Programa de Gestão Integrada de Águas e da Paisagem



Baixar 5.32 Mb.
Página12/158
Encontro17.03.2020
Tamanho5.32 Mb.
1   ...   8   9   10   11   12   13   14   15   ...   158
Região

Município

Sistema de Esgotamento Sanitário

Cobertura atual (%)

Cobertura com o Projeto (%)

População a ser beneficiada

Caparaó


Dores do Rio Preto

Implantação

0

100

2.154


Divino São Lourenço

Implantação

0


100

2.120


Irupi

Reabilitação e ampliação

13


100

4.476


Iúna

Reabilitação e ampliação

7


100

13.658


Ibatiba

Reabilitação e ampliação

0


100

13.378


Conceição do Castelo

Reabilitação e ampliação

8


100

5.898

Santa Maria


Santa Maria do Jetibá

Reabilitação e ampliação

59

100

9.684


Santa Leopoldina

Reabilitação e ampliação

40

100

2.165

Jucu

Marechal Floriano

Implantação

0

100

6.499

RMGV

Cariacica


Ampliação sistema Bandeirantes

52

68

31.100

Ampliação Sistema Rosa Maria da Penha

1,4

100

5.173

Vila Velha

Ampliação Sistema Araçás

51,8

66

29.872

Ampliação Sistema Ulisses Guimarães

11

100

41.915

Integra este componente um Plano Socioambiental de Adesão aos Sistemas de Esgoto (D.2), dando continuidade ao processo implantado desde o Programa Águas Limpas, de conscientização e motivação da comunidade em paralelo à execução das obras, que, por sua vez, contemplam as ligações intradomiciliares.

O último subcomponente refere-se ao Fortalecimento do Setor de Saneamento (D.3), aplicável à CESAN, especificamente quanto ao controle de perdas nos sistemas de abastecimento de águas. Do Plano de Controle de Perdas existente e em execução, serão selecionadas ações que serão financiadas pelo Programa de Gestão Integrada. Igualmente será abordada a questão da análise de capacidade de suporte das bacias Jucu e Santa Maria em longo prazo, frente às outorgas de uso (estabelecimento de limites).

E – GERENCIAMENTO E SUPERVISÃO DO PROGRAMA

Compreende o apoio técnico e administrativo necessário às Unidades de Gerenciamento, Coordenação Geral e à Secretaria Executiva do Programa, atuando com consultorias especializadas quando necessárias. Desta forma está previsto o suporte de uma empresa especializada em gerenciamento de projetos para atender com qualidade e prontidão as demandas executivas, inclusive na supervisão e fiscalização de obras.

2.2 Área de Abrangência


A área de abrangência do Programa compreende, sob os componentes de gestão integrada das águas e de gestão de riscos e desastres, todo o Estado do Espírito Santo sendo que o foco das intervenções físicas – componentes de gestão de mananciais e recuperação da cobertura vegetal e de saneamento ambiental as áreas de abrangência são apresentadas na figura 2.1 a seguir.

Nota-se que a área de abrangência das intervenções físicas se concentra na metade sul do estado do Espírito Santo, dividida em duas porções territoriais formadas, a leste, pelas Bacias dos rios Jucu e Santa Maria da Vitória, e a oeste pela Região do Caparaó e Adjacências.

As Bacias dos rios Jucu e Santa Maria da Vitória contemplam os municípios de Marechal Floriano, Santa Maria do Jetibá, Santa Leopoldina, Vila Velha e Cariacica (RMGV), além da Unidade Demonstrativa do Mangaraí, no município de Santa Leopoldina.

A Região do Caparaó incorpora os seguintes municípios estudados: Conceição do Castelo, Divino de São Lourenço, Dores do Rio Preto, Ibatiba, Irupi e Iúna.





Fonte: IBGE, Base Cartográfica Integrada do Brasil ao Milionésimo, 2010

Elaboração: Equipe Técnica

Figura 2‑1 - Regiões e bacias de Atuação do Programa



Compartilhe com seus amigos:
1   ...   8   9   10   11   12   13   14   15   ...   158


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal