Presidenta: deputada zeidan lula vice-presidente: deputado jair bittencourt relator: deputado max lemos



Baixar 1.27 Mb.
Página55/81
Encontro30.06.2021
Tamanho1.27 Mb.
1   ...   51   52   53   54   55   56   57   58   ...   81
6.2.3. Light Serviços de Eletricidade S.A. (Light SESA)
A Light SESA é uma das cinco empresas do Grupo Light – formado também pela Light Energia, a Light Soluções, a Light Esco e a Light Com. A empresa é a quarta maior distribuidora de energia do Brasil, em número de clientes, e a quinta maior em quantidade de energia distribuída, segundo o Anuário Estatístico de Energia Elétrica de 2010, publicado pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE), vinculada ao Ministério de Minas e Energia.

A Light atua nos seguintes municípios fluminenses: Barra do Piraí, Barra Mansa, Belford Roxo, Carmo (abrangência parcial), Duque de Caxias (abrangência parcial), Engenheiro Paulo de Frontin, Itaguaí, Japeri, Comendador Levy Gasparian, Mendes, Mesquita, Miguel Pereira, Nilópolis, Nova Iguaçu, Paracambi, Paraíba do Sul (abrangência parcial), Paty do Alferes, Pinheiral, Piraí, Quatis, Queimados, Rio Claro, Rio das Flores, Rio de Janeiro, São João de Meriti, Sapucaia, Seropédica, Três Rios (abrangência parcial), Valença, Vassouras e Volta Redonda.

A Light SESA é responsável pela distribuição de energia elétrica dos locais públicos dos 31 municípios que compõem a sua área de concessão. Já os serviços de operação, manutenção e expansão de instalações de iluminação pública – como lâmpadas, postes e demais componentes da iluminação dos logradouros públicos – são de responsabilidade das Prefeituras e órgãos competentes, que recebem da Light o repasse da taxa referente ao serviço, pagas nas contas de energia elétrica.

Fonte: Sítio eletrônico da Light, 2019. Disponível em: http://www.light.com.br/grupo-light/Empresas-do-Grupo/light-servicos-de-eletricidade.aspx.



6.3. Estatísticas

Segundo a ANEEL, a qualidade dos serviços de fornecimento de energia é medida a partir da duração das interrupções e frequência com que ocorrem. E nesta avaliação tem-se como destaque os indicadores de continuidade coletivos DEC (horas de interrupção) e FEC (frequência anual) e os indicadores de continuidade individuais (DIC, FIC, DMCI e DICRI).

Estes indicadores, que segundo a agência, são utilizados em grande maioria dos países, apuram interrupções maiores que 3 minutos. E neste ponto, esta comissão fará uma recomendação para que se tenha criação de uma nova medição que forneça informações sobre as interrupções menores que 3 minutos, pois o que se é vivenciado no estado do Rio de Janeiro é uma grande quantidade de quedas no fornecimento abaixo desta marca, mas que causam complicações para domicílios, comércio e indústrias fluminenses.

Entretanto, como não há outra base de dados para fazer um comparativo entre o serviço prestado pelas concessionárias que atuam no estado e as fornecedoras de energia das outras unidades da federação, utilizaremos o FEC e o DEC, que revelam, respectivamente, o número de vezes e a média de tempo que uma unidade consumidora ficou sem energia elétrica por um período determinado, (mês, trimestre ou ano).

Estes indicadores de continuidade de fornecimento são avaliados pela ANEEL através de subdivisões das distribuidoras, denominadas Conjuntos Elétricos, onde uns podem contemplar mais de um município enquanto há casos onde a municipalidade pode conter mais de uma unidade.

Os DEC e os FEC podem ser classificados de diferentes maneiras dependendo de suas motivações e assim temos:




  • DECTOT: Representa o total de todos os DECs, ou seja, a duração total das interrupções;

  • FECTOT: Representa o total de todos os FECs, ou seja, a quantidade total das interrupções;

  • DECXP: DEC de interrupção de origem externa ao sistema de distribuição e programada;

  • FECXP: FEC de interrupção de origem externa ao sistema de distribuição e programada;

  • DECXN: DEC de interrupção de origem externa ao sistema de distribuição e não programada;

  • FECXN: FEC de interrupção de origem externa ao sistema de distribuição e não programada;

  • DECIP: DEC de interrupção de origem interna ao sistema de distribuição e programada;

  • FECIP : FEC de interrupção de origem interna ao sistema de distribuição e programada;

  • DECIND: DEC de interrupção de origem interna não programada e não expurgável;

  • FECIND: FEC de interrupção de origem interna não programada e não expurgável;

  • DECINE: DEC de interrupção de origem interna não programada e ocorrida em situação de emergência, não ocorrida em Dia Crítico;

  • FECINE: FEC de interrupção de origem interna não programada e ocorrida em situação de emergência, não ocorrida em Dia Crítico;

  • DECINC: DEC de interrupção de origem interna ao sistema de distribuição, não programada e ocorrida Dia Crítico;

  • FECINC: FEC de interrupção de origem interna ao sistema de distribuição, não programada e ocorrida Dia Crítico;

  • DECINO: DEC de interrupção de origem interna não programada, vinculadas a racionamento ou alívio de carga solicitado pelo ONS, não ocorrida em Dia Crítico;

  • FECINO: FEC de interrupção de origem interna não programada, vinculadas a racionamento ou alívio de carga solicitado pelo ONS, não ocorrida em Dia Crítico;

  • DECIPC: DEC de interrupção de origem interna ao sistema distribuição, programada e ocorrida em Dia Crítico;

  • FECIPC: FEC de interrupção de origem interna ao sistema distribuição, programada e ocorrida em Dia Crítico;

  • DECXPC: DEC de interrupção de origem externa ao sistema distribuição, programada e ocorrida em Dia Crítico;

  • FECXPC: FEC de interrupção de origem externa ao sistema distribuição, programada e ocorrida em Dia Crítico;

  • DECXNC: DEC de interrupção de origem externa ao sistema distribuição, não programada e ocorrida em Dia Crítico;

  • FECXNC: FEC de interrupção de origem externa ao sistema distribuição, não programada e ocorrida em Dia Crítico;


6.3.1. DEC e FEC

Primeiramente, serão analisados os dados das concessionárias, as quais a ANEEL oferece os limites de DEC e FEC para cada Conjunto Elétrico. Pois deste modo a agência leva em consideração as peculiaridades de cada região e propõe o que seria o aceitável para cada unidade.



Para melhor compreensão se a concessionária vem alcançando os limites estipulados pela agência reguladora, foi colocado de cor verde as localidades onde ela está com o fornecimento melhor que a demarcação estipulada pela ANEEL e vermelho onde o serviço estiver pior.




Compartilhe com seus amigos:
1   ...   51   52   53   54   55   56   57   58   ...   81


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal