Plano de ensino



Baixar 65.64 Kb.
Encontro09.10.2019
Tamanho65.64 Kb.

Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC



Centro de Ciências Humanas e da Educação – FAED




PLANO DE ENSINO




DEPARTAMENTO:


História

ANO/SEMESTRE:

2016.1

CURSO:


História

FASE:

1a

DISCIPLINA:

Escritas da História I

TURNO:

noturno

CARGA HORÁRIA:

72 h/a

CRÉDITOS:

4

PROFESSOR(A):

Rogério Rosa Rodrigues



1 EMENTA


História e retórica. História, ficção e literatura. História e narrativas. A autoridade do testemunho no texto histórico. A construção do enredo no texto histórico. Estilo e meta-narrativa no texto histórico.



2 HORÁRIO DAS AULAS

DIA DA SEMANA

HORÁRIO

CRÉDITOS

Quinta-feira

18:10-19:50

2

Sexta-feira

18:10-19:50

2


3 OBJETIVOS


3.1 OBJETIVO GERAL

Capacitar os alunos à produção de narrativas históricas que promovam novas reflexões sobre as múltiplas possibilidades de narrar os acontecimentos do passado.


3.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Articular, em narrativas ficcionais, categorias históricas como tempo, espaço, memória, identidade, classe e gênero.

Refletir sobre as relações de proximidade e diferença entre a narrativa histórica e a ficcional;

Compor narrativas históricas capazes dar voz a diversos grupos e personagens da história;

Analisar o papel dos testemunhos na construção da narrativa histórica;

Refletir sobre as relações entre história, retórica e ficção.

Analisar o papel de novos suportes tecnológicos e editoriais que possibilitam a construções de outras formas de narrativa, em especial a histórica.


4 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO


Unidade I – Saindo da zona de conforto: exercício de escrita e alteridade. 20 aulas

CARRERO, Raimundo. A preparação do escritor. São Paulo: Iluminuras, 2009.

EVARISTO, Conceição. Ana Davenga. In: Ruffato, Luiz. Questão de pele: contos sobre preconceito racial. Rio de Janeiro: Língua Geral, 2009.

FONSECA, Rubem. Dia dos namorados. In: RUFFATO, Luiz. Entre nós: contos sobre homossexualidade. Rio de Janeiro: Língua Geral, 2007.

HOMERO. Odisseia. 2. Ed. São Paulo: Cultrix, 1976.

LEITE, Ligia Chiappini Morães. O foco narrativo. 2. Ed. São Paulo: Ática, 1985.

LISPECTOR, Clarice. A língua do P. In: A via crucis do corpo. São Paulo: Ed. Arte Nova, 1974.

MONTERO, Rosa. Hernan Cortez e Malinche; amor e traição. In: Paixões: amores e desamores que mudaram a história. Rio de Janeiro: Agir, 1999.

MONTERO, Rosa. História de Mulheres (Introdução). Rio de Janeiro: Agir, 2008

Atividades propostas: produção de narrativas fictícias com pesquisa sobre o contexto histórico, construção do narrador e da personagem, análise crítica de textos da Wikipédia.

Filme sugerido: Dans la Maison.

Site: Detetives do Passado.


Unidade II – temporalidades e conflitos sociais – 20 aulas

ANONIMO. A epopeia de Gilgamesh. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

ARISTÓTELES. Arte poética: texto integral. São Paulo: M. Claret, 2004

CARDOSO, Ciro Flamarion S. O conto de Sanehet. In: Sete olhares sobre a Antiguidade. Brasilia: Ed. da UnB, 1994.

HERODOTO. História. Brasilia: Ed. da UnB, c1985.

RAMOS, Fabio Pestana. A história trágico-marítima nas embarcações portuguesas do século XVI. In: PRIORE, Mary Del (org.) .História da crianças no Brasil. São Paulo: Contexto, 1999.

SALLES, Catherine. Nos submundos da Antiguidade. São Paulo: Brasiliense, 1982.

SANTOS, Dominique (org.). Grandes epopeias da Antiguidade. Blumenau: EdFurb, 2004.

STIGGER, Verônica. Onde a onça bebe água. São Paulo: Cosac Naify, 2015.

Filme (animação): O menino e o mundo. 2015.


Unidade III – Memória e História – 18 aulas

ALENCASTRO, Luiz Felipe. Parecer sobre ações afirmativa.

BORGES, Jorge Luis. Funes, o memorioso. In: Ficções. 3. ed. São Paulo: Globo, 2001.

SILVA, Alberto da Costa e. Imagens da África: da Antiguidade ao Século XIX. São Paulo: Penguin, 2012.

WEINRICH, Harald. Lete: arte e crítica do esquecimento. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.

Filme: (série): Black Mirror.

Terra Cabocla. Contestado. (documentário). 2014.
Unidade IV. Entre ficção e história. 18 aulas

PLUTARCO. Vidas paralelas. São Paulo: Paumape, 1991

TORERO, José Roberto; PIMENTA, Marcus Aurelius. Terra Papagalli. Rio de Janeiro: Objetiva, 2000.

VIDAL, Gore. Juliano. 3. ed. Rio de Janeiro: Rocco, 1986

YOURCENAR, Marguerite. Memórias de Adriano: seguido do Caderno de notas das 'Memorias de Adriano' e da nota . Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1980.

Filme indicado: 300 de Esparta.






5 METODOLOGIA


A disciplina terá como proposta central funcionar como laboratório de produção de narrativas de cunho ficcional com pesquisa histórica, portanto, a metodologia estará centrada na pesquisa e análise de fontes históricas e na produção dos textos que articulem categorias históricas. As produções escritas serão precedidas de pesquisa e debate teórico sobre o caráter e a especificidade da narrativa história e as possíveis relações de semelhança e de diferença com a narrativa ficcional. O método utilizado em aula será, portanto, debate de textos literários e teóricos, análise de fontes históricas, narrativas produzidas pelos alunos, apresentação e debate de filmes.


6 AVALIAÇÃO


ATIVIDADE

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

PESO

Producão de narrativas ficcionais com pesquisa histórica




40%

Montar um portifólio virtual de sua produção ficcional incluindo uma análise crítica dos avanços; na verdade uma espécie de livro, com todos os detalhes, incluindo uma avaliação pessoal de sua produção em termos de escrita e de conhecimento acumulado




20%

Análise crítica de dois textos: uma narrativa literária e uma narrativa histórica




40%


7 BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR


BECKFORD, William. Memórias biográficas de pintores extraordinários. São Paulo: Ateliê Editorial, 2001.

CALVINO, Italo. Por que ler os classicos. 2 ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

CAPEK, Karel. Histórias apócrifas. 3. Ed. São Paulo: Ed. 34, 2013/

CARLYLE, Thomas. Sobre a História. In: MALERBA, Jurandir (org.). Lições de História. O caminho da ciência no longo século XIX. Rio de Janeiro: FGV, 2010.

DELEUZE, Giles. Kafka. Por uma literatura menor. Belo Horizonte: Autêntica, 2014.

HARTOG, François. A arte da narrativa história In: BOUTIER, Jean e JULIA, Dominique (orgs.). Passados recompostos: campos e canteiros da história. Rio de Janeiro: Editora UFRJ/FGV, 1998.

MELVILLE, Herman. Bartleby, o escrivão: uma história de Wall Street. São Paulo: J. Olympio, 2009.

RICOEUR, Paul,. Tempo e narrativa. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2010.

SCHWOB, Marcel. A cruzada das crianças. São Paulo: Hedra, 2011

TUCHMAN, Barbara W. A prática da história. 2. Ed. Rio de Janeiro: J. Olympio/ Bibliex, 1995.


Planejamento diário.



  1. Exercício de escrita e alteridade.

Mulheres

Viveca Aula 2 e aula 3 – voltar a um recorte de classe nesse conto. Ênfase.

Sobre o narrador – Aula 4 – incluir um curta – analisar o tipo de narrador. –

talvez o filme: Dentro da Casa. Aula inserir a propaganda criança falando para os pais.

Malinche aula 5 – analisar Wikipédia e depois Malinche de Rosa Montero – atividade comparação – Os homens e a fixação da imagem da mulher.

Aula 6- Rosa montero – história de mulheres. Pesquisar uma das mulheres da antiguidade na Wikipédia, buscar documentos e construir uma narrativa sendo uma dela.

Aula 7 - Liberata –

Aula 8 - Calipso –

Aula 9 Ana Davenga –

Aula 10 - Professora de inglês do conto A língua do P – aula 6


Valeria muito inserir artigo Marcelo Rede sobre mulheres na Mesopotâmia. Analisar não apenas o conteúdo, mas a forma, a narrativa, etc.
Propaganda sobre abuso de mulheres, filha que ainda não nasceu falando pros pais.

Unidade II – Diversidade social e temporalidades

Aula 11 - Grumetes –

Aula 12 - Animação: O menino e o mundo

Aula 13 e - Onde a onça bebe água (atividade de análise) – talvez inserir mito de narciso.

Aula 14 e 15 - Sanehet

Aula 16 e 17 Gilgamesh. Prostitutas sagradas.

Aula 18 e 19 Herodoto.

Aula 20 e 21 – história da Africa de Alberto Costa e Silva.

Talvez terminar com Conto mineirinho de Clarice Lispector. Articular com disciplina de Viviane sobre prontuários. Ser um preso. Narrar em terceira pessoa. Narrador que vai se revelando, aos poucos. Sem nada saber.


Unidade III – Memória e história

Aula 22 Funes, o memorioso. Borges

Aula 23 Black Mirror mais o entrevista de Umberto Eco.

Qula 24 - Lete de Harald Weinrich. .cap. final.

Aula 25 Facebook. Talvez inserir um conto sobre terra do nunca. Verificar conto Andersen. Memória e esquecimento. Inserir o ensaio. Na terra do nunca, terra onde todos são felizes.

Aula 27 Detetives do passado. Pedido retorno Africa. Ou Baquaqua.

Aula 28 e 29 Parecer de Alencastro.

Texto de um historiador. Memória do cativeiro de Hebe Matos.

Verificar esse livro: FROBENIUS, Leo; FOX, Douglas C. A genese africana: contos, mitos e lendas da Africa . São Paulo: Landy Editora, 2005.

Unidade – Entre história e ficção.

Aula 30 e 31 Plutarco

Aula 34 Amiano Marcelino.

Aula 32 Yourcenar – Memórias de Adriano

Aula 33 Gore Vidal – Juliano

Aula 35 O menino persa

Terra papagalli de José Robero Torero.



Filme; Maria Antonieta ou 300 de Esparta.


Compartilhe com seus amigos:


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal