Protocolos de Suporte Avançado de Vida


*Sinais de instabilidade hemodinâmica



Baixar 4.3 Mb.
Pdf preview
Página468/657
Encontro06.05.2021
Tamanho4.3 Mb.
1   ...   464   465   466   467   468   469   470   471   ...   657
*Sinais de instabilidade hemodinâmica: 

desconforto/insuficiência respiratória; 

sinais de choque: perfusão inadequada 

em órgãos-alvo, com ou sem hipotensão 

arterial; alteração do estado mental: 

rebaixamento da consciência; colapso 

súbito com pulsos rápidos e fracos.

Avaliar a duração do QRS 

Avaliar o ritmo com ECG de 12 

derivações ou monitor

Possível taquicardia 

ventricular (TV)

Sinais de instabilidade 

hemodinâmica* 

(comprometimento 

cardiopulmonar)?

Considerar 



adenosina, se 

ritmo regular e QRS 

monomórfico (provável 

TSV com aberração).

Recomenda-se 

consultar especialista.

Considerar o uso de

amiodarona 5 mg/kg 

IV/IO em 20 a 60 min, 

máximo de 300 mg.

Provável taquicardia supraventricular 

(TSV)

Pesquisar e tratar a causa

Provável taquicardia sinusal (TS)

- causa conhecida

- ondas P presentes e normais

- R-R variável com P-R constante

- FC < 220 bpm em bebê

- FC < 180 bpm em criança



Paciente estável:

Considerar manobra 

vagal (sem retardos).

Se não reverter:



adenosina: 0,1 mg/kg, 

máximo de 6 mg, bólus 

rápido IV/IO + 

flush      

5-10 mL SF.

Se não reverter, repetir 



adenosina na dose de 

0,2 mg/kg, máximo de 

12 mg, bólus IV/IO + 

flush 5-10 mL SF.



Paciente com sinais 

de instabilidade 

hemodinâmica* 

Adenosina, se acesso 

vascular disponível

Se não reverter após 

2ª dose de adenosina 

ou acesso vascular 

indisponível



Cardioversão elétrica sincronizada

sob sedação:

iniciar com carga de 0,5 a 1,0 J/kg;

sem reversão, aumentar a carga para 

2 J/kg.

Considerar 

manobras vagais 

(sem retardos

Estreito (≤ 0,09 s)

Largo (> 0,09 s)

Sim

Não


Fonte: Adaptado de Suporte Avançado de Vida em 

Pediatria (PALS). Manual do Profissional. Edição em 

português, 2012, pág. 134 e 137.



Protocolo Samu 192

Protocolos de Emergências Pediátricas

SUPORTE AVANÇADO DE VIDA

Este protocolo foi pautado nas mais recentes evidências científi cas disponíveis. 

Adaptações  são  permitidas  de  acordo  com  as  particularidades  dos  serviços.                 

 

Elaboração: Janeiro/2016



APed 

17

APed17 – Choque



Quando suspeitar ou critérios de inclusão

• 

Suspeitar em todas as situações de evidente má perfusão tecidual (periférica ou de órgãos-alvo), mesmo 



nos casos em que forem observados níveis pressóricos normais.

• 

Presença de sinais resultantes de mecanismos compensatórios cardiovasculares: 



• 

Coração: taquicardia (sinal precoce);

• 

Aumento da resistência vascular sistêmica:



a)  Pele: fria, pálida, moteada, sudoreica;

b)  Circulação periférica: preenchimento capilar retardado (> 2 segundos);

c)  Pulsos: pulsos periféricos fracos; pressão de pulso estreita (pressão arterial diastólica aumentada).

• 

Sinais de falência dos mecanismos compensatórios e de disfunção de órgãos-alvo: diminuição do nível de 



consciência, diminuição do débito urinário, disfunção miocárdica, hipotensão arterial; pode evoluir para 

colapso cardiovascular e parada cardiorrespiratória.

• 

Critérios para identifi cação do tipo de choque: 



SINAIS CLÍNICOS

CHOQUE 


HIPOVOLÊMICO

CHOQUE 


DISTRIBUTIVO 

(SÉPTICO, 

ANAFILÁTICO OU 

NEUROGÊNICO)

CHOQUE 

CARDIOGÊNICO

CHOQUE 

OBSTRUTIVO

A

Patência


Via aérea aberta e sustentável/não sustentável

B

Frequência respiratória



Aumentada

Esforço respiratório

Normal ou aumentado

Forçado


Sons respiratórios

Normal


Normal

(+/- crepitações)

Crepitações, gemidos

C

Pressão arterial (PA) sistólica



 Choque compensado (PA normal)       Choque hipotensivo

Pressão de pulso

Estreita

Variável


Estreita

Frequência cardíaca

Aumentada

Qualidade do pulso 

periférico

Fraco


Oscilante ou fraco

Fraco


Pele

Pálida, fria

Quente ou fria

Pálida, fria

Preenchimento capilar

Retardado

Variável

Retardado

Débito urinário

Reduzido


D

Nível de consciência

Irritável precoce

Letárgico tardio

E

Temperatura



Variável

Fonte: Suporte Avançado de Vida em Pediatria. Manual do profi ssional, 2012, p. 83



1/4

APed17  – Choque

SAMU_avancado_APPed.indd   39

08/06/2016   08:02:38



1   ...   464   465   466   467   468   469   470   471   ...   657


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal