Português: trilhas e tramas, volume 2



Baixar 8.62 Mb.
Página266/546
Encontro13.08.2021
Tamanho8.62 Mb.
1   ...   262   263   264   265   266   267   268   269   ...   546
4 Releia:

Trecho I

Aninha – Quando é que você pretende casar-se comigo?

José – O vigário está pronto para qualquer hora.

Aninha – Então, amanhã de manhã.

José – Pois sim. (Cantam dentro.)

Aninha – Aí vem meu pai! Vai-te embora antes que ele te veja.

José – Adeus, até amanhã de manhã.

Aninha – Olhe lá, não falte! (Sai José.)
Página 165

Trecho II

Aninha () – Como é bonita a Corte! Lá é que a gente se pode divertir, e não aqui, aonde não se ouve senão os sapos e as entranhas cantarem. Teatros, mágicas, cavalos que dançam, cabeças com dois cabritos, macaco major... Quanta coisa! Quero ir para a Corte! [...]”

O que esses trechos revelam a respeito da personagem Aninha?



5 Leia este outro trecho da peça O juiz de paz na roça:

Juiz – [...] Sr. Escrivão, leia outro requerimento.

Escrivão, lendo – “O abaixo-assinado vem dar os parabéns a V. Sª por ter entrado com saúde no novo ano financeiro. Eu Ilmo. Sr. Juiz de Paz, sou senhor de um sítio que está na beira do rio, aonde dá muito boas bananas e laranjas, e como vem de encaixe, peço a V. Sª o favor de aceitar um cestinho das mesmas que eu mandarei hoje à tarde. Mas, como ia dizendo, o dito sítio foi comprado com o dinheiro que minha mulher ganhou nas costuras e outras cousas mais; e, vai senão quando, um meu vizinho, homem da raça do Judas, diz que metade do sítio é dele. E então, que lhe parece, Sr. Juiz, não é desaforo? Mas, como ia dizendo, peço a V. Sª para assistir à marcação do sítio. Manuel André. E.R.M.”

Juiz – Não posso deferir por estar muito atravancado com um roçado; portanto, requeira ao suplente, que é o meu compadre Pantaleão.

Manuel André – Mas, Sr. Juiz, ele também está ocupado com uma plantação.

Juiz – Você replica? Olhe que o mando para a cadeia.

Manuel André – Vossa Senhoria não pode prender-me à toa; a Constituição não manda.

Juiz – A Constituição... Está bem!... Eu, o Juiz de Paz, hei por bem derrogar a Constituição! Sr. Escrivão, tome termo que a Constituição está derrogada, e mande-me prender este homem.

a) Que práticas são criticadas nessa cena? Justifique citando passagens do trecho.



Compartilhe com seus amigos:
1   ...   262   263   264   265   266   267   268   269   ...   546


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal