P r o f. A L l a n a m á t a r r e V i s ã o d e e I x o s t e m á t I c o s


Dificuldades para a plena valorização da arte, da cultura e do



Baixar 7.23 Mb.
Pdf preview
Página18/23
Encontro23.07.2022
Tamanho7.23 Mb.
#24339
1   ...   15   16   17   18   19   20   21   22   23
Eixos Temáticos - ENEM - BERNOULLI
Redação - Eixos Temáticos Enem - 22.10
Dificuldades para a plena valorização da arte, da cultura e do 
patrimônio na sociedade brasileira: 
• Famílias mais pobres, muitas vezes, não desenvolvem hábitos 
relacionados à valorização da arte e da cultura dita hegemônica, 
devido à baixa escolaridade ou à ausência de condições financeiras 
ou geográficas para o acesso → elitização dessas manifestações; 
• As escolas e as universidades, extremamente conteudistas, pouco 
voltadas à experienciação e limitadas em seus recursos, também 
são, em geral, despreparadas ao abordar esses aspectos e ao 
despertar o interesse de seus alunos; 
• Pouca abrangência ou divulgação ineficiente das políticas públicas 
gratuitas voltadas a esse setor; 
• Preconceito generalizado em relação às manifestações artísticas 
e culturais de origem popular, que muitas vezes são vistas como 
inferiores ou sequer são consideradas como tal; 
• Desconhecimento, desvalorização, vandalização e carência de 
recursos cercam a questão do amplo patrimônio material e imaterial 
brasileiro, gerenciado pelo IPHAN (leia mais sobre patrimônio em 
Conheça as diferenças entre patrimônios materiais e imateriais
).
Contribuições da valorização da arte, da cultura e do 
patrimônio para a cidadania: 
• O acesso pleno à arte, à cultura e ao conhecimento do patrimônio, 
especialmente em uma perspectiva próxima à escolarização e ao 
saber formal, proporciona maiores chances de mobilidade social 
ao indivíduo e, consequentemente, traz impactos a longo prazo na 
redução das desigualdades e da violência; 
TEMA
16
A R T E, C U L T U R A, P A T R I M Ô N I O
E C I D A D A N I A
REVISÃO DE EIXOS TEMÁTICOS - REDAÇÃO ENEM
IDEIAS PARA A ARGUMENTAÇÃO


58
• Esse acesso também faz com que o indivíduo compreenda a 
realidade de forma mais reflexiva, crítica e ativa, entendendo 
passado e presente e mudando seu comportamento → diminuição 
dos preconceitos, aceitação das diferenças, engajamento em causas 
coletivas (como a das minorias, por exemplo); 
• Por fim, tal acesso dá início a um ciclo infindo de valorização da 
arte, da cultura e do patrimônio no seio familiar e na comunidade 
em que o indivíduo vive.
• Constituição Federal de 1988 art. 205: Educação é direito de todos e 
dever do Estado; art. 215: Estado garantirá o pleno exercício dos direitos 
culturais e acesso às fontes da cultura nacional; art. 216: Estado deve 
proteger o patrimônio cultural material e imaterial;
• Fatos recentes de 2017: grafites apagados por João Dória (São 
Paulo); polêmica envolvendo a exposição Queer Museu (Porto Alegre) 
e a performance do artista nu no MAM (São Paulo); - Exemplos de 
manifestações artísticas/culturais brasileiras que denotam consciência 
crítica, reflexão e inclusão: Realismo e Modernismo na Literatura; MPB 
na Ditadura; rap, hip hop e grafite nas comunidades etc. ;
• Preconceito com a arte e a cultura popular, periférica: exemplo da 
criminalização histórica do samba e do funk (veja em 
Projeto de lei de 
criminalizacao do funk repete historia do samba da capoeira e do rap
) e 
o conceito de “hegemonia cultural” de Antonio Gramsci;
• Multiculturalismo (base na antropologia de Franz Boas): corrente 
acadêmica ampla que propõe a dissolução do continuum simples-
complexo em relação às culturas humanas, valorizando-as em sua 
singularidade e não as hierarquizando;
• Capital cultural (conceito do filósofo Pierre Bourdieu): a cultura, em uma 
sociedade dividida em classes, torna-se instrumento de dominação. Os 
indivíduos de famílias mais abastadas, com maior bagagem de saber, 
terão maiores facilidades sociais;
• Gilberto Freyre (“Casa-grande & Senzala”), Darcy Ribeiro (“O povo 
brasileiro”) e Sérgio Buarque de Holanda (“Raízes do Brasil”): obras 
fundadoras para entender a formação cultural brasileira;
• Indústria cultural/cultura de massa (Escola de Frankfurt): reflexões sobre 
a complexa relação entre arte, cultura e sociedade do consumo;
• “Teorias da arte”, Anne Cauquelin (filósofa e crítica de arte francesa): 
discussão sobre o esvaziamento dos critérios contemporâneos para a 
definição do que é arte.
OUTRAS ÁREAS DO CONHECIMENTO


59
• Campanhas informativas do Ministério da Educação, da Cultura/do 
IPHAN, na grande mídia e nas escolas e universidades, para maior 
reflexão sobre a importância da arte, da cultura e do patrimônio, 
inclusive visando romper preconceitos contra as vertentes populares 
dessas manifestações;
• Ampliação e melhor divulgação de projetos públicos de arte e cultura 
em parceria com a iniciativa privada, como o Vale Cultura e as 
Campanhas de Popularização do Teatro e da Dança, especialmente 
para as regiões e para o público que mais carecem;
• Maior capacitação dos docentes para um ensino de arte e cultura 
mais reflexivo e engajado nas escolas básicas;
• Maior direcionamento de recursos ao MinC/IPHAN para a ampliação 
de seus trabalhos, como por meio do fortalecimento e da correta 
gestão da Lei Rouanet (leia mais em 
Rouanet Cultura 
)
PROPOSTAS DE INTERVENÇÃO


60
T E C N O L O G I A S
D I G I T A I S
REVISÃO DE EIXOS TEMÁTICOS - REDAÇÃO ENEM
P R O F . A L L A N A M Á T A R
P R O F . B R U N N A V O N


61
TEMA

Baixar 7.23 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   15   16   17   18   19   20   21   22   23




©historiapt.info 2023
enviar mensagem

    Página principal