Pesquisa incluída no fim de cada capítulo: assistir, ouvir, ler, contemplar e percorrer os sites indicados, sem limitações à curiosidade. Entretanto, é na página Ação



Baixar 4.71 Mb.
Pdf preview
Página284/353
Encontro16.07.2022
Tamanho4.71 Mb.
#24280
1   ...   280   281   282   283   284   285   286   287   ...   353
Arte - Volume único
dental
. Porto Alegre: Globo, 1975.
GASSNER, John. Mestres do teatro I. São Paulo: Pers-
pectiva, 1974.
GOMBRICH, E. H. A história da arte. 16. ed. Rio de Ja-
neiro: LTC, 1999.
HOCKNEY, David. O conhecimento secreto. São Paulo:
CosacNaify, 2001.
KEMP, Martin (Coord.). História da arte no ocidente
Lisboa: Editorial Verbo, 2006.
MEGGS, Philip B. História do design gráfico. São Paulo:
CosacNaify, 2009.
PARRAMÓN, José M. A perspectiva na arte. Lisboa: Edi-
torial Presença,1993.
STADEN, Hans. Duas viagens ao Brasil. Belo Horizonte:
Itatiaia; São Paulo: Edusp, 1974.
TESSARI, Roberto. Debate sobre teatro do Renascimen-
to italiano e teatro no Renascimento italiano. In: CAR-
VALHO, Sérgio de (Org.). O teatro e a cidade: lições de 
história do teatro.
São Paulo: SMC, 2004.
WERTHEIM, Margaret. Uma história do espaço de Dan-
te à internet
. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.
13. Barroco
Este capítulo aborda o período da arte barroca,
em que a estratégia da Igreja católica como encami-
nhamento da Contrarreforma é pôr em prática uma
série de projetos estético-religiosos para reconquis-
tar seus fiéis. Trata-se de uma arte emocional, tea-
tral e encenada. O capítulo abarca o absolutismo, o 
nascimento do mercado de arte na Holanda, a pre-
sença dos holandeses no Brasil, o barroco no Brasil
Bahia, em Minas Gerais e no Rio de Janeiro. Aborda
ainda a commedia dell’arte e de forma breve as fes-
tas religiosas no Brasil colonial.
Na abertura 
vemos cinco imagens: três retratos
pintados, uma imagem esculpida em madeira e uma 
igreja. O professor pode interrogar a turma: o que
estas imagens podem nos dizer sobre o barroco? O
que estas pinturas representam? quem as teria exe-
cutado? Com que finalidade?.
As frases nos ajudam a responder algumas des-
sas perguntas, elas falam de luz e sombra, retratos
oficiais, poder, artistas europeus no Brasil e arqui-
tetura religiosa. A Medusa demonstra a pintura
revolucionária do italiano Caravaggio. Um dos re-
tratos representa um africano pintado pelo holandês 
Eckhout: uma visão de um artista europeu sobre os
habitantes do Brasil. O “Rei Sol” Luís XIV, foi retrata-
do mais de 200 vezes durante seu reinado de 72 anos.
Este retrato foi realizado no auge de sua glória, aos
c) Descreva o que, na obra desse artista, despertou sua atenção.
Neste caso, a forma mais rápida de fazer a busca é colocar o nome do artista num site de busca e pedir para ver as 
imagens. Mas é importante que o aluno tenha alguns critérios para escolher os sites que visitará. Os mais confiáveis, 
em termos de exatidão de informações. Eles devem dar prioridade para os sites de museus, enciclopédias e portais 
educacionais que trazem informação sobre as obras.
2. Trabalho prático
Experimente construir um desenho usando a perspectiva com um ponto de fuga. Dese-
nhe um retângulo, determine o centro dele. Desenhe um objeto que será visto de frente na 
cena, uma caixa, um cubo. E trace as diagonais a partir de suas arestas até o ponto de fuga 
para determinar sua profundidade. Vá aos poucos colocando outros objetos, obedecendo a 
regra de desenhá-los menor quanto mais distantes eles estiverem. Faça um piso quadricu-
lado para reforçar o efeito. Para esse trabalho é preciso ter régua, lápis ou lapiseira.
Primeiro o aluno desenha o maior retângulo possível dentro do papel, tomando o cuidado de manter as arestas opostas 
paralelas. Depois traça as diagonais unindo os vértices opostos, determinando o ponto de fuga no centro da imagem. A 
seguir pode desenhar um quadrado em primeiro plano, à direita, e ligar os vértices esquerdos do quadrado ao ponto de fuga. 
Visualmente determina a profundidade que quer dar ao objeto, marca um ponto e traça uma vertical. Segue colocando 
 outros objetos nesse cenário que pode ser uma cidade, uma mesa com objetos ou uma abstração. Para fazer o piso quadri-
culado, basta traçar horizontais cada vez mais próximas, de fora para dentro, na parte inferior do retângulo. O aluno pode 
usar uma progressão, por exemplo: 20, 15, 10, 5, 2 mm. Depois divide a aresta externa em partes iguais, marcando pontos 
de 20 mm em 20 mm, por exemplo. Depois é só ligar os pontos ao ponto de fuga central. Com o traçado pronto o aluno pode 
passar uma caneta hidrocor preta para reforçar o desenho e pintar o piso com quadrados cheios e vazios.
Arte_vu_PNLD2015_MP_038a74.indd 52
6/24/13 1:05 PM


manual do professor |
53
Caravaggio (Michelangelo de Merisi). O chamado de São Mateus. 1599-1600, óleo sobre 
tela, 3,24 m x 3, 40 m.
Cena retrata passagem bíblica
Encenada por homens do povo
Luz teatral
Ambiente simples
Itália
Rembrandt van Rijn. A aula de anatomia do Dr. Nicolas Tulp. 1632, 
óleo sobre tela, 169,5 cm x 216,5 cm. 
Cena retrata um cientista em seu cotidiano
Encenada por personagens reais 
O cenário é uma aula
Luz artificial
A vida é um retrato
Holanda
Diego Velázquez. A família 
de Felipe IV ou As meninas
1656, óleo sobre tela, 
318 cm x 276 cm.
Cena retrata 
personagens da corte
O cenário e as roupas 
indicam poder e riqueza 
Luz natural
O artista também está 
em cena 
Espanha
63 anos. O seu manto é decorado com flores-de-lis
douradas, que simbolizam a monarquia francesa. O
retrato foi encomendado pelo rei para ser presentea-
do a Felipe V da Espanha, que era seu neto. Tais pin-
turas eram consideradas presentes apropriados para 
membros da realeza aparentados e conectados por
casamento. Com os retratos, os membros da realeza
reforçavam a importância de seus laços familiares.
Cenário histórico relata como o mercantilismo 
e o colonialismo enriqueceram e concentraram o po-
der dos monarcas na Europa. Comenta também que os
europeus subjugaram a cultura local de suas colônias.
O tema subjacente do capítulo é Teatralida-

Baixar 4.71 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   280   281   282   283   284   285   286   287   ...   353




©historiapt.info 2022
enviar mensagem

    Página principal