Pnld2021 Humanitasdoc vainfas V3 001a256 pr 001. pdf


E S Q U E M A R E P R E S E N TAT I V O D A S FA S E S D A T R A N S I Ç Ã O D E M O G R Á F I C A



Baixar 50.75 Mb.
Pdf preview
Página182/334
Encontro11.07.2022
Tamanho50.75 Mb.
#24207
1   ...   178   179   180   181   182   183   184   185   ...   334
Humanitas.doc - Volume 3
E S Q U E M A R E P R E S E N TAT I V O D A S FA S E S D A T R A N S I Ç Ã O D E M O G R Á F I C A
40
30
20
10
0
Estágio 1
Taxas de nascimentos e mortes 
(por 1 
000 pessoas/ano)
Estágio 2
Estágio 3
Estágio 4
Estágio 5
Alta
Alta
Caindo
Baixa
Aumenta
de novo
Alta
Cai
rapidamente
Cai mais
devagar
Baixa
Baixa
Estável ou
baixo
65
15
65
15
65
15
65
15
65
15
Aumento
muito rápido
Taxa de
nascimentos
Taxa de mortes
Aumento natural
da população
Taxa de nascimentos
Taxa de mortes
População total
Aumento natural 
da população
Pirâmide
populacional
Homens
Mulheres
Aumento fica
menos rápido
Em queda e 
depois estável
Estável ou
aumento lento
Fonte: elaborado com base em LOPES, R. J. Redução da população do planeta começará na metade 
deste século, diz estudo. Folha de S. Paulo, 25 mar. 2019. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/
ciencia/2019/03/terra-tera-populacao-em-declinio-no-fi m-deste-seculo-afi rma-livro.shtml. 
Acesso em: 11 ago. 2020.
Nas diferentes 
fases da transição 
demográfi ca, 
observa-se 
alteração do padrão 
de mortalidade 
e natalidade. 
Isso infl uencia 
diretamente o 
crescimento 
vegetativo e 
a estrutura 
populacional dos 
países.
Banco de imagens/Arqui
v
o da editora
140
V3_CIE_HUM_Vainfas_g21Sa_Cap6_126a151_LA.indd 140
9/27/20 2:59 PM


N ATA L I D A D E , F E C U N D I D A D E , 
P O L Í T I C A S P Ú B L I C A S E 
T R A D I Ç Õ E S C U LT U R A I S
A escolha de ter um filho envolve uma série de questões, que vão desde aspec-
tos econômicos até culturais. A Alemanha é um dos países com a menor taxa de 
natalidade do mundo, com média de 9,5 nascimentos para cada mil habitantes 
em 2018. No Níger, a taxa de natalidade no mesmo período foi de 46 nascimen-
tos para cada mil habitantes, conforme dados do Banco Mundial. Quais fatores 
influenciaram na construção dessas duas realidades tão distintas?
A Alemanha é um dos países mais industrializados do mundo, completa-
mente inserido no sistema capitalista após a queda do muro de Berlim (1989).
Os padrões sociais da sociedade alemã não estimulam a população a ter filhos. 
Com o sexto maior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do mundo (0,916 
em 2015), o mercado de trabalho competitivo demanda anos de estudo e qua-
lificação, o que faz com que homens e mulheres adiem o projeto de ter filhos.
Os altos gastos financeiros demandados por uma criança, a escassez de va-
gas em creches e a falta de uma rede de apoio para os pais também desesti-
mulam novos nascimentos. Soma-se a isso o fato de que ter filhos contribui 
cada vez menos para o 
status social e, em certos círculos, pode comprometê-
-lo. Famílias numerosas são vistas sob olhar crítico, enquanto é perfeitamente 
aceitável não ter filhos. A influência da religião entre os alemães nas decisões 
familiares é muito reduzida. Assim, em 2018, a taxa de fecundidade – número 
de filhos por mulher – foi de apenas 1,46.
Em contraposição, o Níger apresenta baixo desenvolvimento industrial e o menor 
IDH do mundo (0,348 em 2015). O país se encontra às margens do capitalismo global 
e é marcado por conflitos religiosos e étnicos. A religião ainda ocupa um papel rele-
vante nas decisões familiares, e ter muitos filhos é visto tradicionalmente como sinal 
de riqueza e poder. Além disso, ter filhos ou não é uma decisão que cabe aos maridos.
Nos últimos anos, os homens são estimulados a participar de programas de 
conscientização sobre planejamento familiar em encontros denominados “Es-
cola de marido”. Contudo, essa mudança tem ocorrido lentamente, refletindo 
hábitos culturais arraigados. Com uma taxa de fecundidade de 6,35 em 2018, 
estima-se que a população deva triplicar até 2050.
Notem que realidades distintas demandam políticas públicas diferenciadas. 
Assim, os países que já se encontram no fim da transição demográfica estão 
sendo obrigados a adotar políticas públicas de incentivo à natalidade, como 
vem acontecendo em boa parte da Europa, com a ampliação dos direitos a li-
cenças-maternidade e licenças-paternidade, aumento de férias e inclusive be-
nefícios em dinheiro para aqueles que decidem ter filhos. Com uma realidade 
distinta, alguns países pobres adotaram políticas de controle de natalidade, 
com a criação e expansão da rede de planejamento familiar.
 1 
De que maneira o papel social e as condições econômicas das mulheres se refletem na estrutura etária 
da população? Considere os casos da Alemanha e do Níger para avaliar a questão e discuta sua opinião 
com os colegas.
 2 
Como as políticas públicas relacionadas ao incentivo à reprodução ou ao controle da natalidade podem 
impactar a vida das mulheres? Discuta a questão com os colegas.

Baixar 50.75 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   178   179   180   181   182   183   184   185   ...   334




©historiapt.info 2022
enviar mensagem

    Página principal