Português: trilhas e tramas, volume 2


a) De quem é essa fala e a quem ela é dirigida? b)



Baixar 8.62 Mb.
Página286/546
Encontro13.08.2021
Tamanho8.62 Mb.
1   ...   282   283   284   285   286   287   288   289   ...   546
a) De quem é essa fala e a quem ela é dirigida?

b) Identifique o paradoxo presente nessa fala.

c) Como a legislação atual encara a caça e a pesca? Se for preciso, pesquise a respeito.

8 O que o velho Inácio quis dizer em: O que vale é que Deus é grande... e o mato maior.

9 A que elemento da cultura regional se refere este trecho:

[...] o velho Inácio Mendes, vizinho e amigo, o mesmo que morreu o ano passado afogado no Inhamundá, tentando salvar o filho, atraído pela mãe-d’água.



10 O conto naturalista que você leu apresenta traços do determinismo, corrente filosófica que defendia a existência de uma relação rigorosa entre o ser humano e os fenômenos ambientais, sociais ou biológicos. Tente identificar e explicar essas características em cada um destes trechos:

a) O seu ar de candura e de bondade desapareceu por encanto, e o rapaz ficou todo transformado, como o pai, quando lutava braço a braço com alguma onça traiçoeira. Os olhos injetaram-se-lhe de sangue. Os lábios entreabriram-se para deixar sair a palavra rebelde, mas só descobriram os alvíssimos dentes cerrados por um esforço violento. O corpo todo tremia, como se maleitas o sacudissem e um último lampejo de razão o impediu de atirar-se ao recrutador e de o afogar nas mãos robustas.

b) O mulato adiantou-se com ar resoluto:
– Ó gentes! Temos cerimônias?
E voltando-se para os que o seguiam:
Amarra porco, rapaziada!
Ou pela sua profissão de vaqueiros, ou porque já se achassem prevenidos, traziam cordas consigo. Pedro e Rosa foram deitados por terra e amarrados de pés e mãos. Depois a gente do Manuel Andrade carregou o rapaz e foi depô-lo numa grande montaria que o capitão mandara buscar à fazenda.

11 Identifique traços naturalistas na descrição da reação de Rosa, a mãe de Pedro.
Página 179



Compartilhe com seus amigos:
1   ...   282   283   284   285   286   287   288   289   ...   546


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal