Protocolos de Suporte Avançado de Vida



Baixar 4.3 Mb.
Pdf preview
Página465/657
Encontro06.05.2021
Tamanho4.3 Mb.
1   ...   461   462   463   464   465   466   467   468   ...   657
Protocolo Samu 192

Protocolos de Emergências Pediátricas

SUPORTE AVANÇADO DE VIDA

Este protocolo foi pautado nas mais recentes evidências científicas disponíveis. 

Adaptações  são  permitidas  de  acordo  com  as  particularidades  dos  serviços.                 

 

Elaboração: Abril/2016



• 

DEVE SER TRATADA A CAUSA, pois a taquicardia, nesse caso, é um sintoma. NÃO tentar baixar a FC 

com intervenções farmacológicas ou elétricas. 

• 

Taquicardia supraventricular (TSV): 



• 

histórico de sintomas vagos ou inespecíficos ou palpitações com início súbito e sem história 

compatível com TS; 

• 

FC em geral ≥ 220 bpm no bebê e ≥ 180 bpm na criança;



• 

características ao ECG: ondas P ausentes/anormais, FC não varia com a atividade ou a estimulação 

do paciente, intervalo R-R frequentemente constante, QRS estreito em mais de 90% dos casos;

• 

no paciente estável, considerar a realização de manobra vagal; 



• 

realizar monitorização cardíaca continuamente, antes e depois das manobras;

• 

se o ritmo não reverter e o paciente permanecer estável, repetir a tentativa de manobra vagal;



• 

se a segunda tentativa falhar, realizar tratamento medicamentoso;

• 

administrar adenosina na dose de 0,1 mg/kg (0,03 mL/kg), máximo de 6 mg (2 mL), em bólus IV/



IO rápido, seguido imediatamente de flush de 5-10 mL de solução salina 0,9% (técnica de lavagem 

rápida com duas seringas em um conector T).

• 

ATENÇÃO: diminuir a dose inicial de adenosina para pacientes em tratamento com carbamazepina 



ou dipiridamol ou naqueles com coração transplantado. 

• 

se a adenosina for eficaz, haverá reversão para ritmo sinusal em 15 a 30 segundos após a administração;



• 

se a TSV não reverter: administrar a segunda dose de adenosina, de 0,2 mg/kg (0,06 mL/kg), 

máximo de 12 mg (4 mL), em bólus IV/IO rápido, seguido imediatamente de flush de 5-10 mL de 

solução salina 0,9% (técnica de lavagem rápida com duas seringas);

• 

se a TSV não responder à administração de duas doses de adenosina e o paciente permanecer 



hemodinamicamente estável, é melhor removê-lo para o hospital e consultar um especialista 

(cardiolo,gista pediátrico), realizando controles frequentes durante o transporte.

Taquicardia com QRS largo (> 0,09 s): taquicardia ventricular (TV) – maior probabilidade – ou TSV com 

condução intraventricular aberrante.

• 

Se o paciente estiver hemodinamicamente estável, é recomendável removê-lo para o hospital e consultar 



logo um especialista (cardiologista pediátrico), realizando controles frequentes durante o transporte

• 

Pesquisar e tratar causas reversíveis;



• 

Considerar a conversão farmacológica com amiodarona: 5 mg/kg IV/IO (máximo de 300 mg), com 

infusão lenta em 20 a 60 minutos. Se o paciente estiver hemodinamicamente estável, é recomendável 

consultar um especialista antes de usar a amiodarona.

ATENÇÃO: interromper ou reduzir a velocidade de infusão da amiodarona se ocorrer queda da pressão 

arterial ou se o QRS alargar ainda mais.

• 

Considerar a lidocaína como alternativa para a amiodarona se houver bomba de infusão disponível: bólus 



de ataque: 1 mg/kg IV/IO. Manutenção: sucessiva ao bólus, 20 a 50 mcg/kg/min. Repetir bólus se a 

infusão contínua iniciar mais de 15 minutos após o bólus inicial; 

• 

Se o ritmo for regular (intervalo R-R regular) e o QRS for monomórfico, a adenosina pode ser usada para 



diferenciar TSV e TV: 

• 

considerar administrar uma dose de adenosina (0,1 mg/kg, máximo 6 mg) IV/IO  rápido, seguido 



imediatamente de 

flush


 de 5-10 mL de solução salina 0,9%, pois, se a arritmia for TV, a adenosina 

não será eficaz, mas também não será nociva, e será eficaz se for TSV com condução aberrante;

       ATENÇÃO: não usar adenosina se o paciente for sabidamente portador de síndrome de Wolff-

Parkinson-White.

• 

Nas torsades de pointes: administrar sulfato de magnésio 25 a 50 mg/kg IV/IO (máximo 2 g), em 



10 a 20 minutos.

2/4

APed 16 – Taquiarritmia com pulso 

APed 16 – Taquiarritmia com pulso 

APed 


16

1   ...   461   462   463   464   465   466   467   468   ...   657


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal