Plano de ensino departamento



Baixar 57.62 Kb.
Encontro18.03.2020
Tamanho57.62 Kb.

CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E DA EDUCAÇÃO – FAED



DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA
PLANO DE ENSINO


DEPARTAMENTO:

Departamento de História

ANO/SEMESTRE:

2016.1

CURSO:

História

FASE:



DISCIPLINA:

História da Leitura

TURNO:

noturno

CARGA HORÁRIA:

72 horas/aula

CRÉDITOS:

04

PROFESSORA:

Ana Luíza Mello Santiago de Andrade

Pós-Graduando

Estágio Docente

Nelson Maurilio Coelho Junior


1 EMENTA


História e Historiografia da Leitura: possibilidades e limites. Leituras e seus suportes: a indústria dos impressos. As práticas cotidianas de ler e os diferentes modos de apropriação da leitura. Leituras e Instituições: Bibliotecas, Escolas e Livrarias. Leituras Literárias.Leituras de Civilidades: manuais escolares e leituras de formação. Sujeitos leitores: memórias de leitura.


2 HORÁRIO DAS AULAS


DIA DA SEMANA

HORÁRIO

CRÉDITOS

Quartas-Feiras

18h10min - 19h50

02

Quintas-Feiras

20h - 21h40min

02


2.1 – Calendário das Aulas:


Fevereiro

Março

Abril

Maio

Junho

Julho

24, 25

02,03

06,07

04,05

01,02

01,04




09,10

13,14

11,12

08,09

08,11*




16,17

20,21

18,19

15,16







30,31

27,28

25

22,23
















29






3 OBJETIVOS:
3.1 OBJETIVO GERAL:
O curso pretende, em diálogo com a História / Historiografia da Leitura, materializar através de bibliografias da área um fórum à reflexão, ao debate e à difusão de pesquisas que têm na leitura e na palavra impressa seus objetos principais. De igual maneira, almeja caracterizar práticas de leitura, instituições voltadas à leitura e percursos de leitores/as em áreas cullturais distintas e em múltiplas temporalidades.

3.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS:


  1. Reconhecer/problematizar os pressupostos, as possibilidades, o estado da arte e os limites na emergência de uma História/Historiografia da Leitura;




  1. Estudar os variados suportes, as instituições e os acervos ligadas ao ato de ler como formas e locais de circulação e salvaguarda de idéias problematizando-as como circuitos de consumo de bens culturais e espaços de sociabilidade capazes de atuar na constituição de um imaginário.




  1. Estudar a construção/circulação e apropriação/ressonância de leituras literárias, de civilidade e escolares (manuais) no âmbito privado e escolar como condição de modernidade e como ícones para fabricação de sujeitos “civilizados”.




  1. Realizar exercícios de leituras/escritas sobre/com textualidades diversas: fotografias, cartões-postais, charges, textos literários, livros de bolsos, cartas, diários.




  1. Produção de memórias de leituras em múltiplas temporalidades.




  1. Estudar a relação entre História e Literatura, a partir de diferentes operações historiográficas.


4 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO


Unidade I: História e Historiografia da Leitura: pertinências e limites de uma intersecção.

Unidade II: Suportes e textualidades: Iconografia da Leitura/ Filmografia

Unidade III: A Leitura e as Instituições: Bibliotecas, Livrarias, Escolas, Museus

Unidade IV: Leituras Literárias, Escolares e Leituras de Civilidade: Uma aprendizagem

Unidade V: Práticas e Memórias de Leitura: Sujeitos leitores em cena/Leituras de formação /Acervos de Leitores e de Leituras


5 METODOLOGIA


● Aulas expositivas e dialogadas com discussão /análise de artigos e estudos sobre os temas abordados na disciplina com utilização de recursos audiovisuais

● Apresentação de trabalhos individuais e em duplas a partir de textos/teses/dissertações na área

● Leituras e Pesquisas Orientadas (obras e imagens que tematizam o livro e a leitura)

● Levantamento bibliográfico analítico de materiais (suportes) de leitura (livros, catálogos, meio digital, etc) em acervos pessoais;

● Palestras com pesquisadores da área e apresentação de trabalhos feitos na área por convidados.

● Visitas guiadas a espaços leitores /Elaboração de memórias de leitura




6. AVALIAÇÃO


ATIVIDADE

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

PESO

Trabalhos escritos

1.Produção individual de comentário crítico em forma de texto (Dissertação/ Tes’1e/ Artigo/ Filme) que aborde quaestões relativas à leitura e a partir da bibliografia do curso (diálogo com 2 autores, no mínimo).

2. . Seminário em duplas, a partir de bibliografia selecionada pela professora.


1.Consistência teórica e coerência das considerações efetuadas; redação própria e clareza na expressão escrita.

(Texto digitado, folha A4, Fonte Times New Roman, tamanho 12, espaço entrelinhas de 1,5com no minímo 2 e máximo de 4 laudas), sem contar a bibliografia.

PLÁGIO NÃO SERÁ TOLERADO
Seleção do conteúdo, expressão oral e escrita, criatividade, interpretação teórica


25%

30%



3 Elaboração de uma memória de leitura, em suporte a escolher (escrita, digital,etc) a ser entregue depois de apresentada em sala de aula.



Escrita com argumentação e apresentação em sala.

25%

4. Participação

C


Presença, leitura dos textos, participação nos debates e discussões.


20%



8 BIBLIOGRAFIA

BÁSICA

1. SCHAPOCHNIK, Nelson. Cicatriz de Origem: Notas para uma historiografia da leitura no Brasil. IN: João Alexandre Barbosa: O leitor Insone/ Plínio Martins Filho, Waldecy Tenório, organizadors. SP: EDUSP, 2007. p.367-388.

2. DARNTON, Robert. História da leitura .IN:BURKE,Peter. A escrita da História:Novas Perspectivas. SP: Edit. da UNESP, 1992.pp 199-232.

3. DE CERTEAU, Michel. Ler: Uma operação de caça.In; A Invenção do Cotidiano :1.Artes de Fazer/ Petrópolis,RJ: Vozes,1994. p.259-273.

4. DeNIPOTI, Cláudio. Páginas de prazer. A sexualidade através da leitura no início do século. São Paulo: Editora da UNICAMP, 1999.

5. CHARTIER, Roger. Do livro à leitura. As práticas urbanas do impresso (1660-1780). In: Leituras e leitores na França do Antigo Regime.SP: UNESP, 2004.

6. CHARTIER, Roger.(org). Introdução e Prefácio: Roger Chartier e GOULEMOT, JEAN MARIE. Da leitura como produção de sentidos.In: Práticas da Leitura.SP: Estação Liberdade,1996 p. 9-22 e 107 e 116.

7. MATOS, Felipe. Uma ilha de Leitura: Notas para uma história de Florianópolis através de suas livrarias, livreiros e livros (1830-1950). Florianópolis: Editora da UFSC. 2008.

8. SCHOPENHAUER, Arthur. Sobre livros e leitura. Florianópolis: Editora Paraula. 1993.

9.GOULEMOT, Jean-Marie. Esses livros que se lêem com uma só mão. Leitura e leitores pornográficos no século XVIII.SP: Editora Discurso Editorial.2000.

10. MOULIER, Jean-Yves. A leitura e seu público no mundo contemporâneo. Ensaios sobre História Cultural. BH: Autêntica.2008. (Segunda Parte: A inatingível biblioteca do povo , p.61-110).

11. BRAGANÇA, Aníbal e ABREU, Márcia. Impresso no Brasil. Dois séculos de livros brasileiros.SP: Editora UNESP/ Biblioteca Nacional. 2010.

12. CASTILLO GÓMEZ, António. El despertar de los lectores. In: História mínima Del libro y la lectura.Madrid: Siete Mares, 2004.p.68-82.

13. ECO, Umberto. A Memória Vegetal. In: A Memória Vegetal e outros escritos sobre bibliofilia. Tradução de Joana Angélica D’Ávila.2ª edição. RJ: Record, 2011. p. 9-32.

14. SEBRIAN, Raphael Nunes Nicoletti (org). Leituras do Passado. Campinas (SP): Pontes Editora, 2009.

15. BRIGGS, Asa, PETER, Burke. Uma História Social da Mídia: de Gutenberg à Internet.Tradução de Maria Carmelita Pádua Dias; Revisão de Paulo Vaz. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed, 2004.



16. PINSKY, Carla Bassanezi; LUCA, Tânia Regina de (Orgs.). O historiador e suas fontes. São Paulo: Contexto, 2009.

17. HUNT, Lynn. A invenção dos direitos humanos: uma história. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

18. CHALHOUB, Sidney. Machado de Assis historiador. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

19. CHARTIER, Roger. Do palco à página. Publicar teatro e ler romances na época moderna- Séculos XVI-XVIII. Rio de Janeiro: Casa da Palvra,2002

20. CHARTIER, Roger. A máo do leitor e a mente do editor.São Paulo: Editora UNESP, 2014.

21. Textos literários a selecionar.(Clarice Lispector, Machado de Assis, Pedro Nava, etc)

22. Filmes relacionados ao tema ( Minhas tarde com Margueritte; Uma leitora particular, etc)
COMPLEMENTAR

ALGRANTI, Leila Mezan. Livros de devoção, atos de censura. Ensaios de História do Livro e da Leitura na América Portuguesa (1750-1821).

A PAIXÃO PELOS LIVROS.( Organização Júlio Silveira e Martha Ribas) RJ: Casa da Palavra, 2004.

ABREU, Márcia (org).Leitura, História e História da Leitura. Campinas (SP) Mercado Aberto/ALB: SP:FAPESP,1999. (Coleção Histórias da Leitura).

ABREU, Márcia e SCHAPOCHNIK, Nelson (org). Cultura letrada no Brasil. Objetos e Práticas. Campinas (SP): Mercado Aberto/ALB:SP: FAPESP, 2005.( Coleção Histórias da Leitura)

BATISTA, Antônio Augusto Gomes e GALVÃO (orgs). Leitura. Práticas, Impressos, letramentos. BH; Autêntica. 1999.

_________. Livros escolares de leitura no Brasil. Elementos para uma história. Campinas(SP).Mercado de Letras.2009.
BELO, André. História&livro e Leitura. Belo Horizonte:Autêntica, 2002.

BERDUGO, Cecília Rincón. La enseñanza de la lectura y la escritura em Colômbia (1870-1936).Universidad Distrital Francisco Jose Caldas. Bogotá, 2003.

BESSONE, Tania Maria. Palácios de destinos cruzados. Bibliotecas, homens e livros no Rio de Janeiro. 1870-1920. RJ: Arquivo Nacional, 1999.

BRAGANÇA. Aníbal. Livraria Ideal. Do cordel á bibliofilia.Niterói. Edições Pasárgada; EDUFF, 1999.

BRITO BROCA. Horas de leitura. RJ: MEC/INL, 1957.

BURY, Richard de. Philobiblon. SP: Ateliê Editorial, 2004.

CARVALHO, Marta Chagas de e VIDAL, Diana Gonçalves (org.). Biblioteca e formação docente: Percursos de Leitura. BH e SP: Autêntica e FEUSP, 2000.

CASTRO, César A. (org.). Leitura, Impressos e Cultura escolar. São Luís. EDUFMA, 2010.

CASTELLANOS, Samuel Luis Velásquez. Práticas Leitoras no Maranhão na Primeira República.Entre apropriações e representações. São Luís: EDUFMA,2010.

CHARTIER, Anne-Marie e HÉBRARD, J. Discursos sobre a leitura. SP:Àtica, 1995..

_________Roger. A História Cultural.Entre Práticas e representações.Lisboa:Difel,1990.

_________ R. As utilizações do objeto impresso.Lisboa: Difel, 1998.

_________.R. A aventura do livro. Do leitor ao navegador. SP: Edit UNESP,1998.

_________ R. Á beira da falésia. A História entre certezas e inquietudes. Porto Alegre: Ed. da UFRGS, 2002.

_________R. A história ou a leitura do tempo. Tradução de Cristina Antunes.BH: Autêntica.2009.

CHARTIER, Roger e CAVALLO, Guglielmo. História da leitura no mundo ocidental.Vol. I e II.SP: Àtica, 1998.

CICERO, Antonio. A cidade e os livros. SP: Record, 2003.

CUNHA, Maria Teresa Santos. Uma biblioteca anotada. Caminhos do leitor no acervo de livros escolares no Museu da Escola Catarinense (Décadas de 20 a 60/século XX).Florianópolis. Imprensa Oficial do Estado:UDESC, 2009.

DEAECTO, Marisa Midori. O império dos livros: Instituições e Práticas de Leitura na São Paulo Oitocentista. SP: EDUSP/ FAPESP, 2011.

DELGADO, Márcia Cristina. Cartografia sentimental de sebos e livros. Belo Horizonte: atêntica, 1999.

DE LUCA, Tania Regina. Leituras, projetos e (Re)vista(s) do Brasil. 1919-1944. SP: Editora UNESP,2011..

Dentro de um livro/ contos. Rio de Janeiro. Casa da Palavra.2005.

ESTUDOS DE HISTÓRIA DA ALFABETIZAÇÃO E DA LEITURA NA ESCOLA./Cleonara Maria Schwartz, Eliane Peres e Isabel C.A. Silva Frade (orgs). Vitória,ES: EDUFES,2010.

FADIMAN, Anne, Ex-Libris. Confissões de uma leitora comum. RJ:Jorge Zahar Ed. 2002.

FAGUET, Èmile. A arte de ler. Tradução de Adriana Lisboa.RJ: Casa da Palavra.2009.

FISCHER, Beatriz Daudt. Tempos de Escola.(volumes 1,2,e,3).São Leopoldo (RS).Oikos Editora. 2011, 2012.

FRITZSCHE, Peter. Berlin 1900. Prensa, lectores y vida moderna. Buenos Aires: Siglo XXI Editores, 2008.

HÉBRARD, Jean. As bibliotecas escolares. Entre leitura pública e leitura escolar na França do II Império e III República. Tradução de Maria de Lourdes Meirelles Matencio. Campinas,SP: Mercado de Letras,2009.

HISTORIA DE LA LECTURA EN MÉXICO./Seminario de História de la Educación enMéxico . México:El Colegio de México/Centro de E, Estudios Historicos, 2000.

LACERDA, Lílian de. Álbum de leitura. Memórias de vida, histórias de leitoras. SP: Editora UNESP, 2003

LAJOLO, Marisa. Literatura: Leitores e &Leitura. São Paulo: Moderna, 2001.

____________________________. A formação da leitura no Brasil. São Paulo: Ática, 1996.

LEITURAS E LEITORES. Acervo. Revista do Arquivo Nacional. VOl. 8 nº 1 /2.1995.

LIVRO – Revista do Núcleo de Estudos do Livro e da Edição. SP: Ateliê Editorial, n.1.2011.

LIVRO – Revista do Núcleo de Estudos do Livro e da Edição.SP: Ateliê Editorial, n.2. 2012.

LYONS, Martyn e LEAHY, Cyana. A palavra impressa. Histórias da leitura no século XIX RJ: Casa da Palavra, 1999.

_______. Livro. Uma História Viva.Tradução Luís Carlos Borges. SP: Editora Senac, 2011.

JOUVE, Vincent. A Leitura.Tradução de Brigitte Hervot.SP: Editora da UNESP. 2002

MANGUEL, Alberto. Uma história da leitura.SP: Companhia das Letras,1997.

___________.Lendo imagens. SP: Companhia das Letras,2001.

__________. Os livros e os dias. Um ano de leituras prazerosas.SP: Cia das Letras, 2005.

MARINHO, Marildes e SILVA, Ceres Salete Ribas da. Leituras do Professor. São Paulo: ALB e Mercado Aberto, 1998.

MARTINS, Wilson. A palavra escrita. História do livro, da imprensa e da biblioteca.3ª ed. SP: Ática, 2002.

Memórias esparsas de uma bilbioteca/ com José Mindlin:entrevista a Cleber Teixeira e Dorothée de Bruchard . – SP:Imprensa Oficial do Estado de São Paulo; Florianópolis,SC: Escritório do Livro, 2004. – (Coleção Memória do Livro).

MELO, Orlinda Carrijo.A invenção da cidade. Leitura e leitores. Goiânia. Editora UFG. 2007.

MILANESI, Luís. Biblioteca.SP: Ateliê Editorial, 2002.

MINDLIN, José. Uma vida entre livros.Reencontros com o tempo. SP: Companhia das Letras/USP, 1997.

MORAIS, Maria Arisnete Camara de. A leitura de mulheres no século XIX. Belo Horizonte: Autêntica, 2002.

MORAIS,José. A arte de ler. São Paulo: Editora da UNESP, 1996.

PAIVA,Aparecida. A voz do veto. Belo Horizonte: Autêntica, 1997.

PARK, Margareth Brandini. Histórias e leituras de almanaques no Brasil. Campinas: ALB, Mercado de Letras, FAPESC. 1999.

PENNAC, Daniel. Los derechos imprescriptibels Del lector. Quid (Revista Cultural).2007.

PERES, Eliane e TAMBARA,Elomar (orgs). Livros escolares e ensino da leitura e da escrita no Brasil (séculos XIX e XX). Pelotas (RS): Seiva Editora.2003.

PESAVENTO, Sandra(org). Escrita, Linguagem, Objetos. Leituras de História Cultural. Bragança Paulista: EDUSC, 2004.

PROUST, Marcel. Sobre a leitura. Campinas (SP), Pontes,1991

SCHWARCZ, Lilia Moritz. A longa viagem da biblioteca dos reis: do terremoto de Lisboa á Independência do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

VELOSO, Mariza e MADEIRA, Angélica.Leituras Brasileiras.Itinerários no pensamento social e na literatura.SP: Paz e Terra, 1999.

VENANCIO, Giselle Martins. As flores raras do jardim do poeta. O catálogo da coleção Eurico Facó. Fortaleza: Museu do Ceará..2006.

VIÑAO FRAGO, Antonio. Leer y escribir. Historia de dos prácticas culturales.México.

Voces y Vuelos. 1999.


Periódicos:

Revista Acervo/ Arquivo Nacional/ v.8/Leituras e Leitores.

Revista da Associação de Leitura do Brasil (www.alb.com.br) : Leitura:Teoria &Prática.

Consulta ao site: www.escritoriodolivro.org.br ( especialmente bibliografia leitura)







Compartilhe com seus amigos:


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal