Olá Estudante, seja muito bem-vindo(a)!


 –  (PUC/SP) (Adaptada) -



Baixar 27.67 Mb.
Pdf preview
Página181/332
Encontro10.08.2021
Tamanho27.67 Mb.
#16739
1   ...   177   178   179   180   181   182   183   184   ...   332
EM 3ano V3 PF
2 –  (PUC/SP) (Adaptada) - Com a criação dos Sindicatos Profissionais moldados em regras uniformes e 
precisas, dá-se às aspirações dos trabalhadores e às necessidades dos patrões expressão legal normal e 
autorizada. O arbítrio, tanto de uns como de outros, gera a desconfiança, é causa de descontentamento
produz atritos que estalam em greves [...] Os sindicatos ou associações de classe serão os para-choques 
dessas tendências antagônicas.
COLLOR, Lindolfo, Ministro do Trabalho, 19/3/1931, citado por Kazumi Munakata. A legislação trabalhista no Brasil. São Paulo: Brasiliense, 
1984, p. 84.
A declaração acima, de Lindolfo Collor, Ministro do Trabalho em 1931, é exemplar da relação entre Esta-
do e trabalhadores durante o período Vargas, caracterizada pela
a)  aceitação das reivindicações trabalhistas e pela implantação de legislação prejudicial aos inte-
resses do patronato.
b)  disposição do governo em atuar como árbitro dos conflitos sociais e controlar as organizações 
de trabalhadores.
c)  proibição da unicidade sindical, que levou ao surgimento de sindicatos por categoria e a divisão 
do operariado.
d)  liberdade de reunião, ação e funcionamento das associações de operários, independentemente 
da ideologia.
e)  repressão a toda mobilização operária e pela perseguição às lideranças trabalhistas de direita e 
de esquerda.


180
3 – (UFG-GO) – Ia devagar porque estava matutando. Com seus vinte anos fáceis, o 35 sabia, mais da 
leitura dos jornais que da experiência, que o proletariado era uma classe oprimida. Comunismo?... Sim 
talvez fosse isso. Mas o 35 não sabia bem direito, ficava atordoado com as notícias, os jornais falavam 
tanta coisa, faziam tamanha mistura de Rússia, só sublime ou só horrenda, e o 35 infantil estava por 
demais machucado pela experiência pra não desconfiar, o 35 desconfiava.
ANDRADE, Mário de. Primeiro de Maio. Contos novos. Belo Horizonte, Rio de Janeiro: Itatiaia, 1999, p. 35. [Adaptado].
O conto “Primeiro de Maio” reflete as dificuldades do movimento operário brasileiro, expressas nas des-
confianças de 1935 relacionadas ao golpe comunista. Apresente dois argumentos dos comunistas so-
bre o quadro político brasileiro que justificaram o golpe.


181

Baixar 27.67 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   177   178   179   180   181   182   183   184   ...   332




©historiapt.info 2022
enviar mensagem

    Página principal