Pesquisa incluída no fim de cada capítulo: assistir, ouvir, ler, contemplar e percorrer os sites indicados, sem limitações à curiosidade. Entretanto, é na página Ação


Arte e História – A cultura e o bom vizi-



Baixar 87 Mb.
Pdf preview
Página312/353
Encontro16.07.2022
Tamanho87 Mb.
#24280
1   ...   308   309   310   311   312   313   314   315   ...   353
Arte - Volume único
Arte e História – A cultura e o bom vizi-
nho
– O boxe aborda a política da boa vizinhança, 
estratégia diplomática para manter o Brasil sob 
a influência estadunidense. O texto mostra que, 
entre outras ações, a cultura brasileira foi levada 
para os Estados Unidos para estreitar os laços en-
tre as duas nações. O tema será abordado na aula 
de História, quando os alunos estudarem o Estado 
Novo no Brasil.
pesquisa – o rádio no coTidiano Brasileiro
Teoria – radionovelas
Professor, dê preferência por promover a escuta 
de um episódio da radionovela Escravo, nem pen-
sar! 
Isso vai ajudar os alunos na Ação que será de-
senvolvida na sequência. 
Conduza a conversa no sentido de extrair as 
características únicas da radionovela. Evite com-
parações com a novela televisiva. Levante com o 
grupo aspectos concretos da linguagem radiofôni-
ca: como os atores fazem para caracterizar suas 
personagens somente com a voz? Qual a utilização 
dada ao som para criar os ambientes que articulam 
a narrativa da história que está sendo contada? In-
centive a turma a criar situações e personagens que 
recortem temas do dia a dia deles, sempre enfocan-
do a produção puramente sonora. 
texto complementar
.. 
soBre porTinari 
Figuras do moderno (possível)
Se a princípio fora necessário definir uma identida-
de artística nacional, nos anos trinta o eixo do de-
bate se desloca para o campo da identidade social, 
levando o modernismo plástico a defrontar-se com 
a problemática de uma linguagem mais acessível ao 
público. A preocupação com o tema torna-se mais 
central do que no decênio anterior: sob o impacto da 
revolução de 1930, e do acirramento da oposição 
entre direita e esquerda, os modernistas conferem 
um novo significado à poética do Expressionismo, 
[agora] concebida sobretudo em termos realistas.
Acaba por realizar-se de vez aquela transformação 
de significado que Mário de Andrade havia iniciado 
com sua análise particular da obra de Segall. Da 
poética do eu individual o Expressionismo conver-
te-se em poética do ser social. O recurso à defor-
mação assume outro significado; torna-se uma ma-
neira de criticar o mundo em seus aspectos mais 
flagrantemente injustos, conferindo quase e sem-
pre um ar digno e heroico àqueles atores sociais es-
quecidos ou negligenciados pela história oficial. Tal 
interpretação do Expressionismo, que conflui com 
um renovado interesse pelo Realismo, não deve ser 
vista como uma tendência particular do Brasil da-
quele momento. Ela integra um debate mais amplo, 
que toma conta de países como França, Inglaterra e 
Estados Unidos, em cujo epicentro se situa a busca 
de uma relação efetiva da arte com a realidade con-
temporânea, capaz de superar o formalismo das 
vanguardas, reinstaurar o tema e configurar uma 
visão utópica não apenas da sociedade, mas da 
própria concisão existencial da humanidade.
Nesse outro contexto insere-se outra figura pa-
radigmática da modernidade brasileira, Portinari, 
que se tornará o grande expoente desse segundo 
momento, marcado pela institucionalização do 
Modernismo e por sua cooptação pela esfera ofi-
cial com a transferência de seu eixo de irradiação 
de São Paulo para o Rio de Janeiro. Na temporada 
parisiense (1929-1931), Portinari depara-se com o 
Picasso pós-cubista, que chama sua atenção não 
apenas por assumir francamente o próprio virtuo-
sismo, mas, sobretudo por evidenciar uma atitude 
livre perante a pintura. [...]
Ao longo dos anos trinta, Portinari elabora os aspec-
tos fundamentais de sua visão realista, através da 
qual forja uma iconografia nacional alicerçada em 
três temas fundamentais: figuras populares, traba-
lhadores e evocações da infância em Brodoski.
faBrIs, annateresa. figuras do moderno (possível). In: sCHWarTZ, 
Jorge (org.) Da Antropofagia a Brasília: Brasil 1920-1950. Valência 
(espanha)/IVam. são paulo: faap, 2002. p. 47-48.
Brasil
Cândido Portinari, Painéis, 1938. Pintura mural a fresco, 280 cm x 248 cm.
Pintura mural, afresco
Tema: O heroísmo do trabalhador
História do Brasil contada a partir do papel do trabalhador 
na economia
Modernismo brasileiro
Planos de cores, espaço cubista, figuras realistas
Luciana Whitak
er/P
ulsar 
Imagens
Arte_vu_PNLD2015_MP_075a93.indd 78
6/24/13 1:06 PM


manual do professor |
79
práTica – paisagens e siTuações a parTir de sons
Professor, incentive a turma a explorar diversas 
e inusitadas possibilidades sonoras. Fuja dos luga-
res-comuns, explore modulações da voz, estalos de 
língua, ruídos, batidas. Não tenha medo de momen-
tos de muito barulho; alterne-os com momentos de 
quase silêncio. 

Baixar 87 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   308   309   310   311   312   313   314   315   ...   353




©historiapt.info 2022
enviar mensagem

    Página principal