Pedras no caminho da retomada



Baixar 71.45 Kb.
Página1/2
Encontro29.10.2019
Tamanho71.45 Kb.
  1   2

O CENÁRIO DO ORÇAMENTO PÚBLICO

DINÂMICA ECONÔMICA, DÍVIDA PÚBLICA E CRISE BRASILEIRA

GILMAR MENDES LOURENÇO

30.10.2017

gilmarl@fae.edu

TRAJETO

  • CENÁRIO ECONÔMICO
    • DA RECESSÃO À ESTAGNAÇÃO
    • ATIVOS DA ESTABILIZAÇÃO MACROECONÔMICA
  • PEDRAS NO CAMINHO DA RETOMADA
  • 1. FALTA DE REFORMAS INSTITUCIONAIS – A FALÊNCIA DO ESTADO

    2. GARGALOS INFRAESTRUTURAIS

    3. ABANDONO DOS FATORES DE VANGUARDA

    4. O NÓ POLÍTICO


1. CENÁRIO ECONÔMICO

1.1. DA RECESSÃO À ESTAGNAÇÃO

MAIOR E MAIS PROLONGADA RECESSÃO DA HISTÓRIA

BRASIL – TAXA DE VARIAÇÃO DO PRODUTO INTERNO BRUTO (PIB) – PERÍODOS SELECIONADOS

PERÍODO

TAXA DE VARIAÇÃO (%)

1930-1931

-5,4

1981-1983

-6,2

1982

0,8

1990-1992

-3,9

1991

1,0

ABR./2014-MAR./2017

-8,5

2017 – 2º TRIM.

0,3

2017 – 1º SEM.

0,0

FONTE: IBGE E BC

DESTA VEZ, A CULPA NÃO É DO MUNDO NEM DAS CONTAS EXTERNAS

TAXA DE CRESCIMENTO DO PRODUTO INTERNO BRUTO (PIB) – MUNDO, REGIÕES E PAÍSES SELECIONADOS – 2013-2018

ÁREA

TAXA DE CRESCIMENTO DO PIB (%)

 

2013

2014

2015

2016

2017

2018

Mundo

3,4

3,5

3,4

3,2

3,6

3,7

Renda alta

1,2

2,0

2,1

1,7

2,2

2,0

Zona do Euro

-0,3

1,2

2,0

1,8

2,1

1,9

Japão

2,0

0,3

1,1

1,0

1,5

0,7

Estados Unidos

1,7

2,4

2,6

1,5

2,2

2,3

Em desenvolvimento

5,1

4,7

4,3

4,3

4,6

4,9

América Latina e Caribe

2,9

1,2

0,1

-0,9

1,2

1,9

Brasil (Pato Feio)

2,7

0,1

-3,8

-3,6

0,7

1,5 (2,5-BC)

México

1,4

2,3

2,6

2,3

2,1

1,9

China

7,8

7,3

6,9

6,7

6,8

6,5

Índia

6,5

7,2

8,0

7,1

6,7

7,4

África do Sul

2,5

1,7

1,3

0,3

0,7

1,1

Rússia

1,3

0,7

-2,8

-0,2

1,8

1,6

FONTE: FMI – OVERVIEW OF THE WORLD ECONOMIC OUTLOOK PROJECTIONS –OUT./2017

1.2. ATIVOS DA ESTABILIZAÇÃO MACROECONÔMICA

a) CONTROLE DA INFLAÇÃO

INFLAÇÃO MUNDIAL, SEGUNDO REGIÕES E PAÍSES SELECIONADOS – 2016-2017

REGIÃO/PAÍS

INFLAÇÃO ANUAL (%)

União Europeia

1,8

Zona do Euro

1,5

Estados Unidos

2,2

China

1,6

Japão

0,7

Rússia

3,0

Chile

1,5

México

6,3

Índia

3,3

Brasil

2,7 (IPCA-15) – 10ª < entre 26 nações que adotam o regime de metas; em 2015 era a 2ª >, atrás de GANA

FONTE: FMI, BANCO MUNDIAL E IBGE

RECESSÃO

CÂMBIO

SUPERSAFRA DE GRÃOS

240,9 MILHÕES DE TONELADAS

30,3% > QUE A DE 2016

b) QUEDA DOS JUROS

REDUÇÃO DA SELIC

      • DE 14,25% PARA 7,50% AO ANO
        • ENTRE OUTUBRO DE 2016 E OUTUBRO DE 2017
          • SEM TRANSMISSÃO EXPRESSIVA PARA AS DEMAIS LINHAS DE EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS
            • OLIGOPOLIZAÇÃO DO SISTEMA FINANCEIRO BRASILEIRO
              • Banco do Brasil, Itaú, Bradesco e Caixa Econômica Federal - % DOS ATIVOS
                • 2000 - 43%
                • 2016 - 72,4%

BRASIL – TAXA DE JUROS – SETEMBRO/2016-SETEMBRO/2017, SEGUNDO MODALIDADES

VARIÁVEL/

MODALIDADE

 

% ANUAL

SET./2016

SET./2017

VARIAÇÃO %

INFLAÇÃO – IPCA-12 MESES

7,87 (OUT.)

2,71 (OUT.-IPCA15)

-65,6

CRÉDITO/PIB (%)

50,2

47,0

-6,4

SELIC

14,25 (OUT.)

7,50 (OUT.)

-47,4

Desconto de duplicatas

33,4

20,9

-37,4

Cheque especial

324,9

321,3

-1,1

Crédito pessoal

54,2

48,5

-10,5

Cartão de crédito rotativo

491,3

332,4

-32,3

FONTE: BANCO CENTRAL

VALOR DAS EMPRESAS EM BOLSA, SEGUNDO PRINCIPAIS PAÍSES – 2016

PAÍSES

VALOR EM BOLSA (% DO PIB)

Estados Unidos

139

Austrália

89

Coréia do Sul

89

Tailândia

88

Chile

79

China

74

Índia

72

Irlanda

45

México

35

Peru

30

Rússia

29

Brasil

28

Turquia

26

Argentina

10

FONTE: ECONOMIST INTELLIGENCE UNIT

c) RECUPERAÇÃO DO MERCADO DE TRABALHO

BRASIL - EVOLUÇÃO DO EMPREGO POR SUBSETOR DE ATIVIDADE ECONÔMICA

 

 

 

 

 

SETEMBRO/2017

NO ANO

EM 12 MESES

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SETORES

TOTAL ADMIS.

TOTAL DESLIG.

SALDO

VARIAC. EMPR % *

TOTAL ADMIS.

TOTAL DESLIG.

SALDO

VARIAC. EMPR %

TOTAL ADMIS.

TOTAL DESLIG.

SALDO

VARIAC. EMPR %

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TOTAL

1.148.307

1.113.915

34.392

0,09

11.262.961

11.054.087

208.874

0,55

14.452.618

14.919.272

-466.654

-1,20

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

1.EXTRATIVA MINERAL

2.381

2.514

-133

-0,07

26.588

28.495

-1.907

-0,99

33.095

40.642

-7.547

-3,79

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

2.INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO

206.605

180.921

25.684

0,35

1.911.211

1.829.688

81.523

1,12

2.372.056

2.481.031

-108.975

-1,46

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

3.SERV INDUST DE UTIL PÚBLICA

4.740

5.986

-1.246

-0,30

56.476

57.717

-1.241

-0,30

68.594

76.402

-7.808

-1,86

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

4.CONSTRUÇÃO CIVIL

105.458

105.078

380

0,02

1.041.797

1.069.904

-28.107

-1,25

1.322.648

1.523.358

-200.710

-8,31

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

5.COMÉRCIO

292.744

277.704

15.040

0,17

2.719.152

2.801.255

-82.103

-0,91

3.678.907

3.705.075

-26.168

-0,29

Comércio varejista

247.680

234.506

13.174

0,18

2.281.050

2.371.460

-90.410

-1,21

3.111.454

3.143.357

-31.903

-0,43

Comércio atacadista

45.064

43.198

1.866

0,12

438.102

429.795

8.307

0,53

567.453

561.718

5.735

0,37

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

6.SERVIÇOS

463.750

460.007

3.743

0,02

4.632.352

4.517.282

115.070

0,69

5.922.281

6.043.354

-121.073

-0,71

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

7.ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

3.661

4.365

-704

-0,08

64.545

46.316

18.229

2,15

70.496

82.663

-12.167

-1,39

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

8.AGROPECUÁRIA

68.968

77.340

-8.372

-0,51

810.840

703.430

107.410

7,00

984.541

966.747

17.794

1,10

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

FONTE: MTE-CADASTRO GERAL DE EMPREGADOS E DESEMPREGADOS-LEI 4923/65

BRASIL - TAXA DE DESOCUPAÇÃO PARA OS TRIMESTRES MÓVEIS – 2012-2017 – 13,1 MILHÕES DE DESEMPREGADOS

BRASIL - RENDIMENTO MÉDIO REAL DE TODOS OS TRABALHOS – 2012-2017

CONFIANÇA DO EMPRESÁRIO INDUSTRIAL – CNI – out./2017

> que média histórica pelo segundo mês seguido

CNI – ÍNDICE DE SATISFAÇÃO DOS EMPRESÁRIOS

BRASIL – ÍNDICE DE CONFIANÇA DO EMPRESÁRIO DO COMÉRCIO – 2011/2017*

mar/11

130,47

dez/11

130,57

dez/12

129,00

dez/13

125,48

dez/14

108,73

ago/15

82,21

dez/15

79,87

mar/16

75,74

mai/16

79,24

jun/16

82,33

dez/16

99,10

jan/17

95,74

fev/17

95,53

mar/17

99,94

abr/17

102,33

maio/17

103,01

jun/17

101,96

Jul/17

101,53

Ago/17

103,10

Set/17

104,78

Out/17

107,24

FONTE: CNC

* VARIA ENTRE 0 E 200 PONTOS; 100 PONTOS – ZONA DE INDIFERENÇA 

BRASIL – INTENÇÃO DE CONSUMO DAS FAMÍLIAS (EM PONTOS)*

VARIÁVEL

12/10

12/13

12/14

12/15

07/16

08/16

12/16

01/17

02/17

03/17

04/17

06/17

08/17

09/17

10/17

Emprego Atual

139,6

134,0

130,5

103,6

100,6

102,3

106,6

105,6

106,4

108,3

108,7

107,2

107,2

106,4

107,4

Perspectiva Profissional

137,2

129,0

123,6

98,8

93,5

94,0

100,5

99,9

101,8

103,0

100,4

96,6

96,0

94,0

93,1

Renda Atual

151,1

145,9

136,0

95,5

85,0

85,3

90,4

89,5

90,5

93,0

93,3

90,4

90,9

89,9

91,3

Acesso ao crédito

156,1

131,2

124,1

75,2

63,3

64,0

67,3

66,8

67,7

69,4

70,1

69,4

71,4

70,8

71,7

Nível de Consumo Atual

120,5

107,7

99,0

54,6

44,0

44,2

51,7

52,5

52,3

51,1

51,3

53,7

54,2

54,2

54,5

Perspectiva de Consumo

156,1

141,0

125,4

60,1

53,3

53,6

66,1

66,6

67,6

69,7

70,1

70,8

69,6

69,5

73,2

Momento para Duráveis

143,3

118,1

98,1

47,6

41,1

41,9

50,9

52,5

53,3

52,8

50,8

51,7

51,9

52,6

53,8

ÍndiceTotal

143,4

129,5

119,5

76,5

68,7

69,3

76,2

76,2

77,1

78,2

77,8

77,1

77,3

76,8

77,9

FONTE: CNC, *varia entre 0 e 200 pontos; 100 pontos – zona de indiferença

ÍNDICE NACIONAL DE EXPECTATIVA DO CONSUMIDOR – CNI – varia entre 0 e 200 pontos; 100 pontos – zona de indiferença



BRASIL - INDICADORES DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA E COMÉRCIO VAREJISTA AMPLIADO, SEGUNDO GRUPOS DE ATIVIDADES: PMC - Agosto 2017

ATIVIDADES

MÊS/MÊS  ANTERIOR (1)

MÊS/IGUAL MÊS DO ANO ANTERIOR

ACUMULADO 

Taxa de  Variação (%)

Taxa de Variação (%)

Taxa de Variação (%)

JUN

JUL

AGO

JUN

JUL

AGO

NO ANO

12 MESES 

COMÉRCIO VAREJISTA (2)

0,8

0,0

-0,5

2,9

3,1

3,6

0,7

-1,6 

1 - Combustíveis e lubrificantes

1,4

-2,1

-2,9

0,1

-0,9

-2,9

-3,1

-4,8 

2 - Hiper, supermercados, prods. alimentícios, bebidas e fumo

-0,3

0,7

-0,3

0,8

0,3

1,7

-0,2

-1,3 

2.1 - Super e hipermercados

-0,1

0,1

-0,3

2,1

0,2

1,4

-0,1

-1,3 

3 - Tecidos, vest. e calçados

5,8

0,1

-3,4

4,2

15,0

9,0

7,3

0,3 

4 - Móveis e eletrodomésticos

2,1

0,4

1,7

12,2

12,9

16,5

8,0

0,8 

4.1 - Móveis

-

-

-

-0,3

6,1

11,4

-7,7

-8,8 

4.2 - Eletrodomésticos

-

-

-

17,1

15,1

18,0

8,6

1,1 

5 - Artigos farmaceuticos, med., ortop. e de perfumaria

1,3

-0,7

-0,5

2,7

2,2

4,4

0,2

-1,5 

6 - Livros, jornais, rev. e papelaria

4,5

-0,1

-3,1

0,7

0,2

-4,4

-3,4

-7,3 

7 - Equip. e mat. para escritório, informatica e comunicação

-2,4

3,8

-6,7

5,1

11,3

1,0

-0,4

-2,8 

8 - Outros arts. de uso pessoal e doméstico

2,7

-0,1

-0,4

4,4

4,1

6,1

0,6

-1,7 

COMÉRCIO VAREJISTA AMPLIADO (3)

2,5

0,1

0,1

4,4

5,6

7,6

1,9

-1,6 

9 - Veículos e motos, partes e peças

4,4

-0,7

2,8

3,8

6,2

13,8

-0,8

-5,1 

10- Material de construção

1,4

1,0

1,8

6,7

11,0

12,6

6,5

1,5

FONTE: IBGE

2. PEDRAS NO CAMINHO DA RETOMADA

2.1. FALTA DE REFORMAS INSTITUCIONAIS – O NÓ FISCAL

2.4 – REFORMAS INSTITUCIONAIS

EVOLUÇÃO DA DÍVIDA PÚBLICA BRUTA - BRASIL E EMERGENTES - 2013/2015/2017

UNIDADE

DÍVIDA BRUTA (EM % DO PIB)

 

2013

2015

2017

BRASIL

60,2

72,5

81,2

EMERGENTES

38,5

44,3

48,5

FONTE: FMI



Compartilhe com seus amigos:
  1   2


©historiapt.info 2019
enviar mensagem

    Página principal