Portugues ling int vol3 pnld2018 capa al pr indd


a) Consulta feita diretamente ao  povo, por meio de uma pergunta que  exige como resposta sim ou não.  1. b)



Baixar 39.74 Mb.
Pdf preview
Página197/273
Encontro07.02.2022
Tamanho39.74 Mb.
#21486
1   ...   193   194   195   196   197   198   199   200   ...   273
Linguagem Interacao 3 MP 0019P18013 PNLD2018
1. a) Consulta feita diretamente ao 

povo, por meio de uma pergunta que 

exige como resposta sim ou não. 

1. b) Que está além ou fora do 

processo eleitoral. 



1. c) Sistema de organização 

baseado nos técnicos.



1. d) Referente ao neoliberalismo, 

doutrina que prevê liberdade de mercado e intervenção mí-

nima do Estado nas relações econômicas e de produção. 

1. e) Forma de pressão de grupos organiza-

dos da sociedade sobre agentes da esfera 

pública. 

1. f) Eliminação do caráter político. 

1. g) Defesa dos próprios interesses profissionais. 

1. h) Não intervenção absoluta. 

2.   Oriente os alunos neste 

momento e use dicionários 

do tipo 4 distribuídos pelo 

MEC do PNLD 2012 de dicio-

nários. Consulte a publicação 

da SEB, Com direito à palavra: 

dicionários em sala de aula

elaborada por Egon de Oli-

veira Rangel (Brasília, MEC, 

2012), disponível também no 

endereço eletrônico:

p o r t a l . m e c . g o v. b r / i n d e x .

php?option=com_docman&-

view=download&alias=12059-

d i c i o n a r i o - e m - s a l a - d e -

aula-pnld-pdf&Itemid=30192>. 

Acesso em: abr. 2016. 

2. a) Em “lobbies”, as aspas pro-

vavelmente assinalam o caráter 

estrangeiro do termo. Já em 

“tradicional” trata-se de aspas 

de conotação autonímica, para 

indicar que o sentido pelo qual a 

palavra deve ser compreendida 

no contexto não coincide exa-

tamente com os significados 

recorrentes do termo. 



2. b) Em “despolitização”, as aspas se justificam pelo mesmo motivo que em “tradicional”. Em 

“analfabetização”, o uso se deve, provavelmente, a uma forma de citação. 

an (negação) + alfabet + iz (sufixo que forma verbos e nomes de ação) + ação (sufixo que forma nomes de ação)

35

40



Mauricio Pier

ro/Arqui


v

o da editora

Linguagem_Interacao_LP_V3_PNLD2018_285a335_U4_C8.indd   288

26/05/16   10:19




289

UNIDADE 4  MUNDO DO TRABALHO (II)

Linguagem e texto

1

  Localize a tese do texto 1 e transcreva em seu caderno a frase que correspon-



de a ela. 

2

 Quais os principais argumentos apresentados pelo enunciador do texto para 



provar sua tese? 

3

  A conclusão apresentada é a favor ou contra a tese? Explique no caderno. 



4

 A seguir, transcrevemos alguns argumentos presentes no texto 1. Tente 

explicar a importância de cada um deles na construção argumentativa da 

dissertação.  

I.

 

Em uma realidade globalizada, neoliberal, vemos emergir o capital 



como dirigente supremo da organização social, seja através da política “tra-

dicional” com os “lobbies” promovidos por grandes corporações, ou pela in-

fluência midiática dos anunciantes. 

(linhas 14-19)

II.

 A “despolitização” (Brecht chamaria de “analfabetização”) da socieda-



de aumenta o vácuo entre as ações estatais e a vontade do povo, deixando o 

homem médio à mercê do corporativismo [...]. 

(linhas 25-28)

III.


 

[...] afastado da política, ele perde sua única possibilidade de defen-

der seus interesses e direitos, bem como sua última chance de alterar (ou ao 

menos discutir) a ordem vigente e, consequentemente, sua realidade diária. 

(linhas 28-32)

Suas respostas às questões anteriores devem ajudá-lo a compreender a rela-

ção entre as formas de raciocínio e a argumentação. Acompanhe as explicações 

a seguir. 

I. A tese e a construção dos argumentos

Um dos procedimentos mais importantes na argumentação é o estabelecimen-

to de relações de sentido entre os argumentos e destes com a tese a ser defendida. 

Na questão 4, você identificou a importância dos argumentos na defesa da tese. Se 

você ler atentamente os trechos nos quais esses argumentos foram construídos, 

notará o seguinte: o enunciador apresenta nos argumentos os riscos que corre 

o cidadão ao se “despolitizar”. Vale a pena observar duas estratégias linguísticas 

empregadas no texto: 



o uso recorrente do presente do indicativo com valor de verdade uni-



versal;



a quase ausência de projeções enunciativas explícitas — na única ocor-

rência, temos um 

n—s que tem como referente a sociedade, o coletivo. O 

efeito é generalizante. 

Como resultado, a argumentação provoca a impressão de que o voto é “ines-

capável”.



1. A tese é de que o voto é a 

única saída para equilibrar as re-

lações de poder nas sociedades 

democráticas. Está formulada 

no seguinte trecho: “[...] não há 

diminuição da relevância da par-

ticipação política, ocorre que a 

solidificação democrática refina 

essa participação, aumentan-

do o poder e a importância do 

voto, claramente indicando a in-

dispensabilidade das eleições.” 

(linhas 9-13).

2. O enunciador apresenta dois 

argumentos principais para 

comprovar a tese de que o 

voto é o único meio de garantir 

o equilíbrio de forças entre os 

atores sociais: o primeiro dis-

cute a tensão enfrentada pelos 

governos atuais no sentido de 

tentar equilibrar a pressão do 

capital sobre a organização da 

sociedade e as demandas das 

camadas sociais mais baixas; o 

segundo diz respeito à distân-

cia entre as ações dos gover-

nantes e a vontade do povo. 

3.  É favorável à tese. Porém, 

para formulá-la, o autor pro-

cura mostrar as contradições 

que norteiam a ação dos go-

vernos. Nessas contradições, 

o que sustenta a importância 

do voto é uma dinâmica social 

de tensão entre os interesses 

capitalistas e os das classes 

sociais menos favorecidas. O 

governo representa a instân-

cia de mediação entre esses 

interesses. Daí a importância 

do voto como instrumento de 

participação política. 

4.  I. Esse argumento procura 

desvelar as fontes da pres-

são sofrida pelos governantes 

de sociedades globalizadas e 

neoliberais. II. Esse argumento 

chama a atenção para os riscos 

que uma sociedade despolitiza-

da oferece para o cidadão. III. 

Esse argumento ressalta o fato 

de que a despolitização tira do 

homem médio a possibilidade 

de participação efetiva nas de-

cisões que regem sua vida e 

ação social. 

Linguagem_Interacao_LP_V3_PNLD2018_285a335_U4_C8.indd   289

26/05/16   10:19




CAPÍTULO 8  DISSERTAÇÃO EM PROSA

290


II.  Raciocínio dedutivo e raciocínio 

indutivo


Pensando na estrutura global de uma argumentação, podem-se adotar dois 

procedimentos básicos: 

1. Partir da conclusão para chegar aos dados. Esse procedimento é chamado de 


Baixar 39.74 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   193   194   195   196   197   198   199   200   ...   273




©historiapt.info 2022
enviar mensagem

    Página principal