para: : 

• 

SAMPLE: complementando com dados de história que possam indicar intoxicação, trauma, crise convulsiva 



e maus tratos;

• 

realizar exame físico detalhado, com atenção para a presença de abaulamento de fontanela e/ou de 



sinais meníngeos, além de lesões petequiais ou púrpuras em pele;

• 

sempre buscar por possíveis lesões sugestivas de maus tratos;



• 

monitorar oximetria, frequência e ritmo cardíacos, sinais vitais, glicemia capilar.



7. 

Reconhecer e tratar causas reversíveis, conforme protocolos específi cos.



8. 

Realizar contato com a Regulação Médica para defi nição do encaminhamento e/ou unidade de saúde de 

destino.

9. 

Registrar achados e procedimentos na fi cha/boletim de ocorrência.

APed21 – Rebaixamento do nível de consciência 

SAMU_avancado_APPed.indd   49

08/06/2016   08:02:40


1   ...   477   478   479   480   481   482   483   484   ...   657


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal