Programa de Gestão Integrada de Águas e da Paisagem


Figura 5‑21 – Localização ETE Santa Maria de Jetibá



Baixar 5.32 Mb.
Página82/158
Encontro17.03.2020
Tamanho5.32 Mb.
1   ...   78   79   80   81   82   83   84   85   ...   158
Figura 5‑21 – Localização ETE Santa Maria de Jetibá



Foto 5‑22 - ETE Santa Maria de Jetibá

Fonte: Imagem Aérea Google Earth / Foto Equipe Técnica

6.1.7.2 – Intervenção Proposta

As bacias de esgotamento foram definidas com base na topografia da área, sendo um elemento de importância, não só para os estudos de projeto, mas também para os planejamentos futuros de execução das obras e operação do sistema. Foram definidas 7(sete) bacias, denominadas por letras de “A” à “G”, considerando que as bacias “A”, “B” e “C” são aquelas que hoje já possuem esgotamento. O sistema foi projetado para atender a uma população de 11.212 habitantes em final de plano (2020) e vazão de 20 l/s.

A concepção básica adotada foi a de se direcionar os esgotos das bacias “D”, “E”, “F” e “G”, para as bacias existentes, de forma a se tratar todos os esgotos na ETE existente, uma vez que no horizonte de projeto a vazão média afluente deverá ser da ordem de 18 l/s, vazão essa condizente com o tamanho dos decantadores existentes.

Essa solução além de potencializar o tratamento existente, evita a execução de outros tratamentos, o que do ponto de vista ambiental é mais interessante.

Por outro lado haverá a necessidade de se implantar três novas elevatórias (EE-4, EE-5 e EE-6), além de ter que se trocarem os equipamentos de duas das três elevatórias existentes (EE-1 e EE-3).

Dessa forma, a concepção proposta consiste em se implementar rede nas bacias sem esgotamento ( “D”, “E”, “F” e “G”), alguma rede complementar nas bacias hoje com esgotamento (“A”, “B” e “C”), três novas elevatórias nas bacias “E”, “F” e “G” e troca de bombas nas elevatórias das bacias “A” e “C”.

A rede coletora projetada será basicamente de três tipos; condominial, convencional e aparente, junto aos córregos. A rede condominial formada por tubos de 150 mm em PVC caracteriza-se por passar no fundo das casas, para poder coletar os esgotos quando a ligação domiciliar era impossível de ser executada através de uma rede convencional (passando pela rua). Esse tipo de rede ocorreu basicamente nas regiões mais acidentadas, onde a rua se desenvolve em um divisor de bacias, ou junto aos vales de rios.

A rede convencional é formada por tubos também de 150 mm em PVC e caracteriza-se por ser implantada ao longo das ruas, quando houverem residências com possibilidade de esgotamento, ou quando houver a necessidade de se receber uma rede condominial.

A rede aparente formada por tubos de 150 mm em FºFº, caracteriza-se por passar no fundo das casas, mas fora de seus domínios, mais precisamente junto a parede dos córregos

As Estações Elevatória, ou sejam a EE-4, EE-5 e EE-6, abrigam em sua estrutura, além dos conjuntos moto-bomba, um gradeamento tipo “cesto” A estação elevatória propriamente dita consta de 2 (dois) conjuntos motor-bomba do tipo auto-escorvante, ficando sempre um de reserva.

Para o caso das elevatórias EE-1 e EE-3, que são estruturas com bombas do tipo submersível, serão apenas trocados esses conjuntos por outros do mesmo tipo, mas com vazões maiores.





Compartilhe com seus amigos:
1   ...   78   79   80   81   82   83   84   85   ...   158


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal