Pesquisa incluída no fim de cada capítulo: assistir, ouvir, ler, contemplar e percorrer os sites indicados, sem limitações à curiosidade. Entretanto, é na página Ação



Baixar 87 Mb.
Pdf preview
Página227/353
Encontro16.07.2022
Tamanho87 Mb.
#24280
1   ...   223   224   225   226   227   228   229   230   ...   353
Arte - Volume único
música,
dança e teatro. A partir do trabalho com 
todas estas linguagens espera-se que o aluno, em 
sua prática escolar e na sua futura vida profissional, 
possa construir discursos verbais, visuais, cor­
porais, musicais e híbridos
.
As Orientações Curriculares para o Ensino Mé-
dio (OCEM)
7
, na busca de um ensino mais integrado, 
inseriram a disciplina Arte na área de Linguagens, 
Códigos e suas tecnologias, que tem como eixo o 
desenvolvimento das faculdades de representa­
ção
comunicação. No entanto, abordando o en-
sino das artes como linguagem nos deparamos com 
a necessidade de buscar uma forma significativa e 
não apenas instrumental para este processo:
Nem sempre é fácil decidir se ensinamos, primeiramente, 
as ferramentas e incentivamos seu uso para resolver pro-
blemas mais tarde, ou se começamos com os problemas 
e aprendemos a usar as ferramentas, à medida que sua 
necessidade é reconhecida. Dewey incentivou a primeira 
opção, afirmando que, basicamente, isto torna as discipli-
nas significativas desde o começo da aprendizagem.
8
A proposta de trazer um panorama da cultura 
para a disciplina Arte no Ensino Médio busca ofere-
cer um contexto no qual temas subjacentes pos-
sam ser apropriados pelo professor e aluno, de modo 
a orientar a pesquisa e a produção com cada uma 
das linguagens. O panorama cultural, aqui, não visa 
7 BRASIL.
Orientações Curriculares para o Ensino Médio: linguagens, códigos
e suas tecnologias. Brasília: SEB/MEC, 2006.
8 PARSON, Michael. Currículo, arte e cognição integrados. In: BARBOSA, Ana
Mae (Org.).Em
Arte/Educação Contemporânea – Consonâncias internacio-
nais, op. cit. p. 287.
P
AR
TE GERAL
Arte é educação
1
O debate sobre o ensino e a relevância da dis-
ciplina Arte na escola engendrou um campo de sa-
ber; a arte/educação
2
, que tomou corpo a partir da 
aproximação da pedagogia e da arte, com o filósofo 
estadunidense John Dewey (1859-1952)
3
, propon-
do o conceito de arte como experiência, durante o 
modernismo. Muitos pensadores têm contribuído 
nesta discussão apontando o papel crescente da 
arte na educação. A arte se apresenta como o meio 
através do qual o jovem se sente atraído para inter-
pretar, elaborar reflexões e representar o mundo a 
sua volta. 
No Brasil, a educadora Ana Mae Barbosa (1941-) 
propôs a abordagem triangular
4
, que vem orien-
tando as ações educativas de arte, inclusive as di-
retrizes curriculares dos Parâmetros Curriculares 
Nacionais (PCN), a partir da contextualização his-
tórica, apreciação e produção artística
.
Com a necessidade de trazer para o processo de 
ensino e aprendizagem a diversidade e a pluralida-
de cultural, foi preciso olhar para a cultura a partir 
do conceito de ecologia de saberes, desenvolvido, 
ainda que de maneiras diferentes, pelo filósofo 
francês Felix Guattari (1930-1992)
5
e pelo sociólo-
go português Boaventura de Souza Santos (1940-)
6

Por ecologia de saberes estes autores entendem o 
1 Nome do programa de educação proposto pelo curador cubano Eugênio
Valdés, diretor de Arte e Educação da Casa Daros, Rio de Janeiro, em 2013.
2 Expressão proposta por Ana Mae Barbosa, por sugestão de um linguista. A
barra significa pertencimento. BARBOSA, Ana Mae (Org.).
Arte/Educação Con-
temporânea – Consonâncias internacionais. São Paulo: Cortez, 2010. p. 21.
3 DEWEY, John.
Arte como experiência. Trad. de Vera Ribeiro. São Paulo: Mar-
tins Fontes, 2010. O livro foi publicado pela primeira vez em 1934.
4 Veja: BARBOSA, Ana Mae.
A imagem no ensino da arte: anos oitenta e novos
tempos. São Paulo: Perspectiva; Porto Alegre: Fundação Iochpe, 1991.
5 GUATTARI, Félix.
As três ecologias. Campinas: Papirus, 1990.
6 SANTOS, Boaventura de Sousa. Para além do pensamento abissal: das li-
nhas globais a uma ecologia de saberes.
Novos estudos. – CEBRAP [online].
2007, n. 79, p. 71-94. Disponível em: 33002007000300004>. Acesso em: 30 maio 2013.
1
A
O debate sobre o ensino e a relevância da dis-
O debate sobre o ensino e a relevância da dis-
ciplina Arte na escola engendrou um campo de sa-
ciplina Arte na escola engendrou um campo de sa-
ber; a 
ber; a arte/educação
arte/educação
Arte_vu_PNLD2015_MP_001a37.indd 3
6/24/13 1:03 PM


4
apresentar uma sucessão de aprimoramentos de or-
dem técnica ou mesmo conceitual da linguagem, ele 
é proposto como uma força gerativa e com a fina-
lidade de evidenciar as conexões entre as artes e 

Baixar 87 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   223   224   225   226   227   228   229   230   ...   353




©historiapt.info 2022
enviar mensagem

    Página principal