Pesquisa incluída no fim de cada capítulo: assistir, ouvir, ler, contemplar e percorrer os sites indicados, sem limitações à curiosidade. Entretanto, é na página Ação



Baixar 4.71 Mb.
Pdf preview
Página141/353
Encontro16.07.2022
Tamanho4.71 Mb.
#24280
1   ...   137   138   139   140   141   142   143   144   ...   353
Arte - Volume único
semântico de uma palavra 
ou texto consiste em sua significação, 
ou conjunto de significações.
A. Dagli Orti/The Art Archive/AFP
Luigi Russolo e seu assistente Ugo Piatti com “entoadores 
de ruído”. Fotografia de 1913.
O italiano Luigi Russolo (1885-1947) se interessou 
pelo som e propôs uma grande renovação na música. 
Ele chamou a atenção para os sons da cidade indus-
trial, como “o uivar das serras mecânicas”, no texto 
A arte dos ruídos. O artista inventou máquinas que 
geravam esses sons, as quais classificou como zum-
bidores e arranhadores, entre outras designações. 
Hulton Arc
hi
ve/Get
ty 
Images
Kazimir Malévitch. Pintura suprematista, Óleo sobre tela, 1915, Stedelijk Museu da Cidade, 
Amsterdã, Holanda.
Para Malévitch, o Suprematismo era a forma mais espiritual e pura de arte. 
Ele acreditava que ao eliminar os objetos e focalizar a forma seria possível 
liberar a beleza essencial contida em toda grande arte. Com seu trabalho 
austero, constituído de formas simples, Malévitch atingiu a essência da arte 
não figurativa.
R
eprodução/Museu da Cidade, 
Amsterdã, Holanda.
Arte_vu_PNLD2015_U2C18_234a249.indd 239
6/17/13 11:08 AM


240
Aleksandr Ródtchenko. Kino glaz (‘Cine-olho’; 1924, para a produtora de Dziga 
Vértov).
Trabalhando muitas vezes em colaboração com o poeta Vladímir 
Maiakóvski (1893-1930), Ródtchenko produziu peças gráficas inovado-
ras, nas quais associava construções geométricas, grandes áreas de 
cor, fotografia e tipografia ousada. Ródtchenko transpôs o experimen-
talismo da fotografia e do cinema para a linguagem gráfica, privile-
giando valores como clareza e legibilidade tipográfica. 
R
eprodução/Biblioteca Nacional, Moscou, Rússia.
Vladímir Tátlin. Modelo para o Monumento para a Terceira 
Internacional, 1919-1920.
A torre projetada por Tátlin consistia em uma estrutura 
de aço oblíqua que sustentava um par de barras espira-
ladas conectadas por uma treliça. Dentro da estrutura de 
aço estavam previstos três espaços: um grande cubo para 
conferências e congressos, um cilindro para os escritórios 
de propaganda e uma esfera no topo para transmissões de 
rádio. Cada uma dessas unidades deveria girar a velocida-
des diferentes. 
Album/Ak
g-images/Latinstoc
k
Malévitch apontava para o fato de a pintura suprematista, assim como a 
pintura religiosa, se preocupar com aquilo que está além do visível. O impac-
to da arte de Malévitch e de suas teorias foi imediato e o Suprematismo tor-
nou-se a filosofia artística dominante no meio vanguardista de Moscou.
A maioria dos artistas de vanguarda apoiou a nova república socialis-
ta e nos primeiros anos, o governo revolucionário apoiou as ideias e 
os projetos desses artistas.
Em 1919, Tátlin planejou o Monumento para a Terceira Inter-
nacional, um edifício de 390 metros de altura destinado a sediar a 
organização cuja meta era disseminar o comunismo pelo plane-
ta. No entanto, não havia na Rússia recursos para construir tal 
monumento. O modelo exibido ao público era uma afirmação 
simbólica da crença na ciência e tecnologia que seriam em 
breve alcançadas pela nação.
Defendendo uma arte socialmente útil, Aleksandr 
Ródtchenko (1891-1956) abandonou a pintura e a 
escultura e tornou-se artista gráfico. Seu sen-
so de responsabilidade para com a revolução 
estimulou-o a algo pela sociedade, em vez de 
apenas exercer sua expressão pessoal.
A partir de 1932, com a ascensão de Josef 
Stalin (1879-1953) ao governo da União Sovi-
ética, ocorreu uma mudança de diretriz na es-
tética oficial. Stalin promoveu os grupos que 
defendiam o uso de uma linguagem represen-
tacional para descrever a vida dos trabalhadores 
revolucionários.
Arte_vu_PNLD2015_U2C18_234a249.indd 240
6/17/13 11:08 AM


| CApÍtulo 18 | Moderno e rACionAl |
241
O cinema foi alvo de grande interesse dos 
revolucionários russos, que o viam como ferra-
menta capaz de levar a ideologia socialista ao 
grande público. Os revolucionários entendiam 
o poder da cultura de massa. 
Com apoio do governo, alguns jovens se 
reuniram em pequenas produtoras, como a 
Kinoki – das palavras russas kino (‘cine’) e oki 
(‘olhos’) – de Dziga Vértov (1896-1954). Vértov 
dedicou-se aos documentários: ele queria “to-
mar a vida de improviso”. Considerava que a 
personalidade do cineasta deveria se manifes-
tar no processo de seleção, edição e legenda-
gem do material filmado. 
O cineasta Serguei Eisenstein (1898-1948) 
também estava envolvido com a revolução. Em 
A greve
, seu primeiro longa-metragem, justapôs 
imagens de trabalhadores sendo mortos no pe-
ríodo czarista e imagens de um matadouro de 
animais. Apesar da narrativa não linear, o fil-
me chamou atenção do governo, que ofereceu 
apoio para o segundo projeto do cineasta: O 

Baixar 4.71 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   137   138   139   140   141   142   143   144   ...   353




©historiapt.info 2022
enviar mensagem

    Página principal