Protocolos de Suporte Avançado de Vida


  Instalar acesso vascular somente nos casos graves ou muito graves. 5



Baixar 4.3 Mb.
Pdf preview
Página479/657
Encontro06.05.2021
Tamanho4.3 Mb.
1   ...   475   476   477   478   479   480   481   482   ...   657
4. 

Instalar acesso vascular somente nos casos graves ou muito graves.



5. 

Realizar abordagem medicamentosa:

• 

Beta-2 agonista de curta duração: Salbutamol aerossol dosimetrado acoplado a espaçador e máscara. 



Dose: quatro a oito jatos (400 a 800 mcg), a cada 20 minutos se necessário, até três vezes; 

• 

Alternativa ao salbutamol: nebulização com fenoterol. 



Dose: uma gota para cada 3 kg de peso, máximo de 10 gotas, diluídas em 3-5 mL de soro fi siológico, sob 

inalação por máscara com O

2

 5 a 6 L/min. Pode ser repetida a cada 20 minutos, até três nebulizações; 



• 

Na crise grave, associar ao beta-2 agonista: 

• 

Brometo de ipratrópio: nas seguintes doses:



• 

até 10 kg de peso: 10 gotas

• 

11 a 30 kg: 20 gotas



• 

> 30 kg: 40 gotas

• 

na nebulização com fenoterol ou em nebulização com 5 mL de soro fi siológico após o uso do 



salbutamol aerossol;

• 

Nos casos graves ou muito graves, instalar acesso vascular no APH e administrar corticosteroide (deve ser 



usado na primeira hora):

• 

Hidrocortisona: 4 mg/kg, intravenosa, máximo 250 mg;



• 

Nos casos graves ou muito graves, refratários à terapêutica inalatória, considerar a administração de 

sulfato de magnésio; Dose de 25 a 75 mg/kg (máximo de 2 g), em infusão lenta de 20-30 minutos (uma 

ampola = 10 mL = 5 g), intravenoso; diluir a uma concentração de 50 mg/mL.






Compartilhe com seus amigos:
1   ...   475   476   477   478   479   480   481   482   ...   657


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal