Pnld2021 Humanitasdoc vainfas V3 001a256 pr 001. pdf



Baixar 50.75 Mb.
Pdf preview
Página301/334
Encontro11.07.2022
Tamanho50.75 Mb.
#24207
1   ...   297   298   299   300   301   302   303   304   ...   334
Humanitas.doc - Volume 3
c.
4. Alternativa 
e.
5. Alternativa 
b.
6. Alternativa 
b.
7. Alternativa 
e.
Atividades complementares
A atividade aprimora a CG2, pois estimula a curiosida-
de intelectual, através da investigação e da análise crítica, a 
CG7, que aprimora nos estudantes a argumentação através 
da busca por fontes confiáveis para a defesa de ideias, e as 
habilidades EM13CHS302, EM13CHS304 e EM13CHS305, 
que discutem os impactos econômicos ligados à cadeia 
produtiva do petróleo e ações de instituições privadas e 
governamentais na regulação, controle e fiscalização do 
setor petrolífero e de combustíveis no Brasil.
Leia a reportagem para responder às questões:
As descobertas gigantes no pré-sal tornaram o Brasil 
autossuficiente na produção de petróleo. O volume total 
extraído hoje no país, de 2,6 milhões de barris por dia
em tese, seria capaz de atender à demanda nacional por 
combustíveis. 
Na prática, porém, o país ainda não se livrou da impor-
tação de petróleo e derivados. Pelo contrário, os volumes 
importados têm aumentado nos últimos anos. Segundo es-
pecialistas, há motivos técnicos e econômicos para justifi-
car essa contradição. 
[…]
O petróleo predominante no Brasil é do tipo pesado, 
mais denso e difícil de refinar, explica o professor Celso Gri-
si, da Fundação Instituto de Administração (FIA). 
“As refinarias brasileiras precisam misturar o óleo pe-
sado nacional com o óleo leve importado para conseguir 
refinar. A Petrobras acaba exportando o petróleo excedente 
e importando óleo leve para fazer a mistura. O problema é 
que o óleo pesado é mais barato do que o leve. Ganhamos 
menos com a exportação e gastamos mais com a importa-
ção”, diz Grisi. 
A situação das importações já foi pior no passado, quan-
do as refinarias eram mais dependentes do óleo leve. “Uns 
10 anos atrás, cerca de 50% do petróleo refinado pela Reduc 
(Refinaria Duque de Caxias, no estado do Rio de Janeiro) vi-
nha do Oriente Médio”, afirma Márcio D’Agosto, professor 
de Engenharia de Transportes da Coppe/UFRJ. 
“Nos últimos anos, a Petrobras fez diversos investimen-
tos nas refinarias para ampliar a capacidade técnica de re-
fino de óleo pesado e reduzir a necessidade de importação 
de óleo leve”, diz D’Agosto.
TAKAR, Téo. Se o Brasil é autossuficiente em petróleo, por que 
importa tanto combustível? 
UOL Economia, 28 maio 2018. Disponível 
em: https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2018/05/28/
preco-gasolina-cara-petrobras-autossuficiencia-petroleo.htm. 
Acesso em: 16 set. 2020.
1. 
Quais os motivos técnicos e econômicos que fazem 
o Brasil importar combustível?
Como motivos, elencamos o fato de o óleo extraído no Brasil 
ser do tipo pesado, mais denso e difícil de refinar. Como con-
sequência, para refinar o petróleo, as refinarias misturam óleo 
pesado com o leve, proveniente do Oriente Médio e da África. 
Como o óleo pesado é mais barato, os ganhos nas exportações 
são menores se comparados aos gastos realizados para impor-
tar óleo leve. 
P4_V3_CIE_HUM_Vainfas_g21Sa_MP_193a256.indd 231
29/09/2020 19:44



Baixar 50.75 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   297   298   299   300   301   302   303   304   ...   334




©historiapt.info 2022
enviar mensagem

    Página principal